Americanos infetados com Ébola receberam soro experimental

samaritanspurse.org

Equipa de médicos norte-americanos em luta contra o Ébola. À direita, Kent Brantly

Equipa de médicos norte-americanos em luta contra o Ébola. À direita, Kent Brantly

Pelo menos um dos dois norte-americanos que contraíram o vírus Ébola na Libéria recebeu um soro experimental enviado pelos Estados Unidos para tratar a doença, noticia a imprensa norte-americana.

O médico Kent Brantly e a missionária da organização de beneficência norte-americana Samaritan’s Purse Nancy Writebol apresentaram os sintomas do Ébola (febre, vómitos e diarreia), no final de julho, tendo os exames de sangue confirmado que tinham a doença.

No sábado, Brantley, de 33 anos, foi transportado num jato particular da Libéria até à base da força aérea norte-americana de Dobbins, nos arredores de Atlanta, tendo ficado internado num hospital perto da Universidade de Emory.

Segundo a cadeia de televisão NBC, Nancy Writebol chegará a Atlanta na terça-feira e será internada no mesmo hospital.

A Samaritan’s Purse revelou que foi enviado para a Libéria “um soro experimental numa dose suficiente para uma pessoa” para tratar a doença.

A organização adianta que Kent Brantly ofereceu a sua dose à missionária e que o médico “recebeu uma transfusão de sangue de um rapaz de 14 anos que sobreviveu ao Ébola”.

No entanto, a cadeia de televisão CNN e outros meios de comunicação apresentam uma versão diferente, contando que, após terem chegado à Libéria as ampolas com soro congelado, Brantly sugeriu que a primeira dose fosse administrada a Nancy Writebol, afirmando que, sendo mais jovem, tinha mais probabilidade de resistir à doença.

Mas quando a saúde de Brantly piorou, os médicos optaram por aplicar-lhe o primeiro tratamento e começou logo a melhorar.

Nancy Writebol também recebeu uma dose, mas a sua reação não foi tão positiva como a do médico, razão pela qual lhe foi administrada uma dose adicional no domingo.

Cura para o Ébola?

Embora ninguém tenha esclarecido em que consiste o soro, William Schaffner, professor de medicina preventiva e de doenças infeciosas do Centro Médico da Universidade Vanderbilt, no Tennessee, disse que os métodos investigados para combater o Ébola contêm anticorpos contra o vírus.

“Há uma larga tradição do uso do soro da imunidade como tratamento”, disse Schaffner ao portal Life Science.

A imprensa norte-americana informa que os Institutos Nacionais de Saúde estiveram em contacto com a Samaritan’s Purse e ofereceram o tratamento experimental conhecido como ZMapp.

O composto foi desenvolvido pela empresa de biotecnologia Mapp Biopharmaceutical e os pacientes foram informados de que o tratamento ainda não tinha sido testado em humanos, mas que tinha tido resultados promissores em testes feitos com macacos.

A empresa informa que quatro macacos infetados com o Ébola sobreviveram depois de receber o tratamento antes de passarem 24 horas da infeção, assim como outros dois macacos que começaram o tratamento 48 horas após a infeção.

A Mapp adianta a que o composto é um anticorpo monoclonal obtido a partir de ratinhos expostos a fragmentos do vírus.

Os anticorpos gerados no sangue dos ratos foram recolhidos para criar o medicamento que supostamente trabalha impedindo o vírus de entrar e infetar novas células.

O Ébola já matou 887 pessoas em África, segundo um relatório da Organização Mundial de Saúde divulgado esta segunda-feira, segundo o qual foram já notificados 1.603 casos na Guiné, Libéria, Serra Leoa e Nigéria.

Banco Mundial disponibiliza 149 milhões para África

O Banco Mundial anunciou na segunda-feira que irá disponibilizar cerca de 149 milhões de euros para ajudar a Guiné, a Libéria e a Serra Leoa a conter o surto de Ébola.

O presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, ele próprio um especialista em doenças infecciosas, disse que tem vindo a acompanhar a disseminação do vírus e que está “profundamente triste” com a forma como o Ébola está a contribuir para a quebra dos “já fracos sistemas de saúde nos três países.”

“Estou muito preocupado porque muitas mais vidas estão em risco, a menos que consigamos parar a progressão desta epidemia”, referiu Jim Yong Kim, em comunicado.

O financiamento ajudará a fornecer suplementos médicos, pagar aos profissionais de saúde e atender a outras prioridades para conter a epidemia e tentar evitar futuros surtos da doença, explicou o Banco Mundial.

O Banco Mundial fez o anúncio aos líderes africanos, mas também aos 35 presidentes que estão em Washington para participar na cimeira EUA-África.

Uma estimativa inicial do Banco Mundial e do FMI apurou que a Guiné perderia um ponto percentual no crescimento do Produto Interno Bruto, passando de 4,5% para 3,5% num ano devido à epidemia.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Clarisse: dois gestos que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também para os registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …

Tribunal europeu dá razão à SIC e condena Estado por violar liberdade de expressão

Portugal foi condenado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH) por violação da liberdade de expressão num caso em que a SIC foi obrigada a indemnizar um ex-deputado do PS por ofensa à sua …

Misturar doses da AstraZeneca e da Pfizer aumenta até seis vezes as defesas contra covid-19

Um novo estudo realizado na Coreia do Sul concluiu que o número de anticorpos contra a covid-19 aumentou seis vezes em quem misturou as doses da AstraZeneca e da Pfizer em relação a quem tomou …