Biorreator de algas consegue remover tanto dióxido de carbono quanto meio hectare de árvores

Um biorreator de algas pode ser mais eficiente do que árvores no que toca à remoção de dióxido de carbono do ar. Esta tecnologia pode ser uma solução mais prática no combate às alterações climáticas.

Não são apenas as árvores que conseguem combater as alterações climáticas removendo o dióxido de carbono. Também as algas têm esta capacidade e podem desempenhar um papel importante para inverter a crise ambiental. As algas marinhas também ajudam a mitigar a acidificação e a desoxigenação do mar.

Com tanto potencial à vista, os cientistas aproveitaram para desenvolver um biorreator de algas. A tecnologia foi desenvolvida pela Hypergiant Industries e alia estes organismos a um sistema de aprendizagem automática. A empresa garante que o biorreator tem capacidade para remover tanto dióxido de carbono como meio hectares de árvores.

Com menos de dois metros de largura e pouco mais de dois metros de comprimento consegue, segundo as estimativas, recolher duas toneladas de dióxido de carbono.

“Estamos a pensar em soluções para as alterações climáticas num âmbito muito restrito”, disse o CEO da Hypergiant Industries, Ben Lamm, em declarações à Inverse. “As árvores fazem parte da solução, mas existem muitas outras soluções biológicas que são úteis. As algas são muito mais eficazes do que as árvores na redução de carbono na atmosfera e podem ser usadas para criar combustíveis, plásticos, têxteis, alimentos, fertilizantes e muito mais”.

Apesar dos esforços em utilizar energias renováveis, as emissões de dióxido de carbono aumentaram no ano passado — pelo que se exige um maior comprometimento e, quem sabe, novas soluções. O biorreator de algas pode ser uma delas, já que ocupa muito menos espaço do que as árvores e consegue ser mais eficiente.

Para a sua sustentabilidade, as algas precisam de luz, água e dióxido de carbono. “Um dos nossos biorreatores retira a mesma quantidade de carbono da atmosfera que meio hectares de árvores. Com dispositivos suficientes, poderíamos tornar cidades inteiras neutras em carbono ou até mesmo negativas, a uma taxa muito mais rápida do que a das árvores. Este é o sonho: cidades respiráveis e habitáveis para todos e agora”, atirou Lamm.

O CEO da empresa norte-americana disse ainda que o protótipo atual permite ser incorporado nos sistemas de ar condicionado para limpar o ar dentro de escritórios. A ideia, segundo explica a Inverse, é fornecer os planos a comunidades entusiastas que pretendam desenvolver biorreatores mais pequenos para uso doméstico.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Arqueólogos encontram rara ferramenta de caça com 300 mil anos

Arqueólogos encontraram uma ferramenta de madeira utilizada na caça há 300 mil anos. É muito raro encontrar artefactos paleolíticos feitos de madeira, realça o autor do estudo. Uma equipa de investigadores da Universidade de Tübingen e …

Twitter não descarta suspender conta de Donald Trump

Um alto responsável da plataforma digital Twitter não excluiu a suspensão da conta da Donald Trump caso o Presidente norte-americano prossiga a publicação de mensagens incendiárias que transgridam as regras daquela rede social. Com 81,7 milhões …

Patrões agradados com o plano do Governo. PSD diz que "é muito fraco"

Enquanto patrões e sindicalistas ficaram bastante satisfeitos com o Programa de Estabilização Económica e Social apresentado pelo Governo, o PSD deixou duras críticas. Esta quinta-feira, no final do Conselho de Ministros, onde foi aprovado o plano …

Na resposta a uma crise, ligações humanas podem piorar ainda mais as coisas

Um novo estudo sugere que a conexão humana nem sempre é uma coisa boa, sobretudo quando se trata de ultrapassar uma crise com sucesso. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 2480 voluntários …

Brasil ultrapassa Itália e torna-se no terceiro país com mais mortes

O país sul-americano, que tem uma população estimada em 210 milhões de habitantes, contabiliza 34.021 vítimas mortais e 614.941 casos confirmados. O Brasil ultrapassou a Itália e tornou-se no terceiro país do mundo com mais mortes …

PCP é o primeiro partido a retomar comícios ao ar livre

O PCP foi o último partido a fazer um comício, em março, antes de o país "parar" devido à pandemia de covid-19 e vai ser o primeiro a organizar uma iniciativa deste tipo, no domingo, …

Asteróide que matou os dinossauros criou uma província hidrotermal nove vezes maior do que Yellowstone

O asteróide que dizimou os dinossauros da face da Terra criou uma província hidrotermal nove vezes maior do que a caldeira do supervulcão Yellowstone, localizado nos Estados Unidos, conclui um novo estudo agora divulgado. De acordo …

Encontrar uma agulha num palheiro cósmico. Astrónomos resolvem mistério do primeiro Anel de Einstein

Determinados a encontrar uma agulha num palheiro cósmico, um par de astrónomos viajou no tempo através dos arquivos de dados antigos do Observatório W. M. Keck em Mauankea e do Observatório de Raios-X Chandra da …

As pequenas (e estranhas) estrelas quentes são atormentadas por manchas gigantes e explosões

Há uma classe de estrelas que perplexa os cientistas há seis décadas, conhecidas como estrelas de ramos horizontais extremos (EHB). Apesar de terem metade da massa do Sol, são quatro a cinco vezes mais quentes …

Cientistas capturaram em vídeo explosão de um enorme buraco negro

Uma equipa de astrónomos capturou o momento exato em que um buraco negro lança material quente para o Espaço à velocidade da luz. O telescópio espacial de raios-X Chandra captou a explosão de um buraco negro. …