Antártida está a derreter a um ritmo alucinante (e pode afetar Portugal)

Nos últimos 25 anos, a perda de gelo na Antártida contribuiu para uma subida do nível médio da água do mar de 7,6 milímetros. “Os impactos podem ser a vir muito grandes, principalmente em países que tenham linhas costeiras como Portugal”, alerta o investigador José Xavier.

A Antártida é o exemplo perfeito do efeito das alterações climáticas no nosso planeta, isto porque está a perder gelo continuamente. Aliás, desde 1950, já desapareceram 34 mil quilómetros quadrados da plataforma de gelo, indica um estudo publicado esta quinta-feira na revista Nature.

Uma edição especial da revista científica sobre a Antártida, denominada Choosing the future of Antárctica, vários cientistas explicam que a monitorização da região através de satélite mostra a contínua perda de gelo para os oceanos.

Esta análise tem por base os registos feitos durante décadas por cientistas das Universidades de Leeds (Reino Unido), da Califórnia (em San Diego, Estados Unidos) e de Maryland (Estados Unidos).

Embora o estudo indique que desde a era dos satélites não se tem aparentemente notado mudanças gerais muito significativas, há “sinais de um declínio de longo prazo“.

Assim, de acordo com os cientistas, as plataformas de gelo dos mares de Amundsen – que já teve três quilómetros de espessura – e de Bellingshausen estão 18% mais finas do que no início dos anos 90. Além disso, o aumento acentuado das temperaturas do ar fez colapsar plataformas de gelo na península antártica.

São mais de 150 os estudos tentam determinar quanto gelo o continente está a perder.

Um deles, também publicado nesta edição especial da Nature, envolveu 84 cientistas e 44 organizações, que combinaram 24 pesquisas por satélite. Com essas pesquisas concluíram que, entre 2012 e 2017, a Antártida perdeu 219 mil milhões de toneladas de gelo por ano, três vezes mais do que antes de 2012.

Com base nestes dados, os cientistas concluíram que as perdas de gelo da Antártida aumentaram os níveis do mar em 7,6 milímetros desde 1992, dois quintos desse aumento ou seja, três milímetros, nos últimos cinco anos.

Mas por que motivo a Antártida é um bom indicador para o estudo das alterações climáticas e da subida do nível do mar? No início do artigo sobre a perda de gelo, a resposta a esta pergunta surge bem evidenciada. “As camadas de gelo da Antárctida têm água suficiente para aumentar o nível global do mar em 58 metros.”

Assim, compreender o balanço da massa de gelo é fundamental para estimar as mudanças que ocorrem nessa região. Os estudos ganham dimensão se quisermos perceber os impactos – tanto atuais como futuros – das alterações climáticas.

Desde 1992, a Antártida já perdeu cerca de três biliões de toneladas de gelo, avança o Público. Andrew Shepherd, da Universidade de Leeds, frisou que as perdas de gelo aumentaram na última década, fazendo com que o nível da água do mar suba mais rapidamente do que em qualquer outro período nos últimos 25 anos.

Esta tem de ser uma preocupação dos Governos, reitera o cientista. Erik Ivins, da NASA, avisa que o estudo pode ser considerado o mais fiável sobre a massa de gelo do continente, tendo em conta o período de observação, o número de participantes e as técnicas utilizadas.

Em suma, segundo os cientistas, a Antártida Ocidental e a Península Antártica perderam gelo. Também o crescimento da camada de gelo na Antártida Oriental foi reduzido.

A Antártida Ocidental perdeu 53 mil milhões de toneladas de gelo por ano na década de 1990, passando para 159 mil milhões a partir de 2012. Desde o início do século o extremo norte do continente também está a perder anualmente 25 mil milhões de toneladas de gelo. A única zona de equilíbrio, a leste, ganhou apenas cinco milhões de toneladas de gelo por ano, nos últimos 25 anos.

José Xavier, investigador e professor da Universidade de Coimbra, envolvido no estudo, revela à TSF que se não tomadas medidas urgentemente, dentro de 10 anos grande parte dos efeitos que a ciência traça para 2070 já não poderão ser evitados.

“Os impactos podem ser a vir muito grandes, principalmente em países que tenham linhas costeiras como Portugal“, alerta o investigador.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. E continuam mentindo querendo dizer que o que o Criador fez é imperfeito.Por que será que ninguém consegue provar que a Antártida é o que é?Por que será que não dizem que a Antártida cerca nosso planeta inteiro e que se navegarmos rumo ao sul independente de onde saímos ,em qualquer parte que estivermos nesta terra iremos bater na borda (Antártida),e que o norte é o centro da terra?
    Existe provas suficientes de que nenhum gelo está derretendo e que não existe” aquecimento global”.Qual será o verdadeiro motivo para que estas notícias mentirosas chegam até nós?Será que é porque a Nada é uma farsa também?

RESPONDER

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …

Pombos estão a perder dedos ou patas por causa da poluição

Basta passar algum tempo na praça de uma cidade para ver que alguns pombos têm patas feridas ou dedos em falta. Embora possamos pensar que isto é causado por algum vírus ou pelos eventuais desentendimentos …

Descoberto no Japão fóssil de pássaro com 120 milhões de anos

O fóssil de um pássaro do Cretáceo recentemente descoberto no Japão pode levar os cientistas a repensarem alguns detalhes sobre a evolução do voo. Há cerca de 120 milhões de anos, um pássaro com o tamanho …