O Budismo é a religião da paz. E não foi por acaso que conseguiu esta reputação

No ocidente, muitas pessoas associam o budismo à paz. No entanto, os budistas têm vindo a envolver-se em conflitos violentos desde o surgimento da religião.

Num artigo assinado no The Conversation, Nick Swann, professor de Estudos Budistas da University of South Wales, explica que o budismo é frequentemente associado à paz devido ao colonialismo e aos missionários cristãos.

Quando se depararam com as diferentes crenças dos povos colonizados, os missionários adotaram uma estratégia para enaltecer o cristianismo: apresentaram o islamismo como uma religião muito agressiva e focadana adesão estrita às regras; e o budismo como uma doutrina pacifista e passiva ao ponto de estagnar.

O Buda desencorajou a violência e aconselhou os reis a encontrar maneiras alternativas de resolver os problemas. No entanto, os budistas têm vindo a envolver-se em conflitos violentos desde o surgimento da religião.

Normalmente, as justificações para estes atos de violência baseiam-se na defesa do Dharma (os ensinamentos budistas), demonizando ou desumanizando o inimigo para tornar carmicamente menos errado matá-lo, explica o professor.

As tensões entre grupos étnicos budistas e muçulmanos no estado de Rakhine, em Myanmar, transformaram-se em tumultos em 2012 e acabaram por desencadear o deslocamento de mais de 700 mil muçulmanos rohingya para o vizinho Bangladesh.

Embora se descreva explicitamente como não violento e não responsável por esses eventos, o Movimento 969 nacionalista budista alimentou sentimentos antimuçulmanos em Myanmar e enquadrou os muçulmanos como uma ameaça à identidade nacional.

Os monges budistas também usaram armas e lutaram na defesa coreana contra as invasões japonesas do final do século XVI.

Apesar de o serviço militar não ser proibido nos textos budistas, a vida de um soldado é considerada problemática por causa da probabilidade de morrer em batalha e pela fixação na violência. Idealmente, um budista deseja morrer com uma mente calma, para que seja atraída por um renascimento positivo.

Uma mente violenta pode levar alguém aos reinos do inferno do budismo.

Ainda assim, e apesar de dar alguns exemplos de violência budista, o professor salvaguarda que o estereótipo pacifista do budismo não é sem fundamento.

Dalai Lama é um exemplo de oposição contínua à violência. O ativismo pela paz do monge vietnamita Thich Nhat Hanh ou os esforços dos budistas Navayana (“Ambedkarite”) em relação à justiça social na Índia também são um bom exemplo que explica por que motivo tantas pessoas associam o budismo à paz.

No fundo, o budismo é tão diverso quanto o cristianismo ou o islamismo – e é preciso sermos cautelosos quando fazemos generalizações.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Religiões… mais ou menos pacifista, o objetivo delas é sempre o mesmo: estupidificar e condicionar o desenvolvimento humano!

RESPONDER

Vacinas contra a covid-19 para menores de 16 anos podem ser aprovadas em breve

Vacinas contra a covid-19 para menores de 16 anos podem ser aprovadas em breve. Contudo, os especialistas têm dúvidas em relação à necessidade de vacinar os mais jovens. Atualmente há apenas uma vacina contra a covid-19, …

Netanyahu não conseguiu formar Governo em Israel. Segue-se Lapid

Esta quarta-feira, Reuven Rivlin, Presidente de Israel, chamou Yair Lapid, líder do partido Yesh Atid, para lhe entregar a responsabilidade de formar um Governo que consiga o apoio do Knesset (Parlamento). O partido de Yair Lapid, …

Almofada de prevenção contra a pandemia. Câmara de Lisboa quer pedir 20 milhões à banca

A Câmara Municipal de Lisboa quer contrair um empréstimo de 20 milhões de euros junto do BPI, uma almofada de prevenção para fazer face às despesas correntes emergentes do combate à pandemia de covid-19. O Público …

Resort Zmar

BES, falência e um fundo abutre. Resort Zmar "deve 60 milhões de euros ao Estado"

Os proprietários das casas privadas do empreendimento turístico Zmar, na Zambujeira do Mar, em Odemira, continuam a protestar contra o alojamento de imigrantes por causa da covid-19. Isto numa altura em que se revela que …

Há estranhas rádios-fantasma na Rússia (e exploradores entraram numa delas)

Aos 14 anos, um jovem comprou um rádio de ondas curtas e estava a testá-lo quando encontrou a transmissão errada - uma rádio fantasma. Imagine que é um entusiasta da rádio, sozinho à noite, a trabalhar …

Deputado do Bloco acusado de violência doméstica avança com queixa em tribunal

Catarina Alves, ex-namorada do deputado Luís Monteiro, acusa-o de violência doméstica. O bloquista nega as acusações e diz que vai apresentar queixa no tribunal. Luís Monteiro vai apresentar queixa contra a ex-namorada que o acusou de …

Gestão do Novo Banco vai receber bónus de 3,9 milhões em 2022

A equipa de administração do Novo Banco tem à sua espera um bónus de 3,9 milhões de euros no próximo ano. O banco registou prejuízos de 1.329 milhões de euros no ano passado. O Novo Banco …

Ainda não há planos para vacinar voluntários com AstraZeneca e J&J (nem dados sobre combinação de vacinas)

A vacinação de voluntários com menos de 60 ou 50 anos que aceitem receber as vacinas da AstraZeneca ou da Johnson & Johnson ainda não tem planos ou datas para arrancar. A Comissão de vacinação …

Celebrar ou cancelar Napoleão? 200.º aniversário da morte do imperador desperta debate em França

No 200.º aniversário da morte de Napoleão Bonaparte, o presidente francês Emmanuel Macron optou por fazer o que os seus antecessores evitaram. Ao escolher colocar uma coroa de flores esta quarta-feira no túmulo de Napoleão sob …

Costa começa a namorar a esquerda. Negociações do Orçamento arrancam em julho

O Governo está a preparar-se para arrancar com as reuniões preliminares de negociação do Orçamento do Estado para 2022. O Público avança, esta quinta-feira, que os encontros formais vão ser realizados com os partidos de esquerda …