Carlos III herdou o trono. Mas o que mais lhe deixou Isabel II?

Lukas Coch / EPA

Rei Carlos III

Todos os bens e ativos que o rei Carlos III herdou da mãe, a rainha Isabel II, passam para a sua posse sem qualquer custo. O herdeiro está livre do imposto sucessório devido a uma medida estabelecida há quase 30 anos pelo primeiro-ministro da altura, John Major. 

Entre os bens herdados estão o Ducado de Lancaster, cujas propriedades rurais se localizam entre Inglaterra e o País de Gales, ocupando cerca de 18 mil hectares. Essas incluem terras para fins “comerciais, agrícolas e residenciais” em Lancashire, Yorkshire, Cheshire, Staffordshire e Lincolnshire, como indica a página oficial.

Os maiores terrenos e bens imóveis que agora pertencem ao rei são geridos pelo Tesouro da Coroa (o Crown Estate) – bens em zonas centrais da capital britânica (como St. James e Regent Street, em West End) e terrenos rurais, que vão de Southampton até Newcastle.

Segundo o National Geographic, a herança inclui metade da zona costeira de partes de Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte – cerca de 12 milhas náuticas de costa.

As propriedades de Norfolk e Balmoral em Aberdeenshire, na Escócia, e um estábulo de cavalos de corrida estão também entre os bens herdados por Carlos III, referiu o Guardian. A coleção de selos reais, com início em 1840, está avaliada em 100 milhões de libras.

Em junho, o mesmo jornal revelou que, ao tornar os testamentos privados, os Windsors conseguiram ocultar do público vários bens como joias, propriedades e dinheiro. Segundo a Forbes, Carlos III é agora detentor de 500 milhões de dólares em ativos pessoais.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.