Aquilo que comemos afecta os nossos genes

Nunca a expressão “somos o que comemos” fez tanto sentido. Uma investigação científica comprova que a comida que ingerimos influencia os nossos genes.

Esta investigação, publicada no jornal científico Nature Microbiology, constatou que quase todos os nosso genes podem ser influenciados pela comida que ingerimos.

A equipa internacional de investigadores liderada por Markus Ralser da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, analisou o processo do metabolismo a partir de células de levedura.

A levedura é mais fácil de manipular do que organismos de maiores dimensões e dispõe de um sistema genético e celular idêntico ao dos animais e dos humanos, o que explica a escolha dos investigadores, conforme se justifica no comunicado divulgado pela UC.

Para avaliarem como é que o metabolismo, ou seja, a transformação da comida em energia por parte das células, afectava os genes nas células de levedura, os investigadores manipularam as reacções metabólicas geradas pelo processo bioquímico.

“Quase nove em dez genes e os seus produtos foram afectados por mudanças no metabolismo celular”, notaram os cientistas.

“O metabolismo celular joga um papel muito mais dinâmico nas células do que pensávamos antes. Quase todas as células de um gene são influenciadas pelas mudanças dos nutrientes a que têm acesso. De facto, em muitos casos, os efeitos foram tão fortes que, mudar o perfil metabólico de uma célula fazia com que os genes se comportassem de uma forma completamente diferente“, explica Markus Ralser.

“A visão clássica é de que os genes controlam como os nutrientes são partidos em moléculas importantes, mas mostrámos que o oposto é também verdade: a forma como os nutrientes se partem afecta como os nossos genes se comportam“, esclarece ainda o investigador.

Conhecer o genoma de uma pessoa – a sua impressão de ADN – não dá assim, todo o quadro relativamente ao seu organismo.

Os genes podem sofrer alterações e a rede do metabolismo pode também interferir na sua regulação, através das reacções bioquímicas que ocorrem dentro do organismo em função dos açúcares, aminoácidos, ácidos gordos e vitaminas gerados pela comida que ingerimos.

As conclusões retiradas do estudo podem ter implicações no domínio da pesquisa quanto à forma como reagimos a certos medicamentos e explicar porque é que alguns funcionam com umas pessoas e não funcionam com outras.

ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Responder a Jules Cancelar resposta

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …