/

Asteróide colossal passa próximo da Terra esta sexta-feira

5

P.Carril / ESA

Um asteróide de enormes dimensões vai alcançar o seu ponto mais próximo da Terra esta sexta-feira, 8 de março. Contudo, não há motivos para alarme: a sua trajetória não apresenta qualquer ameaça para o nosso planeta. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Foi no final de fevereiro passado que o Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (JPL) observou pela primeira vez a aproximação deste asteróide.

O corpo celeste (2019 DN) tem um diâmetro estimado entre 90 a 200 metros, movendo-se a uma velocidade superior a sete quilómetros por segundo.

O 2019 DN pertence ao grupo de asteróides Amor, cujas órbitas são externas à Terra. Nesta sexta-feira, o enorme corpo passará uma distância aproximada de 5,18 milhões de quilómetros do nosso planeta, cerca de 13 vezes a distância a que se localiza a Lua.

O portal Science Alert nota que, na verdade, este corpo nem será o maior asteróide que se aproximará de nós durante este mês. O 2019 CD-9, com dimensões ligeiramente maiores, entre 100 a 230 metros de diâmetro, deve chegar também em março, atingindo um ponto um pouco mais próximo do que o visitante desta sexta-feira.

Muito poucos destes corpos representam um potencial perigo para a Terra, mas quanto mais soubermos e entendermos sobre os asteróides, mais bem preparados estaremos para tomar as medidas apropriadas quando estes forem direcionados a nos”, explicou a agência espacial norte-americana em nota.

Com o objetivo de prever acontecimentos desta natureza, a NASA tem uma lista que é constantemente atualizada e que acompanha cada movimentação de cada corpo rochoso. Esta informação pode ser acompanhada na página da NASA NEO Earth Close Approaches.

  ZAP //

5 Comments

  1. Tudo agora é colossal ou gigantesco. Ele é grande, tem 200 metros e numa escala desse tipo de coisa com relação ao estrago que ele pode causar é grande mas, colossal? Meu Deus!

  2. Alerta, alerta! O mundo vai acabar! A Lua, um objeto com milhares de quilómetros de diâmetro, está sempre a passar a uns 300 mil quilómetros da terra, ou seja apenas a 6% da distância a que vai passar o tal asterioide.
    Francamente…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.