“Alguma vez foi fácil?” Catarina Martins diz que Governo “tem pouca vontade” de discutir temas concretos

Manuel de Almeida / Lusa

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, defendeu esta terça-feira que o Governo socialista “tem pouca vontade” de discutir questões concretas nas negociações do Orçamento do Estado para 2022, insistindo na necessidade de debater também a lei laboral.

Na estrada para a campanha autárquica das eleições que decorrem no domingo, Catarina Martins tem-se focado as suas intervenções nas questões autárquicas, mantendo-se longe das negociações para o Orçamento do Estado para 2022.

Esta terça-feira, no final de uma visita ao mercado de Guimarães, seguida de uma arruada pelas ruas da cidade, a líder do BE foi questionada pelos jornalistas sobre as declarações do fundador do partido, Fernando Rosas, no comício da noite anterior, em Braga, quando avisou o PS, que apelidou de “partido da bazuca”, que tem que negociar se quer ter um Orçamento do Estado.

“O Bloco de Esquerda tem notado é que o Governo tem pouca vontade de discutir isto no concreto. No concreto o que é que vai acontecer a quem vive do seu trabalho, para haver mais médicos de família, para quem tem a sua pensão tão curta, para quem faz uma ginástica tão grande para conseguir pagar a renda da casa ou a prestação da casa”, criticou.

Catarina Martins começou por fazer uma nova referência às declarações que têm gerado polémica do primeiro-ministro, António Costa, que “agora compreende que o que aconteceu na Galp não devia ter acontecido”.

“E se nós queremos evitar erros e fazer justiça a quem trabalha no país, seguramente que é preciso que as questões laborais também estejam presentes na negociação do Orçamento do Estado e o que eu espero é que o PS dê esse passo para podermos negociar as questões do trabalho, as questões que defendem o emprego, no momento em que pensamos o Orçamento do Estado”, defendeu.

O BE, de acordo com a sua coordenadora, “leva muito a sério o seu mandato popular”, recordando quem, na rua, reconhece que foi o partido “que lutou pelo seu salário, pela sua pensão, pelas suas condições de vida”.

“E é nessas respostas concretas à vida das pessoas que se pode construir soluções para o país e é para essas que o Bloco de Esquerda está disponível”, reiterou.

À pergunta sobre se espera maior dificuldade nestas negociações orçamentais, depois do voto contra do BE no último Orçamento do Estado, Catarina Martins respondeu, também, com uma pergunta: “alguma vez foi fácil?

“Eu acho que a determinação, a coerência, a enorme disponibilidade para encontrar soluções em nome de quem trabalha, em nome de quem tem esta vida tão esforçada, esse é o nosso mandato popular e esse nós vamos cumpri-lo como sempre”, acrescentou.

Sobre novidades do andamento das conversas com o Governo, a coordenadora do BE repetiu uma máxima que a acompanha: “as negociações fazem-se à mesa”. “Quando eu tiver mais alguma coisa a acrescentar, acrescentarei”, comprometeu-se.

  // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas estão a plantar mesas de xadrez de corais para restaurar recifes - e contam com a ajuda de garrafas de Coca-Cola

Nas últimas três décadas, os recifes de coral têm sofrido uma grande tensão e consequente destruição, devido ao impacto das alterações climáticas. Agora, os cientistas querem minimizar os danos e já encontraram uma solução. O objetivo …

Belenenses 0-4 Sporting | Melhor o resultado que a lesão

O Sporting, da I Liga, venceu hoje o Belenenses, do Campeonato de Portugal, por 4-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, garantindo o apuramento para a próxima fase da competição. No …

Sintrense 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto, da I Liga, venceu hoje o Sintrense, do Campeonato de Portugal, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue em frente na competição. A jogar em …

Nova tecnologia usa calor dos estacionamentos subterrâneos para aquecer apartamentos

A startup Enerdrape, que funciona dentro da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, desenvolveu uma tecnologia que aproveita o calor emanado pelo solo no aquecimento de apartamentos. Quase 60% do aquecimento utilizado nos edifícios residenciais …

Pela primeira vez, um drone transportou os pulmões de um dador em segurança. Voo demorou seis minutos

Pela primeira vez na história da medicina, um drone aéreo transportou os pulmões de um dador com rapidez e segurança entre dois hospitais. O voo, que durou apenas seis minutos, ocorreu no passado dia 25 de …

Grupo de hackers clonou a voz de empresário para roubar 35 milhões de dólares do banco

Um grupo de hackers clonou a voz do diretor de uma empresa, conseguindo assim roubar mais de 35 milhões de dólares de um banco nos Emirados Árabes Unidos. No início do ano passado, o gerente de …

Portugueses comem duas vezes mais do que o recomendando

Os portugueses consumiram, em média, duas vezes mais calorias do que o recomendando para um adulto entre 2016 e 2020, ano em que a pandemia provocou uma redução do consumo de alimentos diário, mas ainda …

Aos 95 anos, a rainha Isabel II terá de abdicar da sua bebida favorita

A monarca foi aconselhada pelos médicos a abdicar do seu habitual martini de fim de dia, em antecipação a uma fase de agenda especialmente preenchida. Com 95 anos, a rainha Isabel II tem tido uma semana …

Médicos vão avaliar estado mental do atacante da Noruega

A investigação ao ataque com arco e flecha que na quarta-feira fez cinco mortos na Noruega reforçou, até agora, a tese de um ato devido a doença, anunciou hoje a polícia norueguesa. “A hipótese que foi …

Há mais de 100 anos, o Hawai teve uma monarquia - mas a força da princesa Ka'iulani não chegou para a preservar

Antes de morrer, com apenas 23 anos, a princesa Victoria Ka'iulani foi a última herdeira da coroa havaiana. A jovem era uma das últimas esperanças em manter a monarquia viva, mas nem a sua determinação …