Austrália nega visto a Chris Brown por “histórico de violência doméstica”

O cantor norte-americano Chris Brown teve o visto temporariamente negado para atuar na Austrália por causa do seu “histórico de violência doméstica”.

Os bilhetes para a atuação do artista em dezembro iam começar a ser vendidos já esta segunda-feira.

Em 2009, Chris Brown declarou-se culpado de agredir a cantora Rihanna, com quem namorava na altura. Desde então, já esteve na Austrália duas vezes, mas desta vez o governo do país estava a sofrer pressão para impedir a sua entrada.

O ministro da Imigração do país, Peter Dutton, afirmou que o departamento de imigração da Austrália emitiu um “aviso de intenção de considerar a recusa” do visto, o que na prática constitui uma recusa à concessão do documento.

O cantor tem 29 dias para apresentar a sua defesa e justificar as razões para receber o visto, sendo a decisão tomada posteriormente , informou o governo australiano.

A ministra para as Mulheres da Austrália, Michaelia Cash –  que até recentemente atuava como ministra-assistente para a Imigração -, foi uma das que pediu a Dutton para tomar uma posição sobre o assunto.

“As pessoas precisam compreender que, ao cometerem violência doméstica, ao viajar pelo mundo haverá países que lhes vão dizer: ‘Você não é bem-vindo porque não é o tipo de pessoa que queremos na Austrália'”, afirmou a ministra.

A decisão sobre a concessão do visto a Chris Brown ocorre na sequência de outra deliberação do governo, no início do ano, de recusar emitir o documento ao campeão de boxe Floyd Mayweather por motivos semelhantes.

Na altura, Mayweather tinha sido contratado para participar de jantares e de eventos em casas noturnas nas cidades de Sydney e Melbourne.

A vizinha Nova Zelândia também já anunciou que Chris Brown não é bem-vindo no país.

ZAP / BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Cientistas estão a atirar rochas vulcânicas para telhados (para provar que são perigosas)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Canterbury está a lançar rochas vulcânicas para telhados na Nova Zelândia na esperança de ajudar os habitantes de Auckland a entender os perigos vulcânicos. "Auckland localiza-se num campo vulcânico …

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve nos mapas durante um século

A cordilheira Kong nunca existiu, mas esteve durante 100 anos em muito dos principais mapas do continente africano. Acabaria por ser um militar francês, que explorou o rio Níger, a acabar com este "fantasma da …

"Continua a pairar perigosamente". Relógio do Juízo final mantém-se a 100 segundos do Apocalipse

A Humanidade nunca esteve tão perto do Apocalipse, alertam os cientistas responsáveis pelo "Relógio do Juízo Final", que decidiram mantê-lo na mesma posição do ano passado, a 100 segundos da meia-noite. O relógio, que é uma …

A primeira bateria doméstica de hidrogénio armazena três vezes mais energia do que uma da Tesla

Para usar energia solar doméstica, é preciso gerar energia quando o Sol brilha e armazená-la quando não aparece. Para isto, as pessoas usam normalmente sistemas de bateria de lítio. Porém, a empresa australiana Lavo construiu …

Um oásis LGBTQ, Budapeste é posto à prova pelo populismo e pela pandemia

Budapeste é um oásis para a comunidade LGBTQ, mas a cena drag da capital húngara vê-se ameaçada pela pandemia de covid-19 e pelas políticas conservadoras e populistas de Viktor Orbán. Durante muitos anos, Budapeste desfrutou a …

Coreia do Sul "ressuscitou" voz de uma superestrela. Chovem preocupações éticas

Pela primeira vez em 25 anos, a distinta voz da superestrela sul-coreana Kim Kwang-seok será ouvida na televisão nacional. O famoso cantor folk morreu em 1996. De acordo com a CNN, a emissora nacional da Coreia …

Maioria dos países africanos só terá vacinação em massa a partir de 2023

A maioria dos países africanos só terá imunização em massa a partir de 2023, segundo previsão da The Economist Intelligence Unit, que admite que, com o evoluir da pandemia, muitos dos países mais frágeis possam …

Mulher que "morreu" com covid-19 aparece viva 10 dias após funeral

Uma mulher de 85 anos ficou infetada com covid-19 num lar na Galiza, em Espanha. A 13 de janeiro a família de Rogelia Blanco recebeu a informação do lar de que a mulher tinha falecido. …

Familiares de vítimas na China pressionadas a não falar com OMS

As autoridades chinesas estão a pressionar as famílias das primeiras vítimas da covid-19 para que não entrem em contacto com os investigadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Wuhan, segundo familiares dos falecidos. Mais de …

Falsas vacinas à venda na Internet são grande risco para a saúde

Embora milhões de pessoas tenham sido já vacinadas contra a covid-19 nos países ricos, proliferam as fraudes na Internet com fármacos falsos que representam um grande risco para a saúde, alertaram peritos das Nações Unidas. As …