Carros elétricos poderão carregar em 10 minutos graças a esta inovação

Investigadores da Universidade de Penn State inventaram uma forma de carregar uma bateria de carro elétrico de ião de lítio em apenas 10 minutos, prontos para mais 321 a 482 quilómetros de condução.

A investigação, publicada na revista especializada Joule, mostra que a técnica pode funcionar enquanto mantém 2.500 ciclos de carga – ou o equivalente a 804.672 quilómetros de viagem.

O Statista mostra que o número de veículos elétricos com bateria em uso aumentou globalmente 50% em relação ao ano passado, saltando de 1,9 milhões em 2017 para 3,3 milhões em 2018. Mas essa é uma pequena fração do número total de carros nas estradas do mundo, estimado em mais de mil milhões em 2015 por Bernstein.

Como o transporte rodoviário é responsável por cerca de 16,5% das emissões globais, a mudança para um meio de mobilidade mais limpo é fundamental para atender às metas de mudança climática.

Permitir que as baterias carreguem mais rapidamente pode ajudar nesta transição, explica o Inverse. A OVO Energy, que perguntou a duas mil pessoas por que não tinham comprado um carro elétrico, descobriu que 43% citaram o tempo necessário para carregar. Quando a Volvo solicitou no ano passado a 1.510 motoristas americanos de carros elétricos o recurso mais procurado em carregadores públicos, 48% disseram que queriam pagar mais para duplicar a velocidade de carregamento.

O CEO da Porsche, Oliver Blume, previu no início deste mês que os carros elétricos poderiam oferecer carregamento rápido como combustível nos próximos 10 anos. “O carregamento rápido é a chave para permitir a introdução generalizada de veículos elétricos”, disse Chao-Yang Wang, professor de engenharia química e de engenharia de materiais da Penn State, em comunicado.

O problema ao carregar uma bateria de iões de lítio em velocidade é que se degradam a temperaturas ambientes abaixo de 10ºC. Isso ocorre porque os iões de lítio começam a atingir os ânodos de carbono em vez de se inserirem suavemente.

O avanço da equipa foi o aquecimento da bateria para reduzir esses picos. Os investigadores criaram uma bateria que poderia carregar em 15 minutos a 10ºC edescobriram que, se empurrassem a bateria para 60ºC, poderiam carregar em apenas 10 minutos. “Levar esta bateria ao extremo de 60ºC é proibido”, disse Wang. “É muito alto e considerado um perigo para os materiais e reduziria drasticamente a vida útil da bateria”.

A equipa usou uma fina folha de níquel com uma extremidade conectada a um terminal negativo e a outra a um terceiro terminal fora da célula. Os eletrões que fluem através da película causam resistência ao aquecimento na película, o que faz com que a bateria aqueça. A bateria evitou a degradação do calor através do arrefecimento rápido após a conclusão da carga. Isto usaria o sistema de refrigeração do carro para reduzi-lo a temperaturas mais seguras.

A equipe de Wang não é a primeira a aquecer uma bateria para diminuir o tempo de carregamento. A Tesla anunciou um sistema semelhante que aqueceria a bateria para acelerar o tempo de carga em até 50%. Emparelhada com uma nova estação de 250 quilowatts, a empresa conseguiu reduzir o tempo médio de carregamento para 15 minutos.

Reduzir ainda mais os tempos pode ajudar a convencer os consumidores de que os veículos elétricos são o caminho a seguir. Em vez de se preocupar se um carro elétrico pode fazer a viagem com uma única carga, o consumidor pode voltar a fazer pausas curtas durante uma viagem, pausas essas que duram o mesmo que uma visita ao posto de gasolina para abastecer.

ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. É verdade. O aquecimento global é o novo bicho-papão depois da ameaça nuclear que ia destruir o mundo e se manteve durante décadas. Já repararam que ninguém fala nosso hoje em dia? Porque será?
    Novo bicho papão!

  2. é simples corrigir isso, é só criar um banco de baterias substituíveis que podem ser trocadas em postos de combustível, desta forma tira-se uma bateria fraca e coloca-se outra carregada no carro e prossegue a viagem.

  3. Ainda há de facto um longo caminho a percorrer sobretudo no caso das baterias, morosas a carregar e caras, depois no que nos toca, se agora nos iludem com alguns poucos incentivos assim que estes carros eléctricos passem a fazer parte do dia a dia não faltarão por cá impostos para compensar e sobre plantar os dos combustíveis, os nossos políticos são muito hábeis e atentos nestas coisas. Portanto se não ficarmos asfixiados com combustíveis iremos ficá-lo com impostos.

  4. Absurdo o que estar a acontecer no mundo , ninguém faz contas neste planeta ? O que vamos fazer com as mihoes de baterias daqui a uns 10 anos , sendo que a reciclagem é difícil e parcial dos elementos químicos. E os consumidores ? Baterias de 3 anos já estão ao montes a pipocar por ai , a um custo de quase o valor dos carros … fora que é muito sem graça dirigir um carro elétrico. rsrsrsr…

    • Só disparates e ignorância!…
      As baterias de lítio já são quase completamente recicláveis, duram bem mais do que 3 anos e claro que não custam “quase o valor do carro”!

      • claro que as baterias sao caras e depende da marca do carro
        pelo que passou nas tv´s a bateria de um nissan leaf ficava em 30.000€
        mais valia mandar o carro para a sucata e comprar um novo pelo mesmo valor,

RESPONDER

Veneno de caracol marinho usado para criar insulina híbrida promissora no tratamento da diabetes

Cientistas criaram uma versão minimalista e híbrida de insulina, a partir da hormona humana e de um caracol marinho, que pode vir a melhorar o tratamento da diabetes, divulgou a universidade norte-americana de Ciências da …

Sequelas da covid-19 em doentes mais graves ainda estão por compreender

O acompanhamento depois da alta para doentes que estiveram internados com covid-19 é um dos grandes desafios do sistema de saúde para compreender que sequelas, por enquanto desconhecidas, a doença poderá deixar. “Só daqui a seis …

Criança nasce com duas bocas nos EUA. É o 35.º caso registado desde 1900

A menina, nascida nos Estados Unidos, foi operada ao seis meses para remover a cavidade oral secundária, que incluía dentes, língua e um lábio. Uma bebé nasceu nos Estados Unidos com duas bocas, devido a uma …

Funcionários do Facebook em "greve virtual" face à recusa de Zuckerberg em agir contra Trump

Os funcionários do Facebook estão insatisfeitos com a decisão do fundador da rede social de manter uma postura neutra perante as recentes publicações do Presidente dos Estados Unidos. De acordo com o jornal The Guardian, os …

Inteligência Artificial recria "verdadeiro" rosto de Napoleão Bonaparte

Recorrendo a uma técnica de Inteligência Artificial, um artista holandês criou um retrato em alta definição do imperador francês Napoleão Bonaparte. O fotógrafo freelancer holandês Bas Uterwijk, cujo pseudónimo é Gandbrood, recorreu a uma rede neuronal …

"Apito" da covid-19. Novo teste deteta novo coronavírus em apenas um minuto

Uma equipa de cientistas da Universidade Ben-Gurion, em Israel, desenvolveu um novo dispositivo que é capaz de detetar a presença do novo coronavírus no organismo humano em apenas um minuto. O novo teste, desenvolvido pelos investigadores …

"We Call it Alentejo". Novo filme promocional destaca as maravilhas alentejanas

A gastronomia e vinhos, as pequenas aldeias, a sustentabilidade e a natureza são atributos do Alentejo evidenciados no mais recente filme promocional do território, lançado pela agência regional de promoção turística para chamar visitantes estrangeiros. Com …

Curandeiro convocou cerca de 100 pessoas para se abraçarem contra a "farsa" da pandemia

Josep Pàmies, um agricultor espanhol defensor das terapias alternativas, convocou cerca de 100 pessoas a abraçarem-se a beijarem-se contra a "farsa" da pandemia. No sábado, cerca de uma centena de pessoas juntaram-se em Balanguer, na província …

Rússia anuncia início de ensaios clínicos de uma vacina contra a covid-19

A Rússia vai começar os ensaios clínicos de uma vacina contra a covid-19 em 50 soldados que se ofereceram para participar nos testes, anunciou esta terça-feira o Ministério da Defesa. "Para verificar a segurança e eficácia …

Montenegro tem uma carta na manga para promover o turismo

Para incentivar o turismo, Montenegro tem a intenção de usar a carta da segurança sanitária para convencer os turistas estrangeiros a visitar o país. No dia 25 de maio, Montenegro declarou-se um "país livre de coronavírus" …