Auschwitz quer médico nazi identificado no seu túmulo. Mas Áustria diz que “merece paz” após a morte

O pequeno cemitério de guerra em Lend, perto de Salzburgo, é como muitos outros na Áustria: fileiras de túmulos marcados por cruzes militares, rodeados por relva cuidadosamente tratada.

Contudo, um desses túmulos é diferente: contém os restos mortais do médico mais experiente de Auschwitz, que supervisionou alguns dos crimes mais vis da II Guerra Mundial e que se suicidou enquanto estava nas mãos dos Aliados.

A sepultura está marcada com um nome e nada mais: Franz von Bodmann.

Agora, de acordo com o jornal britânico The Times, o Comité Internacional de Auschwitz (IAC) pediu ao governo austríaco que informe os visitantes do local sobre o que estão a ver, marcando o túmulo com um aviso a detalhar as suas muitas atrocidades.

“Os crimes de Bodmann estão ocultos”, disse Christoph Heubner, vice-presidente do IAC. “Um perpetrador da SS é apresentado às gerações futuras como um membro honrado da sociedade civil.”

Bodmann também ocupou uma posição sénior em quatro outros campos. Em Neuengamme, na Alemanha, terá matado prisioneiros de guerra soviéticos com Zyklon B.

O túmulo atraiu pouca atenção até ao ano passado, quando o partido de esquerda alemão Die Linke pediu a Berlim que cessasse o financiamento público da manutenção de túmulos para “comandantes de campos de concentração e outros criminosos nazis”.

Historiadores locais propuseram adicionar um painel de informações ao túmulo de Bodmann, listando os seus crimes.

No entanto, Michaela Höfelsauer, autarca de Lend, disse temer que isso pudesse tornar o túmulo um local de peregrinação para a extrema direita.

Além disso, foi informada pelo Ministério do Interior austríaco que não tinha autoridade para fazer alterações no túmulo. Segundo o ministério, todos têm direito à paz após a morte.

O IAC reclamou em março que Eduard Wirths, chefe do tempo de guerra do médico Josef Mengele de Auschwitz, ainda era homenageado num memorial de guerra na sua cidade natal de Geroldshausen, Baviera, onde o seu nome aparece entre muitos outros sob a inscrição “Em memória dos nossos mortos e irmãos desaparecidos”.

Wirths cometeu suicídio em setembro de 1945 num campo de internamento britânico, sabendo que seria entregue à Polónia como um criminoso de guerra, e o memorial era “uma mentira histórica que horroriza e irrita” sobreviventes de Auschwitz.

“É também um triste testemunho do facto de que as pessoas em certos lugares da Alemanha ainda estão a ter dificuldade em lidar com o passado assassino das suas comunidades.”

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Presidente do PSD Oeiras demite-se depois de Rio rejeitar apoiar Isaltino Morais

O presidente da Comissão Política do PSD de Oeiras, estrutura que declarou apoio à candidatura do independente Isaltino Morais à liderança do município, demitiu-se, conforme anunciou esta quinta-feira o próprio, depois de a Comissão Política …

Revolta nas Forças Armadas. Ramalho Eanes entre os 28 ex-chefes militares contra reforma Cravinho

Vinte e oito ex-chefes de Estado-Maior dos três ramos, incluindo o general Ramalho Eanes, assinaram uma carta a contestar o processo da reforma das Forças Armadas em curso e apelaram a um debate alargado à …

Israel reforça presença militar na fronteira com Gaza. "Última palavra ainda não foi dita"

O Exército israelita tinha anunciado, esta quinta-feira à noite, que os seus soldados tinham entrado na Faixa de Gaza. Depois veio negar essa informação, atribuindo a confusão a um problema de "comunicação interna". Na noite desta …

Carta de 1949 revela que Einstein já suspeitava do "super sentido" dos pássaros

Muitas décadas antes de sabermos que alguns animais têm "super sentidos", como é o caso dos pássaros, já o Nobel da Física discutia esse assunto com outros investigadores. Embora não se conheça o conteúdo da primeira …

Ferro empossa comissão de revisão constitucional por três meses. Iniciativa Liberal retira projeto

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, deu esta quinta-feira posse à comissão de revisão constitucional por três meses (90 dias), desejando “votos de muito bom trabalho”, na sala do Senado do Palácio de …

Serena Williams: "A prioridade é a minha filha, não os Jogos Olímpicos"

Recordista do ténis feminino deixa a entender de que não vai a Tóquio. Naomi Osaka coloca dúvidas à volta do próprio evento. "Sou atleta e, por isso, é claro que o meu pensamento imediato é: quero …

A Cidade do México está a afundar a um ritmo incontrolável

Um novo estudo mostra que a Cidade do México, a metrópole mais populosa da América do Norte, afundou tanto que será impossível salvá-la. Depois de séculos de drenagem dos aquíferos subterrâneos, o leito do lago no …

Micróbios podem já estar a comunicar com espécies alienígenas

Os micróbios podem já estar a comunicar com espécies alienígenas, algo semelhante ao que tentamos fazer através do projeto SETI desde 1959. Estaremos sozinhos no Universo? O famoso programa SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) tem tentado …

Tweet de Elon Musk afunda Bitcoins (e dá força à criptomoeda que nasceu como meme)

A Tesla vai deixar de aceitar Bitcoins como forma de pagamento. A revelação foi feita por Elon Musk numa publicação no Twitter e levou à queda do valor da criptomoeda no mercado. A par disso, …

Investigadores criam nova solução para óculos de realidade virtual e aumentada

Uma equipa de investigadores criou uma nova tecnologia para fornecer óculos de realidade virtual que não parecem "olhos de inseto". Num novo artigo publicado na Science Advances, os especialistas descrevem a impressão de ótica de forma …