As bactérias contradizem Darwin: a mais apta não sobrevive

(cc) NIAID

Bactérias E.coli vistas ao microscópio eletrónico

Uma recente investigação levada a cabo pela Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, revela que, no que diz respeito às bactérias, a “sobrevivência das mais cooperativas” excede a “sobrevivência das mais fortes”.

As bactérias são capazes de sacrificar algumas das suas propriedades se isso beneficiar a comunidade bacteriana. Esta é a descoberta de uma recente investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, e um importante passo para a compreensão das interações completas das bactérias.

Além disso, os cientistas destacam a importância deste estudo no desenvolvimento de novos modelos de tratamento para uma ampla gama de doenças humanas e novas tecnologias ecológicas.

No fundo, segundo este estudo cujo artigo científico foi publicado no ISME Journal, as bactérias preferem unir-se contra as ameaças externas, como antibióticos, em vez de lutar entre si. Depois de milhares de combinações, ficou claro que as bactérias cooperam umas com as outras para sobreviver, um resultado que contradiz o que Darwin defendia nas suas teorias da evolução.

“Na mentalidade darwiniana clássica, a competição é o nome do jogo. Os mais adequados sobrevivem e superam os menos adequados. No entanto, quando se trata de microrganismos como bactérias, as nossas descobertas revelam que os mais cooperativos sobrevivem”, explica o microbiologista Soren Johannes Sorensen em comunicado.

Os cientistas isolaram bactérias de uma casca de milho e, de acordo com o Europa Press, conseguiram observar até que ponto as bactérias competem ou cooperam para sobreviver.

A equipa da Universidade de Copenhaga mediu o biofilme bacteriano, uma camada protetora que protege as bactérias contra ameaças externas, como antibióticos ou predadores. Quando as bactérias são saudáveis, produzem mais biofilme e tornam-se mais fortes e resistentes.

Os cientistas observaram o mesmo resultado repetidas vezes: uma determinada bactéria, em vez de competir para ser mais forte do que as outras na produção de biofilme, concedia mais espaço às bactérias mais fracas, o que lhes permitia crescer. Ao mesmo tempo, os investigadores conseguiram ver que as bactérias dividem tarefas trabalhosas.

“Henry Ford pode ter achado que havia encontrado algo brilhante quando introduziu a linha de montagem e a especialização dos trabalhadores, mas as bactérias estão a aproveitar essa estratégia há um milhares de milhões de anos”, resumiu Soren Johannes Sorensen.

“O nosso estudo demonstra que as bactérias se organizam de maneira estruturada, distribuem tarefas entre si e ajudam-se umas às outras. Isto significa que, num estudo futuro, podemos descobrir quais as bactérias que cooperam e quais aquelas que dependem umas das outras”, concluiu o especialista.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Também estamos na fase da descoberta das “bactérias amigas”… e, no nosso corpo, há mais bactérias do que células humanas….
    assinado: Maria da Maia

RESPONDER

Sim, as pessoas ficam mais bonitas quando estamos bêbados

Uma investigação acaba de provar a teoria dos "óculos de cerveja": depois de ingerirmos álcool, as outras pessoas tornam-se mais atraentes para nós. Uma equipa de investigadores da Edge Hill University, no Reino Unido, resolveu investigar …

Leverkusen vs FC Porto | Luis Díaz mantém “dragão” à tona

O FC Porto perdeu na Alemanha, na visita ao Bayer Leverkusen, por 2-1, e tem tudo em aberto na perspetiva de chegar aos oitavos-de-final da Liga Europa. Após uma primeira parte difícil, na qual praticamente não …

Ex-presidente do Tribunal da Relação Vaz das Neves arguido na Operação Lex

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa foi constituído arguido no processo Operação Lex, em que também são arguidos o desembargador Rui Rangel e a sua ex-mulher e juíza Fátima Galante. A fonte adiantou à …

Rangers vs Braga | "Braveheart" romeno estraga noite "guerreira"

  O Sporting de Braga perdeu em casa dos escoceses do Rangers por 3-2, esta quinta-feira, em jogo da primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol em que esteve a vencer …

Morreu Joaquim Pina Moura, antigo ministro da Economia e das Finanças

O ex-ministro da Economia e das Finanças morreu em casa, em Lisboa, aos 67 anos, devido a doença neurodegenerativa, disse à agência Lusa o filho, o fotojornalista João Pina. Natural de Loriga, Seia (distrito da Guarda), …

Duran Duran e A-ha levam anos 80 ao Rock in Rio

Os noruegueses A-ha, responsáveis por Take on me, tema que fez sucesso na década de 80, estrear-se-ão em palcos portugueses no Rock in Rio Lisboa, atuando no mesmo dia em que os ingleses Duran Duran. Segundo …

Maior avião comercial do mundo vai ser reciclado (mas vende lembranças)

O primeiro Airbus A380 vai ser dividido em peças para futuras substituições, mas vai voltar aos céus através de etiquetas de bagagem. O MSN003 começou a ser fabricado em 2004 e tornou-se o primeiro avião super …

Caso Roger Stone. Ex-consultor de Trump condenado a 40 meses de prisão

O ex-consultor do Presidente dos Estados Unidos foi condenado, esta quinta-feira, a mais de três anos de prisão, apesar da interferência do procurador-geral para reduzir a recomendação de sentença. Um tribunal federal condenou o ex-consultor de …

Shakhtar D. vs Benfica | "Águia" perde mas sai viva

Ainda não foi esta quinta-feira que o Benfica regressou à senda dos bons resultados. Na visita a Kharkiv, casa emprestada do Shakhtar Donetsk, os campeões nacionais perderam por 2-1. Os três golos nasceram todos na etapa …

Após 40 anos, a Casa dos Amantes de Pompeia abre ao público

Pela primeira vez após 40 anos, a Casa dos Amantes, rica em frescos e decorações e uma das jóias de Pompeia, vai abrir ao público. Encontrada durante escavações em 1933, a Casa dos Amantes, em Pompeia, …