Asteróide que matou os dinossauros causou extinção em massa dos megatubarões

(dr) Julius Csotonyi

Lythronax e T-Rex alimentam-se dos restos de um Squalicorax. Ilustração do paleoartista Julius Csotonyi

Os megatubarões foram extintos e tornaram-se peixes comuns devido a uma escassez extrema de alimento, que era constituído por espécies menores das profundezas marinhas, segundo concluiu um estudo de Nicolas Campione, cientista da Universidade da Nova Inglaterra.

Há 66 milhões de anos, a Terra foi atingida no Golfo do México por um enorme asteróide, que eliminou dezenas de espécies de animais em todo o planeta, mudou o clima e todo o processo de evolução em geral.

No entanto, os dinossauros, os insectos e as aves não foram os únicos a sofrer com a queda do famigerado corpo celeste. Recentemente, os cientistas concluíram que o “asteróide-assassino” de dinossauros também foi a causa da morte em massa de várias espécies de tubarões.

Durante toda a era do Cretácico, eram precisamente os tubarões que dominavam os oceanos. Já em terra, os “reis” eram os grandes dinossauros carnívoros e herbívoros.

Alguns destes tubarões alimentavam-se de moluscos e grandes répteis. Infelizmente para os tubarões, o asteróide provocou a extinção maciça dos grandes répteis – como o gigantesco Mosasaurus, que podia atingir 17 metros de comprimento – deixando os megatubarões sem comida.

O cientista Nicolas Campione, da Universidade da Nova Inglaterra, na Austrália, descobriu que os tubarões gigantescos foram extintos precisamente por causa da escassez de alimentação. A pesquisa foi publicada esta quinta-feira na revista Current Biology.

O esqueleto de tubarão é composto essencialmente de cartilagens, o que dificulta os estudos dos tubarões pré-históricos. Mas isso é coisa que se resolve com facilidade – através da observação dos seus dentes.

David Ward / The Natural History Museum

Fóssil de dente de Squalicorax, um gigantesco tubarão do Cretácico que podia chegar aos 5m

O cientista comparou os maxilares de tubarões pré-asteróide e dos tubarões pós-asteróide, mostrando que o número e forma dos dentes mudou verdadeiramente – uma evidência de que as espécies pré-asteróide foram extintas em massa, sendo substituídas por novas espécies.

Segundo Nicolas Campione, apesar de serem maiores que os megatubarões como o Squalicorax, e provavelmente seus predadores, os Mosasaurus faziam parte da dieta dos primeiros. Os Squalicorax alimentavam-se não só dos corpos dos gigantescos répteis mortos, como também de suas crias, explica o cientista.

Após a queda do asteróide, uma parte dos répteis marinhos foi substituída por grandes mamíferos, enquanto outra parte tinha demasiados ossos para servir de alimentação aos tubarões. Deste modo, na época morreram 34% das espécies de carnívoros marinhos.

Parte destas espécies não sobreviveu até aos nossos dias porque durante a evolução se tornaram em peixes comuns. Mas uma boa parte delas, como é o caso dos megatubarões, simplesmente desapareceu porque, concluiu Nicolas Campione, a evolução não é compatível com uma alteração de dieta tão rápida e… radical.

(dr) Universal Pictures

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A teoria do asteróide segundo alguns cientistas independentes já deu o que tinha a dar. Venham novas teorias que a velha já era.

RESPONDER

Meteoritos desconhecidos podem estar a "bombardear" a atmosfera da Terra à velocidade da luz

Não é segredo que a Terra ocasionalmente recebe rochas do Espaço que explodem na atmosfera ou causam impacto na superfície. A Terra também vê chuvas de meteoros regularmente sempre que passa por nuvens de detritos …

Descoberto o ingrediente secreto para desenvolver um escudo contra radiação espacial mortal

Investigadores da Universidade Estadual da Carolina do Norte desenvolveram uma nova técnica para proteger eletrónicos da tecnologia de exploração militar e espacial da radiação ionizante. A nova abordagem é mais económica do que as técnicas …

Guardas e familiares das vítimas pediram clemência. Mas Nicholas Sutton foi executado

O norte-americano foi executado, esta quinta-feira, no Tennessee, devido ao assassinato de quatro pessoas, apesar de alguns pedidos de clemência por parte de guardas prisionais e familiares das vítimas. De acordo com a CNN, Nicholas Sutton, …

O primeiro drone acrobático tripulado de sempre é testado a fazer piruetas

Um novo vídeo mostra que o "Big Drone", da Drone Champions AG, é capaz de fazer acrobacias alucinantes com um passageiro dentro. A tecnologia dos drones melhora de vento em popa com o passar dos anos …

Fenómeno extremo ameaça corais na Grande Barreira na Austrália. E já matou quase metade

A Grande Barreira de Coral da Austrália pode estar a enfrentar a terceira "descoloração" no espaço de cinco anos, fenómeno provocado por um aumento da temperatura das águas do mar. Como avançou o Expresso, este fenómeno …

Trump critica cerimónia dos Óscares, "Parasitas" e Brad Pitt

O Presidente norte-americano criticou a cerimónia dos Óscares, esta quinta-feira, nomeadamente a atribuição do prémio de Melhor Filme para o sul-coreano "Parasitas" e ainda o ator Brad Pitt. Na noite desta quinta-feira, num comício em Colorado …

Paris lança número de emergência para fazer frente à crise de percevejos

O Governo francês lançou uma campanha, esta quinta-feira, para fazer frente à crise de percevejos que se instalou em Paris. Segundo a agência France-Press, citada pelo The Guardian, casas e hotéis da capital francesa estão a …

"Radical chique" e "ressentido". Filho de Paulo Branco pode ter sido o pivot do escândalo sexual em França

Juan Branco, o filho do produtor de cinema Paulo Branco, é o homem do momento em França. O advogado de 30 anos saltou para as luzes dos média no âmbito da divulgação do vídeo sexual …

Alcochete. "Se Mustafá estivesse lá aquilo não tinha acontecido"

O arguido Emanuel Calças disse, esta sexta-feira, em tribunal que, se Mustafá estivesse com o grupo que invadiu a academia do Sporting, "aquilo não tinha acontecido". "Tenho a certeza de que se o Mustafá estivesse presente …

Coronavírus ameaça o têxtil português (mas também é uma "oportunidade")

O sector têxtil nacional está ameaçado e pode parar a produção já em Março. Tudo devido à falta de matéria-prima que vem da China e que se deve à epidemia do novo coronavírus. A "situação …