Casal está em risco de pena de morte por construir uma casa no mar

Um americano e a sua namorada tailandesa podem terminar os seus dias na prisão ou até serem condenados à morte.

As autoridades da Tailândia acusam o casal de ter construído uma casa em águas do país asiático – a ação, segundo a Marinha tailandesa, ameaça a segurança nacional. Chad Elwartowski e a namorada Supranee Thepdet passaram a esconder-se, após a estrutura de metal que fizeram no meio do mar ter sido descoberta.

A plataforma, em que ambos viviam, ocupa cerca de 20 metros quadrados e foi erguida a cerca de 19 quilómetros da costa de Phuket, uma ilha tailandesa a oeste do território nacional. Elwartowski insiste que, por se localizar a essa distância da costa, a casa está fora da jurisdição da Tailândia.

Mas a Marinha tailandesa discorda e argumenta que o imóvel foi construído sem a devida permissão. O coronel da polícia Nikorn Somsuk disse à agência AFP que a Marinha vai reunir-se com autoridades locais “para analisar que medidas vai tomar”. Se o casal for considerado culpado, poderá enfrentar desde prisão perpétua até pena de morte.

O homem e a mulher pertencem ao movimento chamado “seasteading”, que promove a construção de habitações permanentes no mar, em águas internacionais, para que não estejam sujeitas às leis de nenhum país. Ambos fazem parte do grupo Ocean Builders, uma comunidade de empresários que trabalham para financiar este tipo de moradia.

Num vídeo publicado em fevereiro, Elwartowski disse que a comunidade era um lugar onde “as pessoas que amam a liberdade podem unir-se e ser livres”. A estrutura alvo do conflito foi construída no mesmo mês, mas só foi encontrada pelas autoridades recentemente. Quando a descoberta foi feita, nem o americano nem a namorada estavam no local.

Um comunicado publicado no site da Ocean Builders diz que o casal não foi responsável pela construção da casa, mas que eram apenas inquilinos. “Passaram algumas semanas na casa flutuante e documentaram a sua aventura”, diz o site. “Não estiveram envolvidos no projeto de maneira nenhuma.”

De acordo com declarações de Elwartowski à AFP, ele e a namorada estão escondidos “num lugar bastante seguro” enquanto esclarecem a sua situação atual.

Embora não existam dados específicos sobre o número de casas construídas em águas internacionais, outras estruturas como esta – denominadas “micronações” – foram construídas por razões semelhantes. As micronações são estados auto-declarados que não possuem o reconhecimento de nenhum governo.

Uma das mais conhecidas é Sealand, uma plataforma marítima localizada a menos de dez quilómetros da costa de Suffolk, um condado no leste da Inglaterra. Esta famosa e controversa estrutura tem a própria bandeira, uma moeda e até uma equipa de futebol.

Em países como a Austrália, por exemplo, também foram erguidas várias micronações. Entre elas está a província de Hutt River, uma propriedade privada a 500 quilómetros ao norte da cidade australiana de Perth – que anunciou a sua separação em 1970, após desentendimentos com o governo por causa dos impostos sobre o trigo. Nessa área, também têm a sua própria bandeira e moeda – o dólar do Rio Hutt.

Outro exemplo é a micronação de Akhzivland, no norte de Israel, que contou com uma população de apenas duas pessoas durante quase meio século. Assim foi até o seu fundador e presidente, Eli Avivi, morrer no ano passado aos 88 anos.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Iraque condena três franceses a pena de morte por pertencerem ao Estado Islâmico

Três homens de nacionalidade francesa foram este domingo condenados a pena de morte, pelo tribunal de Bagdade, capital do Iraque, por pertenceram ao Estado Islâmico, avança a AFP, que cita o juiz que leu a …

Oposição levou mais gente às ruas do que Bolsonaro

Manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro e da reforma da previdência, o principal objetivo do governo neste ano, moveram milhares de brasileiros em pouco mais de 130 cidades de 26 estados do Brasil. No passado …

Utentes da Soflusa estão “cansados” de constantes supressões

Os utentes da Soflusa mostraram-se esta segunda-feira "cansados" das constantes supressões das ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, que estão hoje a acontecer durante todo o dia devido à falta de mestres. "Já estou a …

Banco Alimentar recolhe 1.605 toneladas de alimentos no fim de semana

O Banco Alimentar contra a Fome recolheu 1.605 toneladas de alimentos durante o fim de semana da campanha nacional que decorreu em mais de duas mil superfícies comerciais, anunciou a presidente do Banco Alimentar contra …

Sérgio Conceição apontado à Lazio

A imprensa italiana aponta esta segunda-feira o treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, à Lazio. O técnico português, recorde-se, passou pelo emblema italiano em duas ocasiões como jogador de futebol. O jornal italiano Il Messaggero adianta …

Filial portuguesa de multinacional alemã envolvida em subornos em Angola

A sucursal portuguesa em Angola da multinacional alemã Fresenius Medical Care, que actua na área médica, esteve envolvida num esquema de pagamento de subornos a médicos e militares angolanos que renderam 124 milhões de euros …

CGD acaba com empresa que criou há quase 20 anos com a PT

Criada há quase 20 anos pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) e pela Portugal Telecom (PT), a Caixanet foi liquidada no início deste ano, bem como a Caixa Tec e a Sogrupo, duas outras empresas …

MB Way. Bancos "fecham" aplicação para cobrar comissões diferenciadas nas transferências

Em pleno arranque do 'open banking', os bancos estão a substituir a aplicação MB Way por soluções próprias que "amarram" os clientes, com o propósito de cobrar comissões diferenciadas nas transferências através do telemóvel. Segundo noticiou …

A abstenção venceu. É a mais alta de sempre

A abstenção foi a grande figura das eleições europeias deste domingo, tendo 68,7% dos portugueses optado por não votar. A abstenção em Portugal voltou a atingir um novo recorde, enquanto que a taxa de participação …

Neurocirurgia do Hospital de São João deixa os contentores ao fim de 12 anos

O novo serviço de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, está a funcionar desde este sábado. Ao fim de 12 anos, os serviços de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, deixaram de …