Autoridades britânicas esconderam de Bruxelas dados de 75 mil condenações de estrangeiros

As autoridades britânicas não partilharam os dados de 75 mil condenações aos países da União Europeia (UE) de onde são os criminosos, com receio de  manchar a reputação perante Bruxelas.

Segundo revelou o Guardian, citado pelo Diário de Notícias, durante cinco anos não foram detetados erros informáticos da polícia britânica, período em que um em cada três alertas sobre criminosos – que podiam incluir assassinos e violadores – não foi enviado para os países da União Europeia (UE).

De acordo com o jornal britânico, os países não foram informados dos crimes cometidos, das sentenças ou dos riscos que os criminosos representavam para a sociedade. A falha de informação permitiu que os criminosos, condenados no Reino Unido, pudessem viajar até aos seus países de origem sem que as autoridades nacionais fossem notificadas.

Quando o Ministério do Interior britânico detetou o erro, continuou o Guardian, optou por esconder de Bruxelas, receando a possibilidade de dificultar a relação entre Londres e a UE.

O jornal britânico teve acesso à ata da reunião da unidade da polícia britânica sobre registos criminais, realizada em maio de 2019, na qual era referido que existia “um nervosismo do Ministério do Interior ao enviar as notificações desde 2012 devido ao impacto na reputação que isto poderia ter”.

Numa reunião realizada em junho do mesmo ano, ainda não se sabia se os registos criminais recebidos do Ministério do Interior iriam ser partilhados com os estados da UE, uma vez que “havia um risco reputacional para o Reino Unido”.

Esta falha surge com a aproximação da data para a saída do Reino Unido da UE e das negociações pós-Brexit sobre a futura relação entre Londres e Bruxelas. Com a saída, e após o fim do período de transição, o Reino Unido deixará de ser membro da Europol e a sua polícia e serviços de segurança deixarão de ter acesso às bases de dados da UE.

“Esta falha de não alertar as autoridades sobre criminosos e o encobrimento posterior lançam sérias dúvidas sobre o Reino Unido como um parceiro confiável”, afirmou ao Guardian a eurodeputada holandesa Sophia in’t Veld.

E frisou: “O objetivo da troca de informações é aumentar a segurança. Se um lado falha, os ganhos de segurança são zero e a cooperação não faz sentido. O governo do Reino Unido deve considerar com muito cuidado como pretende restaurar a confiança, tendo em vista que as negociações devem ser concluídas até o outono deste ano”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Nova universidade internacional de Soros pretende combater populismo e alterações climáticas

O filantropo multimilionário George Soros vai investir mil milhões de dólares (cerca de 904 milhões de euros) numa universidade internacional que terá como foco a oposição a governos autoritários e às alterações climáticas. Segundo avançou o …

"O índio está evoluindo e cada vez mais é um ser humano igual a nós", diz Bolsonaro

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse, durante um vídeo em direto em que comentava a criação do Conselho da Amazónia, que "o índio está evoluindo e cada vez mais é um ser humano igual …

Jorge Brito Pereira deixa de ser advogado de Isabel dos Santos

O advogado anunciou, esta sexta-feira, que saiu da sociedade de advogados Uría Menéndez Proença de Carvalho, suspendeu a atividade profissional e, como consequência, vai cessar "o patrocínio jurídico" à empresária angolana. "Face às informações publicadas nos …

621 milhões de euros. Ministra reconhece que redução do défice no SNS ficou aquém

A ministra da Saúde reconheceu, esta sexta-feira, que a redução do défice do SNS em 2019 para 621 milhões ficou aquém do que estava previsto, sublinhando o aumento dos custos com pessoal. A ministra da Saúde, …

Governo prevê descontos nas portagens no interior

A ministra da Coesão Territorial disse esta sexta-feira que o novo modelo de desconto das portagens para o interior do país prevê descontos para quem vive, para quem trabalha e para quem visita no …

Excesso de higiene está a tornar a nossa saúde mais frágil, aponta estudo

Um grupo de investigação do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) divulgou recentemente um estudo sobre a perda de diversidade da flora intestinal - também denominada como microbiota - e as consequências desta diminuição na nossa …

Tiroteio na Alemanha faz pelo menos seis mortos e vários feridos

Pelo menos seis pessoas morreram e várias ficaram feridas num tiroteio, esta sexta-feira, na cidade alemã de Rot am See. Um tiroteio, cujo presumível autor foi detido, fez hoje seis mortos e dois feridos graves em …

IKEA aumenta salário de entrada dos trabalhadores para 700 euros

A IKEA aumentou o salário de entrada para trabalhadores a tempo inteiro de 650 euros para 700 euros brutos mensais, acima do salário mínimo nacional (635 euros), anunciou hoje a cadeia de venda de mobiliário. Em …

Mortes nos Comandos. Recruta diz que colocaram um cateter em Hugo Abreu já depois de estar morto

Rodrigo Silvano, o último recruta no curso 127 de Comandos a sair da tenda de enfermaria onde morreu Hugo Abreu no primeiro dia da Prova Zero, relatou ao tribunal que viu o enfermeiro do INEM …

Rafa inegociável. Benfica só vende por 80 milhões de euros

Rafa é inegociável. O Benfica só deixar sair o extremo de 26 anos pelo valor da sua cláusula de rescisão, que está fixada nos 80 milhões de euros. A notícia é avançada esta sexta-feira pelo Correio …