Banqueiro Carlos Silva nega ter contratado Orlando Figueira

Mário Cruz / Lusa

O arguido e ex-procurador do Ministério Público Orlando Figueira, à chegada para julgamento da Operação Fizz.

O banqueiro luso-angolano negou, esta segunda-feira, em julgamento, que tenha oferecido emprego ao ex-procurador para ir trabalhar para o BPA Angola, contrariando declarações do arguido.

Carlos José da Silva, que começou hoje a ser ouvido como testemunha no julgamento da Operação Fizz, foi apontado por Orlando Figueira como o responsável pelo seu contrato de trabalho, nunca cumprido, para ir trabalhar para Angola como assessor jurídico do Banco Privado Atlântico.

A testemunha começou por explicar que conheceu Orlando Figueira quando se deslocou ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) para depor como testemunha num processo e confirmou que uns dias depois foram almoçar a um hotel.

Contudo, desmentiu o arguido, dizendo que “nunca falaram de trabalho”, nem na hipótese de o ex-procurador ir trabalhar para o BPA.

Não falámos de coisíssima nenhuma de trabalho, nem de ir para Angola. Ninguém trocou de telemóveis nem emails”, disse a testemunha, que garantiu também que não conheceu o ex-procurador em Angola, ao contrário do que o arguido disse.

O banqueiro, interrogado pela procuradora, referiu que nunca mais se encontrou com Orlando Figueira, nem falou com o advogado Proença de Carvalho.

Contudo, contou que o advogado e arguido Paulo Blanco lhe telefonou a perguntar se “havia algum desafio” para Orlando Figueira no BPA e que a forma que encontrou para resolver a questão “foi sugerir que falasse com Paulo Marques”, fundador e acionista do BPA, que já morreu. “A minha intervenção ficou por aí”, acrescentou.

De seguida, confrontado com vários emails enviados para si pelo advogado e também arguido Paulo Blanco, Carlos Silva disse que não os tinha recebido, escudando-se no facto de ser atarefado, de ter quatro caixas de emails e de ter uma assistente que gere a sua correspondência.

“Desconheço, não li, não chegou”, foi assim que reagiu quando confrontado com um email de Paulo Blanco sobre a minuta de um contrato de trabalho de Orlando Figueira com a Finicapital, uma empresa parceira do BPA.

Disse também que não conheceu qualquer representante da empresa Portmill.

No final da sessão da manhã Carlos Silva não falou com os jornalistas, justificando com respeito pelo tribunal.

Orlando Figueira pede acareação

Na versão de Orlando Figueira, o presidente do BPA e vice-presidente do Millenium tinha-lhe oferecido um contrato de trabalho para ser assessor jurídico do banco angolano, facto que nunca se concretizou e que terminou com a intervenção do advogado Daniel Proença de Carvalho para sanar o diferendo.

Desagradado com as declarações da testemunha, Orlando Figueira pediu uma acareação com o banqueiro, aguardando-se a decisão do tribunal.

À saída do tribunal, Orlando Figueira disse que Carlos Silva mentiu, questionando como é possível alguém acreditar que ele não tenha recebido os e-mails referidos em julgamento.

“Depois de dois anos de maldade que este indivíduo fez a um homem com 23 anos imaculados de magistratura que tivesse metido a mão na consciência e viesse dizer a verdade e não veio”, disse o ex-procurador.

Paulo Blanco disse que desde o princípio assumiu tudo o que fez “com honradez” e que esperou “durante algum tempo que também assumissem aquilo que fizeram”, acrescentando que entre depoimentos e documentos juntos ao processo “o tribunal saberá avaliar muito bem a prova”.

A Operação Fizz assenta na acusação de que o ex-vice-Presidente angolano, Manuel Vicente, corrompeu Orlando Figueira, com o pagamento de 760 mil euros, para que este arquivasse dois inquéritos, um deles o caso da empresa Portmill, relacionado com a aquisição de um imóvel de luxo no Estoril em 2008.

Após a separação da matéria criminal que envolve Vicente, que foi também presidente da Sonangol, o processo tem como arguidos Orlando Figueira, o empresário Armindo Pires e Paulo Blanco.

O ex-procurador do DCIAP está pronunciado por corrupção passiva, branqueamento de capitais, violação de segredo de justiça e falsificação de documentos, o advogado Paulo Blanco por corrupção ativa em coautoria, branqueamento também em coautoria, violação de segredo de justiça e falsificação de documento em coautoria.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Se em cada julgamento existir pelo menos um mentiroso, quantos mentirosos juram dizer a verdade por ano em Portugal? Em 2016 entre processos julgados e pendentes ou incompletos o total era de 2 milhões. Logo seriam talvez 1 milhão de mentirosos, pelo menos. 10% da população. Os nossos pais não ensinaram que mentir é feio?

RESPONDER

Coreia do Norte não está interessada em mais cimeiras com os EUA

A Coreia do Norte advertiu, esta segunda-feira, que "não está interessada" em mais cimeiras com os Estados Unidos, se Washington persistir na recusa em fazer concessões. A Coreia do Norte deu a Washington até ao final …

Refugiado detido que escreveu um livro pelo Whatsapp conquista a liberdade

O jornalista e escritor curdo-iraniano Behrouz Boochani, que estava detido há seis anos num centro de imigrantes na Austrália, conquistou a liberdade. Boochani escreveu, através de mensagens da rede social Whatsapp, o livro “No Friend But …

Pinto Luz não se resigna a disputar "campeonato dos pequeninos"

O candidato à liderança social-democrata afirmou, esta segunda-feira, não se resignar a um partido que disputa o "campeonato dos pequeninos" ou é "uma segunda escolha do PS", pedindo a "quem não gosta deste PSD" que …

Militares portugueses já salvaram mais de 14 mil migrantes no Mediterrâneo

Marinha, Polícia Marítima e Unidade de Controlo de Costa da GNR, ao serviço da agência Frontex, no sul de Espanha e de Itália, já resgataram 14.151 migrantes no Mediterrâneo desde 2014. As equipas militares portuguesas, a …

Estudantes de Medicina dizem adeus ao "terrível" Harrison

Mais de 2.700 recém-licenciados de Medicina realizaram, esta segunda-feira, a Prova Nacional de Acesso (PNA), que substitui o "terrível" Harrison. Esta segunda-feira, mais de 2.700 candidatos responderam pela primeira vez a 150 questões da Prova Nacional …

Vítimas de legionella de Vila Franca de Xira reclamam 2,6 milhões ao Estado

A Associação de Apoio às Vítimas do Surto de Legionella de Vila Franca de Xira reclama uma indemnização de 2,6 milhões de euros por falhas e omissões de entidades públicas em relação às vítimas que ficaram …

Pelo menos três mortos em tiroteio em supermercado no Oklahoma

Pelo menos três pessoas morreram, esta segunda-feira, num tiroteio num supermercado da cadeia Walmart em Duncan, cidade do Estado norte-americano Oklahoma. O responsável da polícia de Duncan, Danny Ford, citado pela televisão local TNN-ABC, indicou que …

Benfica tem 125 jogadores com contrato profissional. Sporting tem 123 e o FC Porto só 80

O Benfica tem assinado contratos profissionais com cada vez mais jogadores, ao longo dos últimos anos. Actualmente, o clube da Luz tem contrato com 125 atletas. O Sporting está lá perto, com vínculos profissionais com …

Rússia está a negociar a troca de espiões ao estilo do que acontecia na Guerra Fria

A Rússia, a Noruega e a Lituânia realizaram recentemente uma troca de espiões, garantindo o retorno de vários agentes capturados aos seus países de origem. De acordo com chefe da contrainteligência lituana, citado pelo Moscow Times, …

"Totalmente depauperado". Bruno de Carvalho pede dispensa das sessões de julgamento

O ex-presidente do Sporting, que disse ser comentador desportivo, pediu dispensa das sessões, alegando não ter meio de transporte e estar completamente "depauperado". Arrancou, esta segunda-feira, no Tribunal de Monsanto, em Lisboa, o julgamento de 44 …