Carros elétricos poderão carregar em 10 minutos graças a esta inovação

Investigadores da Universidade de Penn State inventaram uma forma de carregar uma bateria de carro elétrico de ião de lítio em apenas 10 minutos, prontos para mais 321 a 482 quilómetros de condução.

A investigação, publicada na revista especializada Joule, mostra que a técnica pode funcionar enquanto mantém 2.500 ciclos de carga – ou o equivalente a 804.672 quilómetros de viagem.

O Statista mostra que o número de veículos elétricos com bateria em uso aumentou globalmente 50% em relação ao ano passado, saltando de 1,9 milhões em 2017 para 3,3 milhões em 2018. Mas essa é uma pequena fração do número total de carros nas estradas do mundo, estimado em mais de mil milhões em 2015 por Bernstein.

Como o transporte rodoviário é responsável por cerca de 16,5% das emissões globais, a mudança para um meio de mobilidade mais limpo é fundamental para atender às metas de mudança climática.

Permitir que as baterias carreguem mais rapidamente pode ajudar nesta transição, explica o Inverse. A OVO Energy, que perguntou a duas mil pessoas por que não tinham comprado um carro elétrico, descobriu que 43% citaram o tempo necessário para carregar. Quando a Volvo solicitou no ano passado a 1.510 motoristas americanos de carros elétricos o recurso mais procurado em carregadores públicos, 48% disseram que queriam pagar mais para duplicar a velocidade de carregamento.

O CEO da Porsche, Oliver Blume, previu no início deste mês que os carros elétricos poderiam oferecer carregamento rápido como combustível nos próximos 10 anos. “O carregamento rápido é a chave para permitir a introdução generalizada de veículos elétricos”, disse Chao-Yang Wang, professor de engenharia química e de engenharia de materiais da Penn State, em comunicado.

O problema ao carregar uma bateria de iões de lítio em velocidade é que se degradam a temperaturas ambientes abaixo de 10ºC. Isso ocorre porque os iões de lítio começam a atingir os ânodos de carbono em vez de se inserirem suavemente.

O avanço da equipa foi o aquecimento da bateria para reduzir esses picos. Os investigadores criaram uma bateria que poderia carregar em 15 minutos a 10ºC edescobriram que, se empurrassem a bateria para 60ºC, poderiam carregar em apenas 10 minutos. “Levar esta bateria ao extremo de 60ºC é proibido”, disse Wang. “É muito alto e considerado um perigo para os materiais e reduziria drasticamente a vida útil da bateria”.

A equipa usou uma fina folha de níquel com uma extremidade conectada a um terminal negativo e a outra a um terceiro terminal fora da célula. Os eletrões que fluem através da película causam resistência ao aquecimento na película, o que faz com que a bateria aqueça. A bateria evitou a degradação do calor através do arrefecimento rápido após a conclusão da carga. Isto usaria o sistema de refrigeração do carro para reduzi-lo a temperaturas mais seguras.

A equipe de Wang não é a primeira a aquecer uma bateria para diminuir o tempo de carregamento. A Tesla anunciou um sistema semelhante que aqueceria a bateria para acelerar o tempo de carga em até 50%. Emparelhada com uma nova estação de 250 quilowatts, a empresa conseguiu reduzir o tempo médio de carregamento para 15 minutos.

Reduzir ainda mais os tempos pode ajudar a convencer os consumidores de que os veículos elétricos são o caminho a seguir. Em vez de se preocupar se um carro elétrico pode fazer a viagem com uma única carga, o consumidor pode voltar a fazer pausas curtas durante uma viagem, pausas essas que duram o mesmo que uma visita ao posto de gasolina para abastecer.

ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. É verdade. O aquecimento global é o novo bicho-papão depois da ameaça nuclear que ia destruir o mundo e se manteve durante décadas. Já repararam que ninguém fala nosso hoje em dia? Porque será?
    Novo bicho papão!

  2. é simples corrigir isso, é só criar um banco de baterias substituíveis que podem ser trocadas em postos de combustível, desta forma tira-se uma bateria fraca e coloca-se outra carregada no carro e prossegue a viagem.

  3. Ainda há de facto um longo caminho a percorrer sobretudo no caso das baterias, morosas a carregar e caras, depois no que nos toca, se agora nos iludem com alguns poucos incentivos assim que estes carros eléctricos passem a fazer parte do dia a dia não faltarão por cá impostos para compensar e sobre plantar os dos combustíveis, os nossos políticos são muito hábeis e atentos nestas coisas. Portanto se não ficarmos asfixiados com combustíveis iremos ficá-lo com impostos.

  4. Absurdo o que estar a acontecer no mundo , ninguém faz contas neste planeta ? O que vamos fazer com as mihoes de baterias daqui a uns 10 anos , sendo que a reciclagem é difícil e parcial dos elementos químicos. E os consumidores ? Baterias de 3 anos já estão ao montes a pipocar por ai , a um custo de quase o valor dos carros … fora que é muito sem graça dirigir um carro elétrico. rsrsrsr…

    • Só disparates e ignorância!…
      As baterias de lítio já são quase completamente recicláveis, duram bem mais do que 3 anos e claro que não custam “quase o valor do carro”!

      • claro que as baterias sao caras e depende da marca do carro
        pelo que passou nas tv´s a bateria de um nissan leaf ficava em 30.000€
        mais valia mandar o carro para a sucata e comprar um novo pelo mesmo valor,

RESPONDER

Acesso à Internet deve ser considerado direito humano básico

Uma nova investigação, levada a cabo pela Universidade de Birmingham, no Reino Unido, concluiu que acesso à Internet deve ser um direito humano básico, pois significa a capacidade participar na vida pública. Merten Reglitz, professor de …

Fórmula 1 quer atingir emissões zero de CO2 até 2030

A Fórmula 1 pretende reduzir a zero as emissões de CO2 até 2030, com base num plano que pretende “pôr em marcha de imediato”, anunciou esta terça-feira a Federação Internacional do Automóvel (FIA). O plano divulgado …

A Tesla vai lançar a sua misteriosa pickup “cyberpunk” elétrica ainda este mês

A nova Tesla Cybetruck já tem data de lançamento após um longo tempo de espera. O fundador da empresa, Elon Musk, anunciou que a carrinha "pickup" será revelada no dia 21 de novembro. O anúncio foi …

Asteróide "potencialmente perigoso" aproxima-se da Terra esta quarta-feira

Um asteróide com 147 metros de diâmetro, caracterizado pela NASA como "potencialmente perigoso" vai aproximar-se da Terra esta quarta-feira. Em causa está o corpo rochoso UN12 2019, explica a agência espacial norte-americana, dando conta que o …

Encontrado submarino da II Guerra Mundial que esteve perdido durante 75 anos (devido a um erro de tradução)

Uma equipa de exploradores oceânicos privada encontrou na costa do Japão um submarino do exército norte-americano do tempo da II Guerra Mundial, que estava desaparecido há 75 anos por causa de um erro num dígito …

Uma casa esteve a afundar-se no Tamisa para alertar para a subida do nível dos oceanos

No passado domingo, quem passou junto ao rio Tamisa, em Londres, não deverá ter ficado indiferente à típica casa dos subúrbios ingleses que se afundava perto da Tower Bridge. Felizmente, de acordo com a agência Reuters, …

A defesa de Lage é a melhor do Benfica em quase 30 anos

A defesa de Bruno Lage leva apenas quatro golos sofridos em 11 jornadas, o que faz dela a melhor defesa do campeonato e a melhor do Benfica desde a temporada de 1990/1991, escreve o jornal …

OE2020. “Não vamos para negociar”, esclarece Jerónimo de Sousa

O PCP vai reunir esta quarta-feira com o Governo com vista ao Orçamento de Estado para 2020. Jerónimo de Sousa esclareceu esta terça-feira que os comunistas não vão para negociar, sendo "manifestamente exagerado dizer que …

Benjamin "morreu" enquanto cumpria pena de prisão perpétua. Agora está vivo e quer a liberdade

Um norte-americano, de 66 anos, que cumpre pena de prisão perpétua por ter espancado um homem até à morte em 1996, pretendia ser libertado, uma vez que o seu coração parou por breves instantes. Em 1996, …

“Máfia do Sangue”. Ministério Público deixa Octapharma fora da acusação

O Ministério Público (MP) deixou a farmacêutica Octapharma fora da acusação da operação "O Negativo" por considerar que o ex-administrador Lalanda e Castro montou um esquema de corrupção para a venda de plasma ao Serviço …