Banco dinamarquês oferece empréstimos com taxa de juro negativa

A instituição financeira Jyske Bank, na Dinamarca, anunciou que vai oferecer empréstimos imobiliários a dez anos com uma taxa de juro negativa (-0,5%).

A notícia foi avançada esta semana pela agência Bloomberg, que dá conta que o banco, em vez de cobrar juros aos seus clientes, vai “pagar-lhes”, caso estes cumpram o crédito. Na prática, os compradores do imóvel poderão pagar um valor inferior ao pedido.

Por exemplo, se uma pessoa comprar uma casa por um milhão de dólares e pagar a sua hipoteca em dez anos, esta só terá que devolver 995.000 dólares ao banco.

“Nunca foi tão barato pedir emprestado”, disse Lise Nytoft Bergmann, analista-chefe da unidade de finanças domésticas da Nordea Bank na Dinamarca, à agência. “Esperamos que [a iniciativa] contribua para elevar os preços das moradias”.

Apesar da taxa de juro negativa, alerta a mesma publicação, os bancos costuma cobrar outras taxas vinculadas a empréstimos, que podem fazer com que os proprietários tenham de continuar a pagar um valor superior.

Quanto à taxa de juro a 30 anos, esta vai fixar-se nos 0,5%. “É desconfortável pensar que há investidores que estão dispostos a emprestar dinheiro a 30 anos anos e receber apenas 0,5% em troca”, explicou Bergmann. “Isso mostra o quão assustados estão os investidores com a situação atual nos mercados financeiros, e que esperam que leve muito tempo até que as coisas melhorem”, concluiu.

As taxas negativas sobre os títulos hipotecários a curto prazo, recorde ainda a Bloomberg, estão disponíveis na Dinamarca desde maio, estando agora estão diretamente disponíveis para os consumidores.

Contudo, a iniciativa do Jyske Bank não é propriamente nova: o Nordea Bank anunciou a 7 de agosto que vai oferecer hipotecas a 20 anos com uma taxa de juro de 0%. Estas valores ultrapassam a campanha do Realkredit Danmark, o maior credor hipotecário do país, que no início do mês anunciou que vai lançar uma hipoteca a 30 anos com uma taxa de 0,5%.

Perder agora para ganhar mais tarde

Atualmente, a situação dos mercados financeira é volátil e incerta, fazendo com que os bancos aceitem emprestar com taxas de juro tão baixas. A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, o Brexit e a desaceleração da economia mundial, com especial impacto na Europa, são alguns dos fatores que precipitam estas iniciativas.

Muitos investigadores temem que haja um crise económica no futuro próximo. Estas previsões fazem com que as instituições financeiras aceitam pequenas perdas com créditos com taxas de juro baixas, em vez de correrem o risco de emprestar dinheiro a taxas de juro mais altas que os clientes não possam, posteriormente, pagar.

Estas medida podem, segundo alguns especialistas, levar a uma bolha imobiliária a longo prazo, mas, até ao momento, não há sinais de que isso acontecerá.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Parece portugal….alguns receberam 350 milhões e agora ninguém se lembra te ter assinado tal empréstimo….ou seja neste caso devolve “0”….ainda melhor que taxa negativa….

RESPONDER

Estabelecimentos abertos até às 02h00. Máscaras na rua acabam em setembro

O primeiro-ministro anunciou, esta quinta-feira, a partir do Palácio Nacional da Ajuda, as novas medidas de desconfinamento decididas no Conselho de Ministros. António Costa começou por referir que, graças às medidas restritivas dos últimos tempos, é …

Surpresa na Liga dos Campeões: Celtic é uma equipa de "terceira divisão"

Críticas à qualidade do plantel do gigante escocês, que nem passou da segunda pré-eliminatória de acesso à Liga dos Campeões. O Midtjylland fez a festa. Há uns tempos seria uma surpresa mas, nos anos mais recentes, …

Corrida à Câmara de Lisboa divide CDS. Mesquita Nunes junta-se aos críticos

A escolha de Filipe Anacoreta Correia, em vez de João Gonçalves Pereira, para número dois da lista à Câmara de Lisboa está a gerar uma guerra interna no CDS. A escolha de Filipe Anacoreta Correia para …

Tragédia Hillsborough: morreu uma vítima, depois de 32 anos em estado vegetativo

Andrew Devine faleceu aos 55 anos. É oficialmente a 97.ª pessoa a morrer por causa do desastre em 1989, em Sheffield. De 15 de abril de 1989 até 27 de julho de 2021 passaram mais de …

Trabalhadores da Google só regressam aos escritórios em outubro e todos vacinados

A maioria dos trabalhadores da Google só regressará aos escritórios em meados de outubro, depois de ser totalmente vacinada, numa tentativa de combater a disseminação da variante Delta do novo coronavírus SARS-COV-2, anunciou esta quarta-feira …

Primeiro-ministro tunisino terá sido agredido antes de concordar em renunciar

O primeiro-ministro da Tunísia, Hichem Mechichi, terá sido alegadamente agredido dentro do palácio presidencial antes de ser afastado de cargo pelo chefe de Estado do país, Kais Saied. Mechichi e o restante governo foram demitidos na …

Comissão Europeia envia primeiro “cheque” do PRR na próxima semana

A Comissão Europeia irá fazer o pagamento da primeira verba do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) no decorrer da próxima semana. Na sessão de assinatura dos contratos do Mecanismo de Recuperação e Resiliência da União …

Marcelo pede ao TC fiscalização do artigo 6.º da Carta de Direitos na Era Digital

O Presidente da República pediu, esta quinta-feira, ao Tribunal Constitucional a fiscalização sucessiva do artigo 6.º da Carta Portuguesa de Direitos Humanos na Era Digital em vigor, tendo em conta o "importante debate público" sobre …

Portugal regista mais 10 mortes e 3009 casos de covid-19

Portugal registou, esta quinta-feira, mais 10 mortes e 3009 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3009 novos …

Ministra da Coesão diz que Portugal vai precisar de imigrantes

A ministra da Coesão Territorial disse hoje que a perda de população é preocupante e que Portugal vai ter de trabalhar numa política de imigração muito ativa e acolhedora para fazer face aos investimentos previstos. "Estando …