Alto número de bebés nascidos sem braços e mãos intriga autoridades de saúde francesas

Pelo menos três regiões da França investigam os motivos que terão provocado o elevado número de casos de malformações inexplicáveis em bebés, que estão a nascer sem braços.

Um relatório divulgado esta quinta-feira pela Agência de Saúde Pública do país confirma que o Morbihan, departamento localizado na região da Bretanha, e o Loire-Atlantique, no oeste do país, apresentaram “um excesso de casos” de crianças nascidas sem mãos ou braços, mas não avança explicações para o problema.

As autoridades lançaram um estudo epidemiológico, após o relato de vários nascimentos de crianças com deformidades em diferentes regiões da França, entre 2007 e 2014.

“Eu chorei e o meu marido desmaiou”, conta Mélanie Vitry, uma mãe que deu à luz, em 2010, um menino nascido sem a mão direita.

O caso, divulgado em todo o país nos ecrãs da France 2, está longe de ser uma excepção na região onde a família vive. Nas proximidades da mesma cidade, Druillat, na região de Ain, entre 2009 e 2014 sete bebés nasceram sem braços ou mãos.

A análise dos casos reportados na região da Auvergne-Rhône-Alpes para crianças nascidas nesse período “não mostrou excesso de casos”. Também não foi identificada qualquer “exposição comum à ocorrência dessas malformações”, o que impediu que tivessem sido lançadas novas investigações.

Porém, as investigações a três casos ocorridos em Loire-Atlantique, entre 2007 e 2008, e a quatro casos na Bretanha, entre 2011 e 2013, configuram “um número excessivo de casos” em relação à média nacional.

Segundo o relatório da Agência de Saúde Pública, também nestes casos não foi identificada qualquer “exposição comum que pudesse justificar estas ocorrências“. Mas mesmo assim, a Agência governamental “está atenta ao surgimento de novos casos nestas regiões e no resto da França.”

A monitorização da ocorrência de malformações em nascimentos é complicada, particularmente devido à raridade dos acontecimentos. Para realizar este relatório, o Serviço de Saúde Pública francês aplica um protocolo complexo.

Uma primeira verificação é feita para saber se os casos são idênticos e se partilham a mesma definição clínica. Em seguida, a pesquisa compara a frequência de casos notificados numa determinada área com a média nacional.

Finalmente, é realizado trabalho de campo com as mães para averiguar diversas questões relacionadas com a gestação, num processo de “busca de uma possível exposição conjunta“.

Em cada departamento envolvido, as mães receberam questionários sobre o seu estilo de vida durante a gravidez. Nas três regiões, nenhum factor determinante que pudesse explicar esses casos, como uso de medicamentos, drogas ou relatos de malformações nas famílias, pôde ser identificado. Além disso, as gestações não tinham registado anomalias.

Na ausência de uma história e de factores claramente estabelecidos, surge a possibilidade de relação com o ambiente.

Para a epidemiologista Emmanuelle Amar, existe uma probabilidade considerável de estas malformações terem sido causadas pela exposição de mães a produtos fitossanitários, como por exemplo pesticidas, durante a gravidez. “Estamos diante de um possível escândalo de saúde pública“, disse a especialista ao canal France Info.

Mas até agora, segundo a Agência de Saúde Pública francesa, não há provas suficientes para confirmar a relação entre as deformidades e esse tipo de produtos.

// RFI

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Não é ver o que se passa com as crianças que nascem, mas sim os comportamentos dos pais quando pessoas em sociedade. O que comem, o que bebem, o que fumam tem muito a ver com a formação do bebé.

    • É óbvio que o estudo é sobre a que estiveram expostos os pais para que tenha acontecido este tipo de problema.
      Há anos atrás existiu um problema com comprimidos para evitar o enjoo das grávidas que também causou problemas nos fetos.
      Espero que encontrem rápido a causa para evitar nascerem mais com este tipo de problema.

      • Na minha opinião isso terá a ver muito provavelmente com os cabos de alta tensão, ou possivelmente com pesticidas. A frequência com que se utiliza por exemplo o glifosato é alarmante.

  2. Devemos pensar um pouco e atribuir este fenômeno, ao campo espiritual. Deixo aqui o meu pensamento. E para quem quiser saber mais sobre este assunto aconselho a ler sobre a doutrina espírita Allan Kardec. Terá as respostas a muitas perguntas.

    • Não tem muita lógica isso, não é?
      Qual seria o fenómeno espiritual que poderia desencadear isso? A ser uma verdade, seria globalmente e não apenas em algumas regiões da França.

Responder a MR Cancelar resposta

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …