Há boas notícias para os astronautas sobre a radiação espacial

NASA

Um estudo da Mortality Research & Consulting, uma consultora norte-americana, analisou a saúde de mais de 400 pessoas que estiveram no Espaço e concluiu que a exposição a radiações espaciais não aumenta a probabilidade de contraírem cancro ou doenças cardiovasculares.

O Espaço é um ambiente hostil e coloca os astronautas em contacto com altos níveis de radiação. Esta exposição pode aumentar as taxas de cancro e de doenças cardiovasculares em seres humanos.

Mas um novo estudo traz agora boas notícias: a radiação espacial não parece aumentar o risco de morte por cancro ou doença cardíaca, pelo menos não nas doses a que os astronautas são submetidos durante as missões espaciais. No entanto, missões longas podem sujeitar estes seres humanos a doses maiores de radiação que podem, consequentemente, representar maiores riscos para a sua saúde.

A verdade é que as viagens espaciais expõem o corpo a níveis altos de radiação ionizante, muito maiores do que aqueles a que estamos sujeitos aqui na Terra. Em altas doses, a radiação está ligada a cancro e a doenças cardíacas, assim como a uma série de outros problemas de saúde.

Estudos anteriores não encontraram ligações entre viagens espaciais e um aumento de risco de morte por cancro ou doenças cardíacas, mas esses estudos poderiam ter uma amostra demasiado pequena para se poder retirar uma conclusão credível, uma vez que, até hoje, muito poucas pessoas foram até ao Espaço.

A mais recente investigação analisou informações de 418 viajantes espaciais, entre eles 301 astronautas da NASA e 117 cosmonautas russos que viajaram até ao Espaço pelo menos uma vez desde 1961. Neste período de tempo, 89 dos participantes faleceram.

Entre os 53 astronautas da NASA, 30% morreram de cancro e 15% de doenças cardíacas; enquanto que entre os 36 cosmonautas russos, 50% morreu de doenças cardíacas e 28% de cancro.

Segundo o Space, os cientistas usaram uma técnica estatística especial para determinar se as mortes por cancro e doenças cardíacas tinham uma causa comum – neste caso, a radiação espacial, mas os resultados não apontaram nenhuma.

“Se a radiação ionizante está a afetar o risco de morte devido a cancro e doenças cardiovasculares, o efeito não é dramático“, escreveram os autores do artigo científico, publicado a 4 de julho na Scientific Reports. Apesar de ser uma boa notícia para os aventureiros do Espaço, a verdade é que o estudo não pode determinar se missões mais longas representariam riscos diferentes e mais sérios.

“É importante ressalvar que futuras missões espaciais poderão sujeitar os astronautas a doses muito maiores de radiação, o que levará a um perfil de risco diferente para futuros astronautas e cosmonautas”, concluíram os cientistas. Estudos futuros “devem continuar a vigiar os astronautas por potenciais efeitos nocivos da exposição à radiação espacial”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

ROUGHIE. Planador subaquático observa silenciosamente os mares (sem perturbar a vida selvagem)

Os veículos subaquáticos autónomos tornaram-se ferramentas versáteis para explorar os mares. Porém, estas ferramentas podem ser prejudiciais para o meio ambiente ou ter problemas em movimentar-se em espaços confinados. Uma equipa de investigadores da Purdue University, …

Igreja cipriota pede que a música "demoníaca" da Eurovisão seja cancelada. Governo rejeita

El Diablo foi a canção escolhida para representar o Chipre no festival da Eurovisão, que terá lugar em Roterdão, em maio. A música cipriota da Eurovisão está a causar polémica. A Igreja Ortodoxa do Chipre pediu, …

Cientistas propõem que indústria da moda pague "royalties" pelo padrão leopardo

Cientistas de Oxford, no Reino Unido, propõem que a indústria da moda comece a pagar royalties pelo uso do padrão que imita a pele de leopardo, para tentar ajudar a reverter o declínio deste felino. "O …

André Ventura foi reeleito presidente do Chega com 97,3% (e deixou recados ao PSD)

André Ventura foi reeleito este sábado, com 97,3% dos votos nas eleições internas para a presidência do Chega. O presidente demissionário do Chega foi reeleito este sábado com 97,3% dos votos, percentagem que considerou legitimá-lo para …

Uma das maiores camas do céu. JetBlue revela a nova classe executiva do Airbus A321neo

Uma das maiores camas no céu deverá estrear dentro de alguns meses, quando a JetBlue começar a voar com os seus A321neo de Boston e Nova Iorque a Londres. No dia 26 de fevereiro, a norte-americana …

Putin diz que Internet pode destruir a sociedade se não for regida pela moral

 Internet pode destruir a sociedade a partir se não não for regida por valores e leis da moral, considerou Vladimir Putin. O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, advertiu que a Internet pode destruir a sociedade a …

China torna-se o primeiro país do mundo a ter mais de mil multimilionários

A China tornou-se o primeiro país do mundo a ultrapassar a marca dos mil multimilionários, tendo neste momento um total de 1058 pessoas que têm a sorte de poder fazer parte desse grupo restrito. De acordo …

Gil Vicente 0-2 Porto | Vida fácil para o “dragão” em Barcelos

O FC Porto venceu o Gil Vicente em Barcelos, por 2-0. Pepe e Corona saíram ao intervalo com problemas físicos. O Porto foi a Barcelos conquistar três pontos de forma tranquila, perante um Gil Vicente que …

Na Índia, o comércio ilegal de burros está a crescer. A sua carne é considerada afrodisíaca

Viagra? Não, a população do estado de Andhra Pradesh, na Índia, tem um novo método para aumentar o desejo sexual: carne de burro. Esta crença está a fazer com que o comércio ilegal de carne …

Com as fronteiras fechadas, companhia aérea australiana lança "voos mistério"

A companhia aérea australiana Qantas anunciou “voos mistério”, nos quais os passageiros não fazem ideia para onde vão, numa tentativa de atrair mais clientes. As fronteiras internacionais da Austrália estão atualmente fechadas e parece improvável que …