Bruno de Carvalho perde advogado e enfrenta Cândida em tribunal

Tiago Petinga / Lusa

Bruno de Carvalho, ex-presidente do Sporting

O advogado de Bruno de Carvalho, José Preto, abandonou a defesa do ex-presidente leonino. Esta quarta-feira, o mais carismático arguido da invasão à academia de Alcochete será ouvido em tribunal pela procuradora Cândida Vilar, com a qual já teve atritos no passado.

A relação entre Bruno de Carvalho e Cândida Vilar não começou da melhor maneira. A procuradora, ainda sem provas concretas, acusou o antigo presidente leonino de ter orquestrado o ataque à academia do clube, em Alcochete. Cândida pediu mesmo a prisão preventiva, mas o juiz Carlos Delca entendeu que não havia indícios suficientes.

As tensões imediatamente escalaram entre os dois e o ex-presidente acusou Cândida Vilar de ou “ter uma agenda” ou “um distúrbio“. Esta quarta-feira, encontram-se pela primeira vez em tribunal, onde Bruno de Carvalho deverá ser ouvido no Campus da Justiça.

O processo ainda está na fase de instrução fundamentalmente devido a quatro pedidos de recusa feitos ao juiz Carlos Delca. Apesar de tudo, o juiz já revelou o que pensa em relação ao envolvimento de Bruno de Carvalho neste caso, considerando que há indícios, mas que simplesmente não são muito fortes.

De acordo com o Tribuna Expresso, durante os seis meses que Cândida Vilar esteve a investigar o caso, não conseguiu encontrar nenhuma prova direta que associasse Bruno de Carvalho aos crimes cometidos na academia de Alcochete.

Os indícios que restam são relativos a uma suposta alegação do líder da claque leonina, “Mustafá”, que terá dito que havia luz verde do presidente para o ataque à academia. Esta informação foi dada por Bruno Jacinto, oficial de ligação entre os adeptos e o clube, mas foi negada em tribunal pelo próprio “Mustafá”.

Cândida Vilar realçou que a investigação não estava terminada e que ainda haviam arestas por limar. Nomeadamente, falta recuperar mensagens apagadas do telemóvel do antigo manager do clube, André Geraldes. Bruno Jacinto terá avisado-o do ataque que iria acontecer.

A situação de Bruno de Carvalho também não está nas melhores condições, já que o antigo presidente leonino ficou recentemente sem o seu advogado, José Preto.

O afastamento foi justificado por um requerimento enviado ao juiz Carlos Decla, no qual é explicado que foi entregue um parecer assinado por José Manuel Anes, ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo, que alega que a acusação de terrorismo aos 44 arguidos deste caso é infundada e não tem cabimento.

Em declarações ao Diário de Notícias, José Preto disse “estar em divergência com algumas coisas”, mas que o motivo principal é o documento que chegou ao processo por outro elemento da equipa jurídica, Roberto Silva Carvalho.

Acho grotesco que se entregue um parecer de uma pessoa que não é jurista. Em matéria de direito, um parecer de um não jurista é proibido. Acho imperdoável que o meu ilustre constituinte se tenha deixado manipular desta maneira”, rematou.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Bruninho, o teu problema é falares muito… A coca tem dessas coisas!
    Fosses mais calmo e desses menos na branca e tinha tido outra sorte…

Governo vira-se para Rio para mudar a lei e garantir o novo aeroporto

O Governo está a preparar uma alteração à Lei para evitar que o projecto do novo aeroporto do Montijo seja chumbado. Uma medida que passará, necessariamente, pela necessidade de um entendimento entre PS e PSD …

"Entretenimento saudável". Santa Casa desvaloriza estudo sobre raspadinhas

O Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa desvalorizou a investigação da Universidade do Minho que aponta para o vício das raspadinhas. Esta sexta-feira, um artigo científico publicado na The Lancet alertou para …

"Diga-lhe para ligar ao FBI". Autocarro com a cara do príncipe André circula em Londres

Um autocarro escolar, com a cara do príncipe André, andou a circular por Londres, esta sexta-feira, numa campanha da advogada Gloria Allred para pressionar o filho da Rainha a falar com o FBI. Esta sexta-feira, um autocarro …

Suspeito de terrorismo ouvido em tribunal (com o juiz a recusar ver os seus vídeos por não ter Internet)

O arguido Rómulo Costa, um dos oito portugueses acusados por financiamento ao terrorismo e recrutamento, adesão e apoio ao Estado Islâmico, foi interrogado, esta sexta-feira, na fase de instrução do processo que vai decorrer no …

FC Porto recorre do castigo de um jogo à porta fechada

O FC Porto vai recorrer do castigo de um jogo à porta fechada, aplicado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) por ofensa a um agente desportivo. "O FC Porto vai recorrer …

Moita Flores investigado por corrupção. Antigo PJ fala em "coincidência" com empréstimo aos filhos

Francisco Moita Flores, antigo inspector da Polícia Judiciária e ex-presidente da Câmara de Santarém, está a ser investigado por suspeitas de corrupção. Há transferências de dinheiro de uma construtora para empresas a que esteve ligado …

SOS Animal vai constituir-se assistente no processo contra João Moura

A SOS Animal anunciou, esta sexta-feira, que se vai constituir assistente no processo criminal contra o cavaleiro tauromáquico detido, na quarta-feira, por suspeitas de maus-tratos a cães em Monforte, no distrito de Portalegre. Em comunicado, a SOS …

SMS de Rangel revelam teia de corrupção na Relação de Lisboa. Juiz Vaz das Neves tem empresa contra a lei

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Luís Vaz das Neves, que foi constituído arguido na Operação Lex, tem uma empresa que se dedica à arbitragem extrajudicial de conflitos, o que constitui uma violação …

Presidente da PwC esteve em Lisboa para controlar danos do Luanda Leaks

O presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC) esteve em Lisboa, há duas semanas, para controlar os danos provocados pelo caso Luanda Leaks. Bob Moritz, presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC), esteve em Lisboa, há duas semanas, para perceber até …

CM Lisboa vai negociar avenças em parques para moradores da envolvente da Baixa

O presidente da Câmara de Lisboa afirmou, esta sexta-feira, que a autarquia irá tentar acordar com os operadores dos parques de estacionamento da envolvente da Zona de Emissões Reduzidas da Baixa-Chiado a criação de "avenças …