Bélgica vs Tunísia | Goleada “dos diabos”

Num dos melhores jogos desta fase de grupos, a Bélgica apurou-se para os oitavos-de-final do Mundial, graças a uma goleada por 5-2 ante a Tunísia.

Sete golos numa partida de futebol ofensivo, aberto, com muitas oportunidades de golo e com a muito maior qualidade das individualidades belgas a fazer a diferença.

A formação europeia entrou a todo o gás e marcou cedo, aos seis minutos, por Eden Hazard, na conversão de uma grande penalidade depois de ter sido travado em falta na área por Syam Ben Youssef.

Aos 16, Romelu Lukaku ampliou para 2-0, lançado com um passe a rasgar por Dries Mertens, sem vacilar perante Farouk Ben Mustapha. Mas a Tunísia reduziu logo a seguir, aos 18, por Dylan Bronn, de cabeça após livre da esquerda.

O jogo equilibrou nesta fase, com a Tunísia a aproximar-se em termos de posse de bola e remates. Isto apesar de os africanos terem perdido Bronn e Syam Ben Youssef por lesão.

Adivinhava-se o golo em qualquer uma das balizas, mas a qualidade individual dos belgas veio ao de cima nos descontos da primeira parte, com o 3-1. Lukaku fez o seu segundo golo na partida, igualando Cristiano Ronaldo com quatro golos na prova, ao finalizar tranquilamente após assistência de Thomas Meunier. E era Lukaku precisamente o melhor nesta fase, com um rating de 7.0, pelos dois golos em dois remates.

O festival de golos prosseguiu na segunda parte, com Toby Alderweireld a isolar Hazard com um passe longo e este a fazer o 4-1 aos 51 minutos. Estava, definitivamente, encontrado o vencedor do encontro, ainda com muito tempo para se jogar.

A Tunísia bem tentou, assumiu o comando do jogo no segundo tempo, mas deu espaços na retaguarda, e a Bélgica, letal no contra-ataque, criou muito perigo, com o recém-entrado Michy Batshuayi a dispor de muitas ocasiões flagrantes para marcar, desperdiçando três. Mas lá conseguiu um golo, aos 90, para o 5-1. O 5-2 surgiu nos descontos, por Wahbi Khazri.

Resultado justo, pelo volume ofensivo e qualidade no ataque, com os belgas a terminarem com 22 remates, 12 deles enquadrados, e umas impressionantes nove ocasiões flagrantes.

O melhor em campo foi Eden Hazard, com um GoalPoint Rating de 8.5, fruto de dois golos em quatro remates, três passes para finalização, cinco dribles completos em seis tentativas e um manancial de grandes recursos.

Resumo

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.