Astrónomos intrigados com misteriosa nebulosa incandescente

Universidade da Califórnia em Santa Cruz

O mapa de cor mostra o brilho da superfície da nebulosa MAMMOTH-1 e as seta vermelha mostra a sua extensão espacial

Um grupo de astrónomos descobriu uma gigante e incandescente bolha de gás no Universo, mas não conseguem descobrir como é que a nebulosa está a ser iluminada.

Este objeto está localizado no centro de um enorme aglomerado de galáxias antigas a cerca de 10 mil milhões de anos-luz da Terra, e é o objeto cósmico mais brilhante do seu tipo já encontrado, e um dos maiores. No entanto, não há nenhuma fonte óbvia do seu poder.

O objeto, chamado de “Nebulosa Lyman-alfa” (ELAN), é uma enorme nuvem de hidrogénio, uma enorme concentração de gás, do tamanho de várias galáxias, ou seja, um tamanho de várias centenas de milhares anos-luz.

Enquanto que as outras ELANs descobertas até hoje parecem ser alimentadas pela radiação intensa emitida por quasares, formações de estrelas, ou supernovas, nenhum destes eventos foi encontrado perto deste último exemplo, apelidado de nebulosa MAMMOTH-1.

De acordo com o estudo publicado no Astrophysical Journal, a luz observada pelos cientistas tem o mesmo comprimento de onda que é absorvido e emitido por átomos de hidrogénio enquanto arrefecem – uma descarga conhecida como radiação Lyman-alpha.

Um objeto semelhante foi descoberto em 2000, conhecido como o Lyman-alfa blob 1, localizado na constelação sul de Aquarius, a cerca de 11,5 mil milhões de anos-luz da Terra.

Com um tamanho três vezes maior do que nossa galáxia, a nebulosa descoberta há 17 anos é enorme e extremamente verde, mas até hoje ninguém soube dizer o que está a iluminá-la.

Os cientistas afirmam que os buracos negros supermassivos que engoliam a matéria em galáxias dentro da região central dessa nebulosa poderiam ser responsáveis pela sua incandescência. Agora, a equipa por trás da nova descoberta suspeita que pode estar a acontecer a mesma coisa com a nebulosa MAMMOTH-1.

Vários especialistas apresentaram teorias sobre o motivo do brilho da nebulosa MAMMOTH-1, mas as mais prováveis giram em torno de radiação ou de descargas provenientes de um núcleo galáctico ativo (AGN).

O núcleo galáctico ativo é uma região compacta no centro de galáxias que têm uma luminosidade muito maior do que é normal. A equipa de cientistas explica que os AGNs são alimentados por um buraco negro supermassivo que se alimenta ativamente de gás no centro de uma galáxia e são conhecidos por serem fontes de luz.

A radiação intensa emitida por AGNs ioniza o hidrogénio no espaço e isso pode fazer com que as ELANs emitiam uma radiação Lyman-alfa muito brilhante.

Os quasares – os objetos mais brilhantes do Universo – são conhecidos por serem os AGNs mais luminosos, mas, segundo os cientistas, a nebulosa MAMMOTH-1 não está associada a nenhum quasar.

“Ele tem todas as características de um AGN, mas ainda não observamos nada nas nossas imagens óticas. Acho que há um quasar por perto que está tão escurecido pela poeira que a maior parte de sua luz está escondida”, afirmou Xavier Prochaska, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz.

A equipa está a trabalhar para detetar um quasar a cerca de 10 bilhões de anos-luz da Terra mas, até lá, a mais brilhante nebulosa conhecida continuará a ser um mistério cósmico.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Siza Vieira abriu imobiliária um dia antes de entrar no Governo

O ministro Adjunto do primeiro-ministro abriu uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse, acumulando a gerência não remunerada com o cargo governamental. Pedro Siza Vieira abriu uma empresa de compra e venda de bens …

Lisboa, Porto e Coimbra podem vir a ter megatribunais

O Governo prevê investir quase 275 milhões de euros na próxima década na construção e requalificação de tribunais. Lisboa, Porto e Coimbra deverão ganhar um novo grande tribunal. Em Lisboa, Porto e Coimbra, o Governo defende …

Desmantelamento de base nuclear na Coreia do Norte vai começar

A Coreia do Norte deve iniciar esta quarta-feira o desmantelamento de uma base nuclear em Punggye-ri. Depois de terem negado o acesso aos jornalistas, o Governo volta atrás e permite a cobertura jornalística Vai começar o desmantelamento …

Zuckerberg foi ao Parlamento Europeu pedir desculpa

Mark Zuckerberg desculpou-se no Parlamento Europeu pela incapacidade demonstrada pela sua empresa para evitar que os dados pessoais dos cidadãos europeus fossem erradamente usados A dois dias da entrada em vigor da legislação europeia para a …

Lasers podem deixar computadores um milhão de vezes mais rápidos

Uma nova técnica promete fazer com que a computação seja até um milhão de vezes mais rápida do que é atualmente, através do uso do laser na propagação de informações. Mil milhões de operações por segundo …

Morreu o escritor norte-americano Philip Roth

O escritor norte-americano morreu de insuficiência cardíaca, aos 85 anos, disse o agente literário à agência noticiosa Associated Press. Natural de Newark, Nova Jérsia, Philip Roth, habitualmente mencionado como candidato ao Nobel da Literatura, era considerado …

Contacto com germes pode prevenir leucemia em crianças

Análise baseada em 30 anos de estudos aponta que a leucemia linfoblástica aguda tem a sua origem em infâncias sem exposição de germes ao sistema imunitário. Uma das causas mais comuns de cancro nas crianças, a …

250 siberianos tornaram-se nos primeiros nativos americanos

Uma recente análise genética sugere que a população fundadora dos nativos americanos que migrou da Sibéria era composta por aproximadamente 250 indivíduos. Apesar dos inúmeros estudos genéticos, os cientistas ainda não tinham chegado a um consenso …

Afinal, o maior anfíbio do mundo são cinco

A salamandra-gigante-da-china não é uma espécie, mas cinco. Estas espécies estão em risco de extinção devido à má gestão da conservação. O maior anfíbio do mundo, a salamandra-gigante da-China (Andrias davidianus) são cinco espécies diferentes. A …

Cientistas chineses descobrem possível origem dos misteriosos sinais extraterrestres

Cientistas chineses encontraram uma nova explicação para as misteriosas e rápidas rajadas de rádio. Os especialistas acreditam que os "sinais extraterrestres" são originados por um tipo específico de estrela de neutrões: as "estrelas estranhas". Em 2001, …