Cemitério aborígene mais antigo do que pirâmides egípcias foi descoberto na Austrália

Depois de restos humanos terem sido descobertos no interior de vários montes de areia misteriosos numa parte remota de Queensland, Austrália, as suas origens podem ter finalmente sido reveladas.

Os restos humanos, enterrados em montanhas na cidade de Mapoon, Austrália, podem ter até 6 mil anos, sendo mais antigos do que as pirâmides egípcias, de acordo com arqueólogos.

Enquanto o povo indígena Tjungundji acreditava há muito tempo que os montes continham restos dos seus antepassados, outros sugeriram que se tratavam de formações naturais.

“As origens, idade e funções desses montes foram debatidas por cientistas há décadas e a idade desses elementos é incerta“, comentou o arqueólogo Mary Jean Sutton.

O arqueólogo contou que os restos descobertos podem ter mais de 6.000 anos, ou podem ter sido estabelecidos mais recentemente: “Esta é a data provável, não há como saber exatamente sem cavar. São muito antigos”.

“A nossa pesquisa indica, nesta área do norte da Austrália, que as sociedades antigas tinham práticas culturais e fúnebres mais complexas do que as reconhecidas anteriormente, que continuaram durante a era da missão”.

A investigação inicial do radar de penetração no solo (GPR, na sigla em inglês) em 11 montes detetou muitos restos humanos enterrados. Mais de 250 montes de terra foram mapeados ao longo dos 60 km da costa em Mapoon.

A tecnologia utilizada contava com uma combinação de GPR e magnetometria, reconhecida pelos antigos aborígenes como culturalmente aceitável, pois não danifica a área. “Valorizamos essa tecnologia não invasiva, porque é culturalmente apropriada e não perturba os lugares de descanso dos nossos antepassados. Isso ajuda a manter a nossa lei cultural e ajuda a proteger e gerir nosso património cultural”, disse Aunty Diane Nicholls.

A confirmação de que os montes são covas aborígenes surgiu devido ao aumento da mineração na área. Apesar das promessas da mineradora de trabalhar com a comunidade para reconhecer os locais do património cultural, os moradores locais estão a pedir melhores condições de proteção para os lugares fúnebres.

“Saber que estes montes estão aqui agora – e que estiveram aqui por muitos anos – mas agora, devido à mineração, deve haver alguma proteção e uma lei para protegê-los“, disse Aunty Diane.

Na Austrália, Mapoon é conhecida pelos abusos históricos da população aborígene. Na década de 1960, a população foi expulsa e muitos edifícios locais foram queimados para facilitar instalação das empresas de mineração. Os arqueólogos agora vão mapear os montes na área para determinar se são de origem natural ou cultural.

PARTILHAR

RESPONDER

Moedas fecha lista para a Câmara de Lisboa

O candidato à Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, já fechou a equipa que o vai acompanhar nas próximas autárquicas. O anúncio de que a lista de Carlos Moedas para a Câmara de Lisboa está fechada será …

Abaixo-assinado apelida Bolsonaro de genocida após 550.000 mortes no Brasil

Dezenas de personalidades e organizações da sociedade civil portuguesa subscreveram um abaixo-assinado de solidariedade internacional para com o Brasil, no qual apelidam o Presidente, Jair Bolsonaro, de "genocida" após mais de 550.000 mortes devido à …

Jovens com 18 ou mais anos já podem agendar a vacina contra a covid-19

O autoagendamento da vacina contra a covid-19 para pessoas com 18 ou mais anos ficou disponível, esta quarta-feira, no portal da Direção-Geral da Saúde (DGS). "O auto-agendamento para os utentes com idade igual ou superior a …

Juiz Carlos Alexandre aceita proposta de pagamento de caução de Joe Berardo

O juiz Carlos Alexandre aceitou, esta quarta-feira, a proposta e a forma de pagamento da caução de cinco milhões de euros apresentada pelo empresário madeirense no processo da Caixa Geral de Depósitos. A decisão favorável do …

Mais 13 mortes e 3452 casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal registou, esta quarta-feira, mais 13 mortes e 3452 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3452 novos …

MPT junta-se a PDR e pedem que Nós, Cidadãos! seja banido das autárquicas pelo TC

O MPT juntou-se ao PDR e ambos pedem que o Nós, Cidadãos! seja impedido de "apresentar candidaturas" às eleições autárquicas de setembro. Em junho, o PDR deu entrada com um pedido no Tribunal Constitucional (TC) para …

Relatório revela envolvimento da Igreja Católica em 100 casos de pedofilia na Polónia

Uma comissão estatal que analisou as denúncias de crimes de pedofilia registadas na Polónia entre 2017 e 2020 denunciou na terça-feira que quase um terço dos casos estudados, num total superior a 300 processos, envolvem …

Polícias voltam aos protestos por causa do subsídio de risco em dia de nova reunião com o Governo

Elementos da PSP e da GNR voltam esta quarta-feira aos protestos por causa do subsídio de risco, uma concentração que vai decorrer enquanto os sindicatos e associações socioprofissionais estão reunidos no Ministério da Administração Interna …

Vieira continua em domiciliária. MP vai pedir reforço de garantias de caução

O Ministério Público (MP) vai pedir reforço de garantias de caução por entender que o uso das ações da SAD do Benfica não é a forma apropriada. O Correio da Manhã avança, esta manhã, que o …

Investigadores suecos pagam 23 dólares a quem se vacinar contra a covid-19

Recompensa surge no âmbito de uma pesquisa que pretende avaliar o nível de eficácia de diferentes incentivos à vacinação contra a Covid-19. O estudo conta com a participação de 8.200 voluntários com menos de 60 …