As mulheres sofrem mais com o fim das relações (mas recuperam mais depressa)

De acordo com um grupo de cientistas britânicos e americanos, as mulheres sofrem mais com o fim das suas relações amorosas, mas recuperam mais rapidamente do que os homens.

O estudo, publicado na revista científica Evolutionary Behavioural Sciences, revela que as mulheres sofrem um maior impacto emocional e físico.

No entanto, tendem a recuperar mais rapidamente do que os homens, tornando-se emocionalmente mais fortes.

Já no lado do sexo masculino, os homens não conseguem recuperar totalmente e, por isso, tendem a seguir em frente.

O estudo foi o resultado de uma parceria entre a Universidade de Binghamton, Estados Unidos, e a britânica University College London e contou com a participação de 5705 depoimentos de 96 países.

Segundo Craig Morris, coordenador da pesquisa e investigador em antropologia na Universidade de Binghamton, as diferenças são causadas por razões biológicas.

“Basicamente, as mulheres evoluíram para investir muito mais num relacionamento do que os homens”, diz o coordenador do estudo.

“É este risco de maior investimento biológico que, em termos evolutivos, fez as mulheres ficarem mais exigentes na escolha de um parceiro. Portanto, a perda de um relacionamento de qualidade é mais dolorosa para as mulheres”, acrescenta.

Por outro lado, os homens têm evoluído para competir pela atenção das mulheres e, portanto, a perda não magoa tanto no início mas custa mais a ser ultrapassada.

Universidade de Binghamton

Craig Morris, professor na Universidade de Binghamton, EUA, e coordenador do estudo

Craig Morris, professor na Universidade de Binghamton, EUA, e coordenador do estudo

Através de um questionário online, os participantes tiveram de descrever como reagem emocionalmente quando acabam um relacionamento e que tipo de respostas físicas já experimentaram.

No geral, os dois géneros sentem as emoções com uma intensidade semelhante. Em ambos os casos, a raiva foi a resposta mais dada na parte das emoções e a insónia na parte física.

As mulheres relataram uma maior intensidade que os homens em quase todos os fatores após o final de uma relação.

Relativamente às emoções, para além da raiva, destacaram emoções como a ansiedade, a depressão e o medo de falhar no seu desempenho académico e/ou profissional.

Em relação à parte física, as náuseas, a falta de apetite, os ataques de pânico e alterações de peso e do sistema imunológico são alguns exemplos.

Enquanto isso, os homens apresentaram uma maior intensidade em apenas dois fatores emocionais: a perda de concentração e a insensibilidade emocional.

Segundo Morris, a maioria das pessoas vive, em média, três ruturas amorosas antes de atingir os 30 anos de idade e, pelo menos, uma magoa o suficiente para nos afetar durante semanas ou meses.

“Algumas pessoas chegam a perder o emprego, estudantes deixam de ir às aulas e alguns indivíduos podem mesmo desenvolver padrões extremamente destrutivos de comportamento”, afirma.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Sporting 1-0 Aberdeen | "Leão" eficaz segue para o play-off

O Sporting foi eficaz e assegurou uma vaga no “play-off” de acesso à fase de grupos da Liga Europa. Na noite desta quinta-feira, num embate relativo à 3ª pré-eliminatória da competição, os “leões” bateram o Aberdeen …

A NASA descobriu uma nova forma de aterrar em segurança na Lua

A NASA construiu um sistema totalmente novo que pode tornar a aterragem na Lua e em Marte muito menos arriscada - e já tem planos de testá-lo numa missão futura. De acordo com o TechCrunch, o …

Rio Ave elimina Besiktas e está no play-off da Liga Europa

O Rio Ave venceu os turcos do Besiktas, esta quinta-feira, no desempate por grandes penalidades (4-2), após o 1-1 no tempo regulamentar, em jogo da terceira pré-eliminatória da Liga Europa, seguindo em frente na competição. Em …

Dois dinossauros morreram como as vítimas de Pompeia. Foi há 125 milhões de anos, na China

Um grupo de arqueólogos na China acabou de descobrir dois fósseis de uma nova espécie de dinossauro, que estiveram presos no subsolo por 125 milhões de anos devido a uma erupção vulcânica pré-histórica. Os investigadores …

Batalhas de feiticeiros e círculos de demónios. Revelados textos cristãos que não foram incluídos na Bíblia

Os textos da Bíblia como a conhecemos hoje foram "canonizados" pela primeira vez pela Igreja no final do século IV. No entanto, antes disso, centenas de outros textos religiosos circularam por toda a Cristandade. Há mais …

Autoeuropa confirma que não irá renovar contrato a 120 trabalhadores

A administração da fábrica de automóveis Volkswagen Autoeuropa, em Palmela, confirmou, esta quinta-feira, que não vai renovar os contratos a termo de 120 trabalhadores ligados à produção dos veículos MPV (Multi-Purpose Vehicle). "A Autoeuropa reafirmou a …

Glaciar na Islândia "escondia" bombardeiro norte-americano da 2ª Guerra Mundial

Os destroços de um bombardeiro norte-americano B-17 Flying Fortress que colidiu com o glaciar Eyjafjallajökull durante a II Guerra Mundial estão gradualmente a aparecer à medida que a geleira recua devido às alterações climáticas. De acordo …

40 anos depois, assassino de John Lennon pede desculpa pelo crime "desprezível"

Mark David Chapman, o homem que assassinou John Lennon, diz que matou o ex-Beatle por "raiva e ciúmes" e pediu desculpa a Yoko Ono, 40 anos depois. Em 1980, Chapman atingiu John Lennon com quatro tiros …

Reportado o primeiro caso de parkinsonismo após infeção de covid-19

Um homem de 45 anos de Israel revelou sintomas da doença de Parkinson (parkinsonismo) logo depois de ter sido infetado com a covid-19. Tal como frisa o portal IFL Science, os vírus foram já muitas …

Pico da segunda vaga em Portugal poderá ser no início de outubro

Um estudo, publicado esta quarta-feira, indica que o pico da segunda vaga em Portugal poderá acontecer no início de outubro, na semana entre 5 e 11 de outubro.  De acordo com a rádio Renascença, previsões da consultora …