Atraso de deputados do PS chumba relatório final do inquérito à CGD

Tiago Petinga / Lusa

O deputado do Partido Socialista (PS), João Galamba.

A parte mais relevante do relatório final da comissão de inquérito aos créditos da Caixa Geral de Depósitos (CGD) foi chumbada no Parlamento, devido à ausência de dois deputados do PS que chegaram atrasados aos trabalhos.

No momento em que a globalidade do texto do relator Carlos Pereira (PS) ia ser votado, encontravam-se na sala cinco deputados do PS (de um total de sete efectivos), um do Bloco de Esquerda (BE) e um do PCP, que viabilizariam o relatório, mas os seis deputados do PSD e o elemento do CDS-PP presentes empataram a votação – e no caso de empate, o regulamento determinou que o texto fosse chumbado.

Os deputados do PS ausentes foram João Galamba e Susana Amador que chegaram, mais tarde, após “a confusão levantada e os muitos telefonemas feitos”, só a tempo da segunda parte da votação, conforme relata o Observador.

A TSF fala também de uma “reunião atribulada”, realçando que os “trabalhos chegaram a ser interrompidos durante largos minutos, com muita agitação nos corredores parlamentares”.

O Observador conta que ainda se esgrimiram argumentos, com o PS a alegar que a votação era feita “por grupo parlamentar” e com os deputados de PSD e CDS a acenarem com o artigo 20º do Regime Jurídico dos Inquéritos Parlamentares, apontando que “conta o voto de cada membro da comissão presente no momento da votação”.

No final de contas, venceu a posição dos partidos de direita e a primeira parte do relatório final foi chumbada. De notar que PSD e CDS tinham criticado fortemente algumas das conclusões aí inscritas.

O atraso de Susana Amador terá sido motivado por estar retida na comissão do Ensino Superior, enquanto João Galamba “estava fora do Parlamento” por “motivos pessoais”, conforme apurou o Observador.

PSD diz que com o chumbo “fez-se justiça”

Com o chumbo ao corpo global do relatório final da comissão de inquérito, passaram apenas algumas recomendações do texto do relator Carlos Pereira.

“Não podíamos pactuar com aquilo que já anunciámos como sendo um dos maiores branqueamentos que o Parlamento já fez“, disse o deputado coordenador do PSD, Hugo Soares, considerando que “ao chumbar-se o relatório final fez-se justiça de mostrar ao país que não houve uma comissão parlamentar de inquérito séria”.

Os grupos parlamentares “assumem as responsabilidades pelas presenças e ausências na sala”, disse depois o comunista Miguel Tiago, que não deixou de criticar o PSD por votar contra recomendações para que a CGD fosse 100% detida pelo Estado.

O presidente da comissão de inquérito, Emídio Guerreiro, sublinhou no final dos trabalhos ser “cada vez mais premente” ser revisto o enquadramento das comissões parlamentares de inquérito para que estas no futuro consigam ir “mais longe” e superar “obstáculos”.

A comissão de inquérito debruçou-se sobre a gestão do banco público desde o ano 2000, culminando no processo de recapitalização de cerca de 5.000 milhões de euros aprovado entre o Governo português e a Comissão Europeia, depois de a CGD ter apresentado um prejuízo histórico de 1.859 milhões de euros em 2016.

Ao mesmo tempo, decorre no parlamento uma segunda comissão de inquérito sobre o banco público, esta focada na gestão de António Domingues e na actuação do Governo na nomeação e saída do gestor.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Que esse Galamba era um atrasado do piorio já eu tinha topado há muito ….

    Agora que fosse tão irresponsável para desertar numa votação tão importante para o PS porque iria tentar branquear a culpa dos seus Boys (Varas e outras bostas associadas) é que eu não esperava …. deve ter ido mudar o óleo ao brinco …

  2. Pois é : são a porcaria dos políticos que temos e a responsabilidade que demonstram no exercício das suas funções, infelizmente é esta gente que nos governa e que têm o ordenadinho, (Ordenadão) sempre a tempo e horas e todas as mordomias.
    Não há ninguém que acabe com esta seita de incompetentes, é tudo farinha do mesmo saco e não há volta a dar, deram-lhes o poder para tudo, agora temos de aguentar

  3. Eh, eh, eh. Quem não viu que vá ver as imagens, dá vontade de rir.
    Essa escumalha da geringonça queria mesmo aprovar o texto, mesmo contra a lei, e não foi à primeira que deram o braço a torcer à força da razão, era vê-los a tentar justificar o injustificável. Cambada de parasitas e incompetentes agarrados à mama do poder.

  4. Isto só pode mesmo ser para rir. Isto é total irresponsabilidade. E anda o país entregue a pessoas destas. Se chego atrasada ao emprego , sou repreendida. Se repito vou para o olho da rua. E estes senhores?

RESPONDER

Detido proprietário de jornal de Hong Kong ao abrigo da lei de segurança nacional

A polícia de Hong Kong fez buscas, esta segunda-feira, ao grupo de comunicação social Next Media, considerado pró-democracia, pouco depois da detenção do seu proprietário, ao abrigo da lei de segurança nacional. Dezenas de agentes das …

Detetado surto de covid-19 em lar do Barreiro. Há pelo menos 47 infetados

Um surto de covid-19 no Lar São José, no Barreiro, contabiliza 47 casos positivos e dois internamentos de idosos, mas a "situação está controlada", disse, este domingo, o delegado de saúde adjunto regional de Lisboa …

Índia regista recorde diário de mortes. Reino Unido atinge marca negra

O novo coronavírus continua a alastrar-se um pouco por todo o mundo. Enquanto alguns países estão a conseguir lidar com a pandemia de covid-19, outros estão a fracassar nessa tarefa. Este domingo, no total, registaram-se 6.106 …

"Um disparate". Presidente nega envolvimento na vinda de Juan Carlos para Cascais

O Presidente da República afirmou que “qualquer pessoa minimamente inteligente e sensata” perceberia que o chefe de Estado não se poderia envolver na questão do rei emérito de Espanha, classificando essa ideia como um "disparate". Em …

Plano do hidrogénio vai sair "muito caro" aos portugueses

Os fundadores da Tertúlia Energia defendem que o plano do hidrogénio do Governo tem várias lacunas e vai custar "muito caro" aos consumidores portugueses. Num artigo publicado no jonal ECO, os fundadores da Tertúlia Energia, Abel …

Governo vai lançar plano para salvar empresas viáveis em dificuldades (e perdoar juros ao Fisco)

O Governo vai lançar um plano para salvar empresas viáveis que será um novo mecanismo temporário para ajudar empresas que se encontrem em situação económica difícil ou em insolvência devido à pandemia. O plano, que se …

Fábio Silva a prazo no Dragão. Avançado deverá sair por 40 milhões

Fábio Silva deverá abandonar o FC Porto dentro dos próximos dias. O jovem avançado permitirá um encaixe de 40 milhões de euros para os cofres portistas. A saída de Fábio Silva do FC Porto parece praticamente …

"Há filhos e enteados?". Marques Mendes arrasa decisão "inacreditável" de realizar festa do Avante

Luís Marques Mendes criticou este domingo a realização da festa do Avante, considerando "inacreditável" que a habitual festa comunista seja realizada no atual contexto da pandemia de covid-19 em Portugal. No seu habitual espaço de …

Varandas só tem espaço para 24 jogadores. Metade será de Alcochete

Com o intuito de reduzir custos, o presidente sportinguista, Frederico Varandas, diz que quer um plantel com 24 jogadores para a próxima época. Cerca de metade são produtos de Alcochete. Frederico Varandas pretende encurtar o plantel …

Duas demissões no Governo do Líbano. Beirute ficou com cratera de 43 metros de profundidade

Duas demissões no Governo do Líbano foram anunciadas nas últimas horas depois da explosão no porto de Beirute que provocou pelo menos pelo menos 158 mortos, 6.000 feridos e dezenas de desaparecidos. A ministra da …