As bactérias contradizem Darwin: a mais apta não sobrevive

(cc) NIAID

Bactérias E.coli vistas ao microscópio eletrónico

Uma recente investigação levada a cabo pela Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, revela que, no que diz respeito às bactérias, a “sobrevivência das mais cooperativas” excede a “sobrevivência das mais fortes”.

As bactérias são capazes de sacrificar algumas das suas propriedades se isso beneficiar a comunidade bacteriana. Esta é a descoberta de uma recente investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, e um importante passo para a compreensão das interações completas das bactérias.

Além disso, os cientistas destacam a importância deste estudo no desenvolvimento de novos modelos de tratamento para uma ampla gama de doenças humanas e novas tecnologias ecológicas.



No fundo, segundo este estudo cujo artigo científico foi publicado no ISME Journal, as bactérias preferem unir-se contra as ameaças externas, como antibióticos, em vez de lutar entre si. Depois de milhares de combinações, ficou claro que as bactérias cooperam umas com as outras para sobreviver, um resultado que contradiz o que Darwin defendia nas suas teorias da evolução.

“Na mentalidade darwiniana clássica, a competição é o nome do jogo. Os mais adequados sobrevivem e superam os menos adequados. No entanto, quando se trata de microrganismos como bactérias, as nossas descobertas revelam que os mais cooperativos sobrevivem”, explica o microbiologista Soren Johannes Sorensen em comunicado.

Os cientistas isolaram bactérias de uma casca de milho e, de acordo com o Europa Press, conseguiram observar até que ponto as bactérias competem ou cooperam para sobreviver.

A equipa da Universidade de Copenhaga mediu o biofilme bacteriano, uma camada protetora que protege as bactérias contra ameaças externas, como antibióticos ou predadores. Quando as bactérias são saudáveis, produzem mais biofilme e tornam-se mais fortes e resistentes.

Os cientistas observaram o mesmo resultado repetidas vezes: uma determinada bactéria, em vez de competir para ser mais forte do que as outras na produção de biofilme, concedia mais espaço às bactérias mais fracas, o que lhes permitia crescer. Ao mesmo tempo, os investigadores conseguiram ver que as bactérias dividem tarefas trabalhosas.

“Henry Ford pode ter achado que havia encontrado algo brilhante quando introduziu a linha de montagem e a especialização dos trabalhadores, mas as bactérias estão a aproveitar essa estratégia há um milhares de milhões de anos”, resumiu Soren Johannes Sorensen.

“O nosso estudo demonstra que as bactérias se organizam de maneira estruturada, distribuem tarefas entre si e ajudam-se umas às outras. Isto significa que, num estudo futuro, podemos descobrir quais as bactérias que cooperam e quais aquelas que dependem umas das outras”, concluiu o especialista.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Também estamos na fase da descoberta das “bactérias amigas”… e, no nosso corpo, há mais bactérias do que células humanas….
    assinado: Maria da Maia

RESPONDER

Paquistão. Quem não se vacinar pode ficar sem acesso ao telemóvel

O governo regional de Punjab, no Paquistão, decidiu que os cidadãos que não se vacinarem contra a covid-19 "ao fim de um certo tempo" podem ver o cartão SIM do seu telemóvel bloqueado. "Estamos a fazer …

Seleção Nacional testa negativo na véspera da estreia no Europeu

Depois do susto de João Cancelo, que testou positivo ao novo coronavírus, a seleção nacional respira de alívio na véspera da estreia no Europeu, depois de ter testado negativo à covid-19. Esta segunda-feira de manhã, a …

Associação quer que os testes em eventos culturais sejam gratuitos

A Associação Espetáculo - Agentes e Produtores Portugueses defendeu que os testes de diagnóstico à covid-19 devem ser gratuitos em eventos culturais. A Associação Espetáculo – Agentes e Produtores Portugueses defendeu, este domingo, que os testes …

Advogados repudiam declarações de Cabrita sobre agendamentos do SEF

Um grupo de advogados repudiou as declarações do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que atribuem a um escritório de advogados a responsabilidade pelo mau funcionamento do sistema de agendamentos para atribuição de vistos de …

Fundo Azul só aplicou um quarto do orçamento desde 2016

O Fundo Azul tem tido um orçamento anual de 13 milhões de euros nos últimos cinco anos, mas não tem gasto três quartos desde 2016. Em cinco anos, o Fundo Azul entregou apenas 17 milhões de …

Polónia 1-2 Eslováquia | Paulo Sousa surpreendido no arranque

A Polónia, comandada pelo treinador português Paulo Sousa, entrou hoje da pior forma no Euro2020, ao perder por 2-1 com a Eslováquia, em encontro do Grupo E, disputado em São Petersburgo, na Rússia. O guarda-redes Wojciech …

Agostinho Branquinho nega tráfico de influências na construção de hospital em Valongo

O antigo deputado Agostinho Branquinho negou esta segunda-feira qualquer envolvimento ou tráfico de influências junto da Câmara de Valongo, no processo de licenciamento e construção do Hospital de São Martinho, naquele concelho do distrito do …

Estádio Sp. Braga

17 anos depois, Câmaras ainda devem 55 milhões dos estádios do Euro 2004 (só 2 já pagaram tudo)

Apenas duas Câmaras municipais já não têm dívidas no âmbito da construção de estádios para o Euro 2004. Ao cabo de 17 anos, as autarquias ainda têm cerca de 55 milhões de euros para pagar …

PSD quer aumentar penas para corrupção por políticos em funções e evitar megaprocessos

O PSD quer agravar as penas de prisão para crimes de corrupção, sobretudo quando cometidas por políticos, mas admite a dispensa ou atenuação da pena em caso de colaboração, e apresenta propostas para evitar os …

Petição por manuais gratuitos para todos os alunos entregue esta segunda-feira no Parlamento

Uma petição pública pelo alargamento da gratuitidade dos manuais escolares a todos os alunos do ensino obrigatório, passando a incluir o setor privado, é entregue esta segunda-feira no parlamento para ser discutida em plenário. Dezenas de …