/

Já há veredito: Amber Heard culpada de difamar Johnny Depp

ZAP // Jonathan Ernst / POOL / EPA

A atriz norte-americana Amber Heard foi, esta quarta-feira, considerada culpada de difamação no mediático caso interposto por Johnny Depp.

O júri considerou que as acusações de Heard contra Depp são falsas e escritas com intenção maliciosa. A defesa de Johnny Depp “provou todos os elementos de difamação”, provando que Amber Heard agiu com “malícia”.

Como resultado, Johnny Depp receberá uma indemnização de 15 milhões de dólares, cerca de 14,1 milhões de euros. Já Amber Heard receberá dois milhões de dólares, cerca de 1,87 milhões de euros, por danos compensatórios.

O júri chegou, esta quarta-feira, a um veredito relativamente ao polémico caso que Johnny Depp interpôs à ex-mulher Amber Heard. O veredito foi lido no tribunal de Fairfax, na Virginia, às 20h de Portugal continental.

Segundo uma fonte próxima, Johnny Depp não esteve presente em tribunal “por causa de compromissos profissionais agendados antes do julgamento”. O ator foi visto num pub em Newcastle, instantes da leitura do veredito.

Pouco depois de começar, a sessão foi interrompida durante alguns minutos, uma vez que os jurados não tinham preenchido uma alínea do questionário sobre a atribuição de um valor de indemnização por danos.

Depp acusava Heard de difamação, após esta o ter acusado de violência doméstica num editorial publicado no The Washington Post.

O julgamento começou no dia 11 de abril, tendo-se arrastado até 27 de maio, dia em que os advogados fizeram as alegações finais.

O ator norte-americano pedia uma indemnização de 50 milhões de dólares devido aos danos causados na sua carreira. A atriz respondeu com uma contra-ação, no valor de 100 milhões de dólares, alegando ter sofrido “violência física e abuso desenfreados”.

Johnny Depp terá sido afastado de trabalhas nas sagas “Piratas das Caraibas” e “Monstros Fantásticos”.

Por sua vez, a petição criada para retirar a atriz Amber Heard da futura sequela do filme “Aquaman” está perto de atingir um recorde. Até ao momento, quase 4,5 milhões de pessoas assinaram a petição online, que está muito perto de se tornar uma das mais assinadas de sempre da plataforma Change.org.

Os defensores de Johnny Depp argumentavam que este julgamento é um exemplo das falhas do lema do #MeToo de que se deve acreditar sempre a priori nas mulheres e como este dogma pode causar a destruição das carreiras e das vidas dos acusados, que não têm uma oportunidade justa para se defenderem.

Pior do que isto, a existência de falsas acusações planta a semente da dúvida em todas as denúncias, o que cria mais um obstáculo às verdadeiras vítimas.

Já os defensores de Amber Heard acreditavam que este obstáculo, na verdade, nunca deixou de existir. Para estes, a atriz é uma vítima de violência e de estereótipos sexistas que, tal como muitas outras, é retratada como uma interesseira que seduziu um homem mais velho e famoso apenas por ambição e que o arruinou com uma falsa acusação quando este já não lhe era útil.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.