“Ameaça sem precedentes”. Míssil norte-coreano sobrevoou o Japão

(dv) KCNA / YONHAP

A Coreia do Norte realizou um novo disparo de míssil balístico em direção ao Mar do Japão.

Durante a madrugada desta terça-feira, Pyongyang lançou um míssil que sobrevoou o Japão. As autoridades nipónicas pediram aos habitantes da ilha Hokkaido que procurassem refúgio.

O primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, classificou o míssil que sobrevoou o Japão durante a madrugada de terça-feira como uma “ameaça sem precedentes” por parte de Pyongyang. Kim Jong-un tem conduzido uma série de testes de mísseis nos últimos meses, mas esta é a primeira vez que um míssil desta natureza sobrevoa o território do Japão – neste caso, a ilha de Hokkaido.

Os residentes da ilha foram imediatamente aconselhados pelas autoridades a procurarem refúgio “em edifícios robustos ou em caves”. O Jornal de Notícias, que cita a televisão pública japonesa, avança que o míssil se partiu em três partes, antes de cair na água, ao largo da ilha.

Shinzo Abe já pediu uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU. O Japão vai tomar “todas as medidas” necessárias para assegurar a segurança da população, declarou Abe.

Segundo um porta-voz do primeiro-ministro japonês, o míssil sobrevoou a ilha de Hokkaido, no norte do país, e caiu em águas do Pacífico a 1180 quilómetros da costa japonesa. “Não foi causado qualquer dano a aviões ou navios” na zona, acrescentou.

Segundo o Exército da Coreia do Sul, o míssil foi lançado pouco antes das 6h da manhã locais (21h em Lisboa) de um local próximo da capital norte-coreana, Pyongyang, algo que também é raro.

O Expresso avança com uma análise preliminar ao teste, sugerindo que o míssil percorreu uma distância de mais de 2700 quilómetros, atingindo uma altitude máxima de cerca de 550 quilómetros (abaixo de outros mísseis recentemente lançados) antes de se desfazer em três partes que caíram no norte do Oceano Pacífico, a 1180 quilómetros da costa nipónica.

Tudo indica que se tratou de um Hwasong-12, um recém-desenvolvido míssil balístico de médio alcance capaz de incorporar ogivas nucleares em miniatura.

O lançamento do míssil, que as forças nipónicas não tentaram abater, ocorreu numa altura em que os EUA e o Japão continuam a conduzir exercícios militares conjuntos em Hokkaido. Face a isto, o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, ordenou uma “esmagadora” demonstração de força, destacando quatro caças de guerra para os exercícios desta terça-feira.

Entre os países que já reagiram ao lançamento está a Rússia. Moscovo disse-se “extremamente preocupada” com a situação na península coreana, constatando uma “tendência para uma escalada” da tensão, depois de Pyongyang ter disparado um míssil que sobrevoou o Japão.

“Nós vemos uma tendência para uma escalada e estamos extremamente preocupados com o desenvolvimento geral” da situação na península, declarou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Riabkov, citado pela agência noticiosa estatal RIA Novosti.

Também a China se manifestou, pedindo contenção a todas as partes envolvidas.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas vai realizar, esta terça-feira, uma reunião de emergência em Nova Iorque, a pedido de Tóquio e de Washington, na sequência do lançamento do míssil que, pela primeira vez desde 2009, sobrevoou o Japão.

O lançamento do míssil acontece num contexto de crescente tensão entre Washington e Pyongyang, com ameaças de parte a parte.

Coreia do Sul respondeu com oito bombas

Depois de a Coreia do Norte ter lançado um míssil que sobrevoou o território japonês, a Coreia do Sul saiu em defesa dos nipónicos. A Força Aérea sul-coreana respondeu com oito bombas MK 84 lançadas por quatro aviões F-15K na província de Gangwon, a norte da Coreia do Sul.

Segundo a TSF, uma bomba MK 84 pesa cerca de 910 quilos e serve para penetrar alvos mais protegidos. A província onde as bombas foram lançadas fica a 108 quilómetros de Seul, próxima da fronteira com a Coreia do Norte. Pyongyang fica a 195 quilómetros de Seul.

Segundo um oficial do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, as oito bombas atingiram o alvo. “O exercício reconfirmou a capacidade da Força Aérea sul-coreana para destruir a liderança do inimigo em caso de emergência”.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. “atingindo uma altitude máxima de cerca de 550 quilómetros (abaixo de outros mísseis recentemente lançados)” Foi portanto para lá da Troposfera, Estratosfera (que os aviões conseguem tenuemente atingir 12-13 kms), Mesosfera (que limita a camada de Ozono), ultrapassando ainda a Termosfera e subindo à Exosfera. De que é feita a “esfera” da pessoa que traduziu este texto?

    • Caro Pedro,
      É assim que funcionam os mísseis balísticos, que no caso dos ICBMs no seu apogeu chegam a atingir os 1200 km de altitude.
      As seguintes fases de voo podem ser distinguidas:
      fase de arranque — 3 a 5 minutos (para um foguete sólido menor do que para um foguete com propelentes líquidos); a altitude no final desta fase é normalmente entre 150 e 400 km , dependendo da trajetória escolhida, e a velocidade de saída é normalmente de 7 km/s
      fase intermediária — aproximadamente 25 minutos — voo sub-orbital numa órbita elíptica; a órbita é parte de uma elipse com eixo principal vertical; o apogeu (metade da fase intermediária) ocorre numa altitude de cerca de 1200 km; o eixo intermediário possui um tamanho entre metade do raio da Terra e o raio da elipse; a projeção da órbita na superfície da Terra é próxima de um grande círculo, ligeiramente deformada devido a rotação da terra durante o tempo de voo; o míssil pode lançar também várias ogivas independentes, incluindo contramedidas.
      fase de reentrada (iniciando-se a 100 km de altitude) — 2 minutos — o impacto ocorre numa velocidade de até 4 km/s (para ICBMs antigos, menor que 1 km/s).

      https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%ADssil_bal%C3%ADstico_intercontinental

      • Reconhecendo a minha ignorância nesta matéria, dou o braço a torcer. Todavia gostaria de realçar que essa informação tem como fonte a Wikipédia, que como todos sabemos não é totalmente desprovida de erros, por vezes grosseiros.
        Os meus parabéns à criatura que assina por Kim Jong-dois que pelos vistos terá disto um amplo conhecimento…

  2. Keep calm, o Marcelo já vai a caminho.

    As Norte Coreanas, já pintaram as beiças, e fazendo boquinhas nipónicas, aguardam a chegada de tão ilustre visitante, em bicos dos pés, e de bandeirinhas na mão. Tudo vai acabar bem, com beijinhos e abraços.

Enjoos na TAP. Sindicato negoceia novas medidas para resolver odores no A330

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) discutiu esta tarde com responsáveis da TAP novas medidas mitigadoras da contaminação do ar no A330 que está a provocar enjoos, vómitos, cansaço e …

Sindicatos querem que Ministério Público investigue suicídios na polícia

O presidente adjunto da Federação Nacional dos Sindicatos de Polícia, Peixoto Rodrigues, disse esta terça-feira que vai pedir à Procuradoria-Geral da República (PGR) para investigar os casos de suicídio registados este ano na PSP. Em declarações …

Por problemas éticos, Polícia dos Políticos. Ser deputado já não será a mesma coisa

Depois de uma legislatura vincada por vários problemas éticos no interior do Parlamento, houve ajustes a fazer. As regras para deputados advogados, subsídios ou moradas mudaram e, a partir de outubro, ser deputado será um …

Interrogatórios sobre queda de árvore na Madeira só depois das eleições regionais

Os interrogatórios sobre a queda da árvore do Monte, na Madeira, só vão decorrer depois das eleições regionais, avança a imprensa madeirense. A tragédia aconteceu a 15 de agosto do ano passado, antes de uma procissão …

Lagosta e vinho caro. Excentricidades levaram ministro francês do Ambiente a demitir-se

Após a polémica em torno dos seus grandes gastos enquanto presidente da Assembleia Nacional francesa e governante, François de Rugy saiu do Governo. No entanto, diz-se vítima de "linchamento mediático". François de Rugy, ministro francês do …

Os escoceses estão a gerar energia eólica suficiente para abastecer duas Escócias

No primeiro semestre de 2019, a Escócia gerou energia eólica suficiente para abastecer as suas casas duas vezes. Segundo divulgou esta quarta-feira o Science Alert, as turbinas geraram 9,8 milhões de megawatts-hora de eletricidade entre janeiro …

Comentários racistas de Trump condenados na Câmara de Representantes

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou na terça-feira uma moção na qual condena o presidente Donald Trump pelos "comentários racistas" dirigidos a quatro mulheres congressistas, sugerindo-lhes que "regressassem aos seus países de origem". A …

PCP quer creches gratuitas e passes sociais em todo o país

O secretário-geral comunista destacou sete compromissos, incluindo a ideia de uma rede de creches gratuitas e o limite máximo de 40 euros para os passes sociais, na apresentação do programa eleitoral do partido, num hotel …

Governo retira estatuto do antigo combatente na véspera de votação

O Governo retirou a proposta de lei sobre o estatuto do antigo combatente por dificuldades no modelo de sustentabilidade financeira resultantes das propostas apresentadas pelos partidos no Parlamento. O anúncio da retirada da proposta foi feito …

Bolsonaro "está decidido". Vai indicar filho para embaixador nos Estados Unidos

Jair Bolsonaro disse que "está decidido" que irá indicar o filho Eduardo Bolsonaro para embaixador em Washington, capital dos Estados Unidos da América. Esta terça-feira, o Presidente do Brasil disse que “está decidido” a indicar o …