/

Ativista ambiental foi “silenciado” pelo Twitter (e acusa a rede social de censura)

No dia 12 de setembro, o ativista ambiental Nyombi Morris viu a sua conta no Twitter ser bloqueada. O jovem acredita que a suspensão do perfil tem motivos políticos por trás, mas a rede social nega.

Nas últimas décadas, o Uganda tem perdido uma das suas maiores riquezas: as florestas. Nyombi Morris, de 22 anos, compareceu num programa de televisão para abordar este tema em setembro, apresentando uma campanha de preservação da floresta Bugoma.

Partes desta floresta foram arrendadas ao fabricante de açúcar Hoima Sugar pelo Reino de Bunyoro-Kitara, em 2016. A Autoridade Florestal Nacional (NFA) processou o reino e a empresa, alegando que a Hoima Sugar não tinha o direito de destruir a floresta. No ano passado, o Tribunal Superior do Uganda decidiu contra a NFA e a Autoridade Nacional de Gestão Ambiental aprovou o uso da terra para plantações de açúcar já em 2020.

Depois de ver a sua conta no Twitter bloqueada, o jovem defende que esta suspensão por parte da rede social está relacionada com o Governo e as indústrias que apoiam a desflorestação.

“O Twitter não dirá o motivo do bloqueio da conta, mas os grupos ambientalistas estão preocupados que esta ação seja parte de uma tendência mais ampla do poderoso sistema de moderação do Twitter de silenciar os ativistas climáticos“, afirmou Nyombi Morris, citado pelo The Verge.

O jovem só recuperou a sua conta no dia 30 de setembro, já depois da publicação do artigo do The Verge. “Não somos sustentados pelos nossos meios. Só as redes sociais nos podem apoiar. Mas se mesmo nas redes sociais formos silenciados, para onde iremos?”, questionou Morris.

Ser ativista climático está a tornar-se um crime. Eles estão prontos para nos prender se sairmos para a rua”, acrescentou.

O Twitter argumentou que as contas suspensas “caíram” num filtro de spam, tendo sido restauradas mais tarde. Nesse sentido, afastaram as suspeitas de que essa ação se devia a pressões de poderosos grupos ligados à desflorestação de florestas.

O Fridays for Future, um movimento cuja cara é a jovem Greta Thunberg, publicou um tweet no final de setembro para alertar sobre o bloqueio de contas de ativistas nas redes sociais.

Isto é inaceitável. Ter uma plataforma para falar sobre a crise climática é fundamental, especialmente para as pessoas e áreas mais afetadas pelas mudanças climáticas.”

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE