Bem-estar emocional na infância compra a felicidade mais do que o dinheiro

SXC

-

Um estudo da London School of Economics (LSE) afirma que estabilidade emocional no lar tem mais influência na felicidade futura de crianças do que o dinheiro ou um bom desempenho académico.

De autoria de Richard Layward, considerado um dos principais especialistas no mundo em investigação sobre a felicidade, o estudo abordou mais de 9 mil pessoas nascidas no Reino Unido em diversas situações sociais durante um período de três semanas no ano de 1970.

Estas pessoas foram acompanhadas até os 34 anos de idade, e vários dados do seu percurso foram analisados, como os rendimentos familiares, o histórico de trabalho e mesmo o registo criminal. A partir dessas análises, a equipa desenvolveu um modelo matemático que tenta explicar variações nos níveis de felicidade na população britânica.

Para avaliar a estabilidade emocional, a equipa de Layward também se concentrou em detalhes minuciosos como crises de insónia na infância e mesmo incontinência urinária, passando por distúrbios alimentares.

Os investigadores concluíram que a “saúde emocional” na infância esteve no topo da lista de fatores determinantes. O histórico académico ficou em último lugar.

Saúde emocional

O estudo concluiu que os rendimentos são responsáveis por apenas 1% de variação nos índices de felicidade expressados pelas pessoas estudadas, enquanto a “saúde emocional” na infância responde por 6%.

As conclusões do estudo são controversas, em especial o argumento de que o desempenho intelectual na infância pode ter muito menos influência do que se pensava no que se pode chamar de realização na vida adulta.

“Sabemos que pode ser encarado como uma afronta dizer que educação e dinheiro estão entre os menos importantes determinantes da realização pessoal”, escreveu Andre E. Clarke, um dos académicos envolvidos no estudo da LSE.

Nos últimos anos, os “estudos da felicidade” ganharam popularidade não apenas no meio académico mas também a nível político, ao ponto de investigadores e mesmo líderes políticos, como o primeiro-ministro britânico David Cameron, falarem publicamente em termos como “PIB da felicidade” como parte de discussões para melhor compreender as necessidades da população.

Cameron declarou recentemente que “chegou o momento de admitir que há mais na vida que o dinheiro“.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Contrato público. Amazon apresenta queixa em tribunal contra Trump

A Amazon revela que os "insistentes ataques públicos e de bastidores" de Donald Trump contra Jeff Bezos causaram "pressão" que levou à perda de contrato público com o Departamento de Defesa.  A Amazon apresentou uma queixa …

Empurrões, insultos e (talvez) um murro: Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro perderam as estribeiras no túnel do Jamor

Os treinadores de FC Porto e Belenenses, Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro, desentenderam-se no túnel de acesso ao relvado do Estádio Nacional, ao intervalo do jogo em que as duas equipas empataram a uma bola. …

Acordo entre Rússia e Ucrânia para cessar-fogo até ao final do ano

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, chegaram na segunda-feira à noite a um acordo de cessar-fogo que deverá ter efeito até ao final do ano de 2019. "As partes …

Nova Zelândia abre investigação. Erupção do Whakaari já fez pelo menos 13 mortos

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito continuam desaparecidas, na sequência da erupção do vulcão Whakaari, na Nova Zelândia. As autoridades afirmam que há poucas chances de terem sobrevivido. "Diria com forte convicção de que ninguém …

Falhas no acesso a remédios não são exclusivo do SNS. No resto da Europa também há, diz ministra

A ministra da Saúde afirmou que as falhas no acesso a medicamentos não são "um exclusivo nacional", estando em discussão entre os Estados-membros uma "estratégia global para o acesso ao medicamento". A ministra da Saúde afirmou …

Canal Panda e jogar sem medo. A receita de Lage para vencer os russos do Zenit

O Benfica joga esta terça-feira com o Zenit de São Petersburgo, na sexta e última jornada do grupo G da Liga dos Campeões. Os encarnados precisam de vencer por dois (ou mais) golos para garantir …

Polícia de Hong Kong desativa bombas artesanais escondidas em escola

As autoridades de Hong Kong desativaram duas bombas artesanais numa escola esta terça-feira. Os engenhos foram descobertos por um guarda e desconhece-se se estão associados à crise política que se vive no país. A líder de …

Tancos. Carlos Alexandre quer ouvir António Costa presencialmente

O juiz Carlos Alexandre quer ouvir o primeiro-ministro, António Costa, presencialmente durante a fase de instrução do processo de Tancos, recusando assim que o seu testemunho seja feito apenas por escrito. De acordo com a …

Orçamento de 2020 sem verba para pré-reformas na Função Pública

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e Administração Pública, esclareceu que a proposta do Orçamento do Estado para o próximo ano não deverá reservar qualquer verba para financiar pré-reformas na função pública. Segundo o Diário …

Na medicina medieval, livros astrológicos diziam aos médicos quando tratar os pacientes

Na era medieval, os médicos tinham como seu auxílio um livro onde consultavam as posições dos planetas e das estrelas. A astrologia tinha uma grande influência na prática médica. Os médicos medievais tinham de possuir uma …