“Ameaça sem precedentes”. Míssil norte-coreano sobrevoou o Japão

(dv) KCNA / YONHAP

A Coreia do Norte realizou um novo disparo de míssil balístico em direção ao Mar do Japão.

Durante a madrugada desta terça-feira, Pyongyang lançou um míssil que sobrevoou o Japão. As autoridades nipónicas pediram aos habitantes da ilha Hokkaido que procurassem refúgio.

O primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, classificou o míssil que sobrevoou o Japão durante a madrugada de terça-feira como uma “ameaça sem precedentes” por parte de Pyongyang. Kim Jong-un tem conduzido uma série de testes de mísseis nos últimos meses, mas esta é a primeira vez que um míssil desta natureza sobrevoa o território do Japão – neste caso, a ilha de Hokkaido.

Os residentes da ilha foram imediatamente aconselhados pelas autoridades a procurarem refúgio “em edifícios robustos ou em caves”. O Jornal de Notícias, que cita a televisão pública japonesa, avança que o míssil se partiu em três partes, antes de cair na água, ao largo da ilha.

Shinzo Abe já pediu uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU. O Japão vai tomar “todas as medidas” necessárias para assegurar a segurança da população, declarou Abe.

Segundo um porta-voz do primeiro-ministro japonês, o míssil sobrevoou a ilha de Hokkaido, no norte do país, e caiu em águas do Pacífico a 1180 quilómetros da costa japonesa. “Não foi causado qualquer dano a aviões ou navios” na zona, acrescentou.

Segundo o Exército da Coreia do Sul, o míssil foi lançado pouco antes das 6h da manhã locais (21h em Lisboa) de um local próximo da capital norte-coreana, Pyongyang, algo que também é raro.

O Expresso avança com uma análise preliminar ao teste, sugerindo que o míssil percorreu uma distância de mais de 2700 quilómetros, atingindo uma altitude máxima de cerca de 550 quilómetros (abaixo de outros mísseis recentemente lançados) antes de se desfazer em três partes que caíram no norte do Oceano Pacífico, a 1180 quilómetros da costa nipónica.

Tudo indica que se tratou de um Hwasong-12, um recém-desenvolvido míssil balístico de médio alcance capaz de incorporar ogivas nucleares em miniatura.

O lançamento do míssil, que as forças nipónicas não tentaram abater, ocorreu numa altura em que os EUA e o Japão continuam a conduzir exercícios militares conjuntos em Hokkaido. Face a isto, o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, ordenou uma “esmagadora” demonstração de força, destacando quatro caças de guerra para os exercícios desta terça-feira.

Entre os países que já reagiram ao lançamento está a Rússia. Moscovo disse-se “extremamente preocupada” com a situação na península coreana, constatando uma “tendência para uma escalada” da tensão, depois de Pyongyang ter disparado um míssil que sobrevoou o Japão.

“Nós vemos uma tendência para uma escalada e estamos extremamente preocupados com o desenvolvimento geral” da situação na península, declarou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Riabkov, citado pela agência noticiosa estatal RIA Novosti.

Também a China se manifestou, pedindo contenção a todas as partes envolvidas.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas vai realizar, esta terça-feira, uma reunião de emergência em Nova Iorque, a pedido de Tóquio e de Washington, na sequência do lançamento do míssil que, pela primeira vez desde 2009, sobrevoou o Japão.

O lançamento do míssil acontece num contexto de crescente tensão entre Washington e Pyongyang, com ameaças de parte a parte.

Coreia do Sul respondeu com oito bombas

Depois de a Coreia do Norte ter lançado um míssil que sobrevoou o território japonês, a Coreia do Sul saiu em defesa dos nipónicos. A Força Aérea sul-coreana respondeu com oito bombas MK 84 lançadas por quatro aviões F-15K na província de Gangwon, a norte da Coreia do Sul.

Segundo a TSF, uma bomba MK 84 pesa cerca de 910 quilos e serve para penetrar alvos mais protegidos. A província onde as bombas foram lançadas fica a 108 quilómetros de Seul, próxima da fronteira com a Coreia do Norte. Pyongyang fica a 195 quilómetros de Seul.

Segundo um oficial do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, as oito bombas atingiram o alvo. “O exercício reconfirmou a capacidade da Força Aérea sul-coreana para destruir a liderança do inimigo em caso de emergência”.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. “atingindo uma altitude máxima de cerca de 550 quilómetros (abaixo de outros mísseis recentemente lançados)” Foi portanto para lá da Troposfera, Estratosfera (que os aviões conseguem tenuemente atingir 12-13 kms), Mesosfera (que limita a camada de Ozono), ultrapassando ainda a Termosfera e subindo à Exosfera. De que é feita a “esfera” da pessoa que traduziu este texto?

    • Caro Pedro,
      É assim que funcionam os mísseis balísticos, que no caso dos ICBMs no seu apogeu chegam a atingir os 1200 km de altitude.
      As seguintes fases de voo podem ser distinguidas:
      fase de arranque — 3 a 5 minutos (para um foguete sólido menor do que para um foguete com propelentes líquidos); a altitude no final desta fase é normalmente entre 150 e 400 km , dependendo da trajetória escolhida, e a velocidade de saída é normalmente de 7 km/s
      fase intermediária — aproximadamente 25 minutos — voo sub-orbital numa órbita elíptica; a órbita é parte de uma elipse com eixo principal vertical; o apogeu (metade da fase intermediária) ocorre numa altitude de cerca de 1200 km; o eixo intermediário possui um tamanho entre metade do raio da Terra e o raio da elipse; a projeção da órbita na superfície da Terra é próxima de um grande círculo, ligeiramente deformada devido a rotação da terra durante o tempo de voo; o míssil pode lançar também várias ogivas independentes, incluindo contramedidas.
      fase de reentrada (iniciando-se a 100 km de altitude) — 2 minutos — o impacto ocorre numa velocidade de até 4 km/s (para ICBMs antigos, menor que 1 km/s).

      https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%ADssil_bal%C3%ADstico_intercontinental

      • Reconhecendo a minha ignorância nesta matéria, dou o braço a torcer. Todavia gostaria de realçar que essa informação tem como fonte a Wikipédia, que como todos sabemos não é totalmente desprovida de erros, por vezes grosseiros.
        Os meus parabéns à criatura que assina por Kim Jong-dois que pelos vistos terá disto um amplo conhecimento…

  2. Keep calm, o Marcelo já vai a caminho.

    As Norte Coreanas, já pintaram as beiças, e fazendo boquinhas nipónicas, aguardam a chegada de tão ilustre visitante, em bicos dos pés, e de bandeirinhas na mão. Tudo vai acabar bem, com beijinhos e abraços.

Podem chover pedras no "lado noturno" dos exoplanetas de Júpiter

De acordo com um "relatório meteorológico astronómico", os lados escuros dos exoplanetas de Júpiter podem ter um clima bastante rochoso. As nuvens espessas de minerais vaporizados podem estar a chover pedras. Uma equipa de astrónomos da …

Boris compara Reino Unido a super-herói. "Quanto mais enfurecem o Hulk, mais forte ele fica"

O primeiro-ministro britânico comparou o Reino Unido ao super-herói da Marvel, que nunca se deixa prender, deixando subentendido o aviso de que pode ignorar a decisão do Parlamento que quer impedir uma saída sem …

Dente de rinoceronte deu aos cientistas a mais antiga informação genética já registada

Cientistas conseguiram extrair de um dente com 1,7 milhões de anos (de um rinoceronte já extinto) aquela que é a informação genética mais antiga alguma vez registada. Entre o período de há 2,5 milhões e 700 mil …

SNS "é âncora para os portugueses e sabe resistir às pressões"

A ministra da Saúde elogiou o Sistema Nacional de Saúde no dia em este cumpre 40 anos. A data só não está a ser assinalada com mais vigor devido à proximidade das eleições, explicou …

Um terço dos diplomados no curso de Aeroespacial vai trabalhar para o estrangeiro

A nota mínima de entrada no curso de Engenharia Aeroespacial do Técnico bateu um novo recorde. As oportunidades e os salários levam os diplomados para o estrangeiro. O único curso de Engenharia Aeroespacial no ensino superior …

Morreu o cantor Roberto Leal

Morreu o cantor Roberto Leal, confirmou o antigo secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local. Tinha 67 anos e lutava contra um cancro. A notícia foi avançada pelo antigo secretário de Estado das Comunidades …

Estudo mostra que o canguru gigante tinha uma parecença com os pandas

O já extinto canguru gigante tinha uma característica muito semelhante com o panda-gigante dos dias modernos: grandes mandíbulas que lhe permitiam comer alimentos que outros animais não conseguiam. Há mais de 40 mil anos, o sudoeste …

Assunção Cristas contra o "ditador" verde e André Silva contra a "despesista" demagoga

O debate deste sábado, transmitido pela RTP3, sentou frente-a-frente os líderes do CDS e do PAN. Assunção Cristas contou quantas vezes o programa do adversário usa a palavra "proibir" e André Silva acusou os centristas …

Poluição no rio Lis arrasta-se há mais de 20 anos

A poluição na bacia hidrográfica do rio Lis arrasta-se há mais de duas décadas, com o contributo das descargas ilegais das suiniculturas, mas a construção da estação de tratamento de efluentes suinícolas tem sido adiada …

No Quénia, há meninas a faltar às aulas por não terem acesso a tampões

No Quénia, há adolescentes que não têm dinheiro para comprar pensos higiénicos ou tampões. Por isso, faltam às aulas. O Expresso conta a história de uma menina queniana, de 14 anos, que não aguentou ser humilhada …