Benjamin “morreu” enquanto cumpria pena de prisão perpétua. Agora está vivo e quer a liberdade

Um norte-americano, de 66 anos, que cumpre pena de prisão perpétua por ter espancado um homem até à morte em 1996, pretendia ser libertado, uma vez que o seu coração parou por breves instantes.

Em 1996, Benjamin Schreiber espancou um homem até à morte no Estado do Iwoa, nos Estados Unidos, e foi condenado a pena de prisão perpétua.

Em 2015, o norte-americano foi assistido de emergência num hospital, devido a um grave problema renal, e entrou em paragem cardiorrespiratória. O homem acabou por ser “ressuscitado” pela equipa médica que o assistiu, e regressou novamente à prisão de Iowa.

No ano passado, entrou com um pedido de liberdade insólito, no qual alegava que foi “ressuscitado” contra sua vontade e que a “morte”, ainda que temporária, foi tecnicamente cumprida. Ou seja, no entender de Schreiber, como morreu antes de regressar à vida, ele cumpriu tecnicamente a sua pena de prisão perpétua.

Mas morrer por um curto período de tempo não equivale a um cartão de saída da cadeia. Apesar de considerar o pedido “original”, o tribunal não acedeu às pretensões do condenado.

Na quarta-feira, a Justiça decidiu, assim, que Benjamin Schreiber permanecerá na prisão até que um médico legista determine que o norte-americano está morto (para sempre).

O coração parou, mas a pena não

Quando, em abril de 2018, Schreiber alegou que estava preso ilegalmente, uma vez que a sua pena deveria ter terminado com a sua morte, um juiz do tribunal distrital não ficou convencido com a sua tentativa de encontrar, na própria lei, a sua oportunidade para sair da prisão.

O juiz considerou que o argumento de Schreiber era “não persuasivo e sem mérito”, dado que só o facto de o norte-americano ser capaz de apresentar uma moção legal a solicitar a sua libertação “confirma o status atual do peticionário como vivo”.

Mas o recluso levou a sua luta mais longe, a um tribunal de segunda instância, que também não ficou convencido com os argumentos do norte-americano. Esta quarta-feira, na sua decisão, o tribunal deixou claro que não tentou considerar a definição espiritual ou médica de “morte” (uma questão filosófica que já gerou muitas disputas legais e debates sobre ética). Em vez disso, os juízes concentraram-se no que significa “vida na prisão“.

“Não acreditamos que o legislador pretenda que esta disposição […] liberte os réus criminais sempre que procedimentos médicos durante o encarceramento levem à ressuscitação por profissionais médicos”, escreveu a juíza Amanda Potterfield, numa declaração citada pelo Science Alert.

Além disso, o tribunal decidiu que Benjamin Schreiber não pode beneficiar dos dois lados: alegar estar morto no panorama da justiça criminal, enquanto prossegue simultaneamente a sua vida.

Schreiber permanece preso na cadeia de Iowa, na zona rural de Lee County, nos Estados Unidos. O seu advogado não prestou declarações, pelo que ainda não está claro se o norte-americano irá recorrer desta decisão.

  ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Cientistas estão a plantar mesas de xadrez de corais para restaurar recifes - e contam com a ajuda de garrafas de Coca-Cola

Nas últimas três décadas, os recifes de coral têm sofrido uma grande tensão e consequente destruição, devido ao impacto das alterações climáticas. Agora, os cientistas querem minimizar os danos e já encontraram uma solução. O objetivo …

Belenenses 0-4 Sporting | Melhor o resultado que a lesão

O Sporting, da I Liga, venceu hoje o Belenenses, do Campeonato de Portugal, por 4-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, garantindo o apuramento para a próxima fase da competição. No …

Sintrense 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto, da I Liga, venceu hoje o Sintrense, do Campeonato de Portugal, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue em frente na competição. A jogar em …

Nova tecnologia usa calor dos estacionamentos subterrâneos para aquecer apartamentos

A startup Enerdrape, que funciona dentro da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, desenvolveu uma tecnologia que aproveita o calor emanado pelo solo no aquecimento de apartamentos. Quase 60% do aquecimento utilizado nos edifícios residenciais …

Pela primeira vez, um drone transportou os pulmões de um dador em segurança. Voo demorou seis minutos

Pela primeira vez na história da medicina, um drone aéreo transportou os pulmões de um dador com rapidez e segurança entre dois hospitais. O voo, que durou apenas seis minutos, ocorreu no passado dia 25 de …

Grupo de hackers clonou a voz de empresário para roubar 35 milhões de dólares do banco

Um grupo de hackers clonou a voz do diretor de uma empresa, conseguindo assim roubar mais de 35 milhões de dólares de um banco nos Emirados Árabes Unidos. No início do ano passado, o gerente de …

Portugueses comem duas vezes mais do que o recomendando

Os portugueses consumiram, em média, duas vezes mais calorias do que o recomendando para um adulto entre 2016 e 2020, ano em que a pandemia provocou uma redução do consumo de alimentos diário, mas ainda …

Aos 95 anos, a rainha Isabel II terá de abdicar da sua bebida favorita

A monarca foi aconselhada pelos médicos a abdicar do seu habitual martini de fim de dia, em antecipação a uma fase de agenda especialmente preenchida. Com 95 anos, a rainha Isabel II tem tido uma semana …

Médicos vão avaliar estado mental do atacante da Noruega

A investigação ao ataque com arco e flecha que na quarta-feira fez cinco mortos na Noruega reforçou, até agora, a tese de um ato devido a doença, anunciou hoje a polícia norueguesa. “A hipótese que foi …

Há mais de 100 anos, o Hawai teve uma monarquia - mas a força da princesa Ka'iulani não chegou para a preservar

Antes de morrer, com apenas 23 anos, a princesa Victoria Ka'iulani foi a última herdeira da coroa havaiana. A jovem era uma das últimas esperanças em manter a monarquia viva, mas nem a sua determinação …