Amamentação provoca diferendo entre mãe trabalhadora e Sindicato

Uma mulher e o sindicato onde trabalha não se entendem quanto ao período do dia em que a trabalhadora pretende usufruir do direito à amamentação. O caso é divulgado pela Rádio Renascença e passa-se no Sindicato dos Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte.

Manuela Moreira e a estrutura sindical, que é também a sua entidade patronal, não conseguem alcançar um acordo quanto ao período em que ela usufruirá do direito à amamentação do filho. Ela pretende chegar ao trabalho às 10h da manhã, em vez das 9h do horário habitual, mas o Sindicato não permite, alegando que é nesse período que se verifica maior afluência.

Conforme avança a Rádio Renascença, o Sindicato já aceitou a pretensão desta mãe de sair às 17h, em vez das 18h, mas não há entendimento quanto ao horário matinal.

“A minha filha mama por volta das sete da manhã e, depois disso, não tenho transporte para conseguir estar aqui às 9 da manhã. Já lhes tentei explicar isso por diversas vezes, mas eles respondem que eu cismei com este horário, que eles também cismaram com o horário deles e então não saiem daqui, só indo para tribunal”, explica Manuela Moreira à Renascença.

Esta mãe trabalhadora tem chegado ao local de trabalho um pouco antes das 10h e é obrigada a sair, com a indicação de que só pode entrar às 14h. Passa então as suas manhãs sentada à porta do Sindicato e considera que o discurso desta entidade “não é válido”.

Manuela Moreira repara que o Sindicato frisa que dispensá-la entre as 9 e as 10 horas da manhã causa “grande distúrbio”, por ser o “horário de maior afluência”, mas nota que não a “deixam pegar de manhã”.

Entretanto, arrisca um processo disciplinar e só recebe as horas em que efectivamente trabalha.

Ouvido pela Renascença, o Sindicato ter-se-á mostrado “disponível para alterar a sua posição, se as autoridades competentes provarem que, nestes casos, em que não há acordo, a funcionária é que decide o horário pretendido” para a amamentação.

A Autoridade para as Condições do Trabalho e a Comissão para a Igualdade no Trabalho vão agora analisar o caso. Mas a advogada Rita Pereira Garcia, especialista em Direito do Trabalho, aponta à Renascença que há um parecer que salienta que a vontade da mãe deve prevalecer, embora a Lei não inclua esse dado.

SV, ZAP

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. O sindicato devia ter vergonha, primeiro esta o bem do bebé, ainda bem que os sindicatos existem para defender os trabalhadores, é lamentável.

  2. Por vezes leio coisas que até parecem mentira, mas esta bate todos recordes e depois vem o governo a incentivar para termos filhos. É a vergonha das vergonhas ainda para mais a entidade patronal ser um sindicato.

  3. A ser verdade esta notícia é mais uma para o descrédito deste país….os sindicatos estão cheios de pessoas que são políticos…em alguns casos saem dos sindicatos e vão para partidos políticos. Portanto nada de estranho nisto..aliás..neste país nada é estranho…porque as ditas “parvoíces” que acontecem neste país são o resultado de uma alegada democracia que não existe! Simplesmente não existe! Porque uma democracia assenta em direitos e deveres de cada ser individual e/ ou colectivo! Onde está o interesse da criança?! Não conta para nada!?!?’Afinal isto é o que!? também não temos direitos!?!? É só deveres!?!? Enfim…país pobre em que o povo quando vota, vai votar nestas pessoas que só são inteligentes para os bolsos deles..Marcelo Caetano uma vez disse: ” o povo português não sabe viver em democracia”. Pelos vistos teve razão…

  4. Vamos fazer uma força pela Manuela e pela criança,
    temos que mostrar ao Sindicato para dar o exemplo, se fosse do Porto ia dar uma força à Manuela e buzinar à porta, como sou de Lisboa só vou ligar várias vezes ao dia e mandar emails façam o mesmo!!!!!!

  5. Eu lendo nas entrelinhas, penso que a historia não está toda contada, mais a mais sendo um sindicato envolvido, e como não conheço o factos, não me atrevo a fazer juizos do que não sei, mas lembro que existe legislação para o caso supra e não é por ser mãe e haver uma criança envolvida que passa automaticamente a ser uma vitima, pois sabemos que há por aí muitas mães, e que tambem se as empresas e outras instituições recrutam funcionários, é porque necessitam deles para o seu normal funcionamento e não se podem dar ao luxo de ter pessoal em duplicado para fazer face a situações analogas, pelo que tem que imperar o bom senso e isto aplica-se a ambas as partes.
    Sabemos que há patrões que abusam de certas situações, mas tambem sabemos que há funcionarios que os suplantam.
    Tenham uma muito boa noite

  6. Assim se vê o quanto os sindicatos defendem os direitos dos trabalhadores, assim parece que não passam de uma organização tal e qual uma empresa que apenas visa o lucro… Pois é, anda o pessoal a pagar um sindicato para isto… Só de olhos nos € dos pobres trabalhadores…

  7. Eu sou mulher e contra as mulheres falo e sei do que falo.
    Inúmeras são as mulheres que se aproveitam do facto de serem mães para conseguirem usufruir de TUDO o que lhes é devido e também do que não lhos é!….
    No meu ponto de vista, devemos ter em atenção também ao nosso local de trabalho, se vamos ou não ser necessárias. Negociar o que é bom para ambos e não só para uma das partes.
    Sou mãe de 2 filhos e foi assim que fiz porque me parece o mais correcto.

RESPONDER

Friends: atores já terminaram as gravações do episódio especial

Ainda antes de os talk shows serem suspensos devido à COVID-19, Matt LeBlanc foi um dos convidados do The Kelly Clarkson Show, onde confirmou que as gravações do episódio especial de FRIENDS estavam concluídas. O programa …

YouTube remove vídeos que vinculam falsamente a Covid-19 ao 5G

A onda de teorias falsas que ligam a pandemia da COVID-19 ao 5G levou a uma série de incidentes, incluindo ameaças a engenheiros. Agora, o YouTube está a reprimir essa desinformação. O YouTube informou que removerá …

Engenheiros construiram um ventilador caseiro. Pode servir como "último recurso"

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, construiu um ventilador caseiro que pode ser usado como último recurso. A pandemia de covid-19 continua a desafiar as comunidades médicas e uma das ameaças …

Sepultura de genocídio encontrada no Ruanda pode conter 30 mil corpos

No Ruanda, foi encontrada uma sepultura que pode conter 30 mil vítimas do genocídio no país em 1994. Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados. Mais de 25 anos depois de um genocídio …

Belenenses SAD entra parcialmente em lay-off

"A indústria do futebol está entre as mais atingidas pelos efeitos da pandemia", que provocou a suspensão de praticamente todas as provas futebolísticas, destaca o Belenenses SAD. O Belenenses SAD, da I Liga de futebol, entrou …

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

O equipamento médico e sanitário furtado está avaliado em cinco milhões de euros e terá sido adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material. Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por, …

Facebook terá tentado comprar um software de espionagem em 2017

O Facebook tem estado envolvido em vários escândalos e o mais recente está relacionado com a alegada compra da ferramenta Pegasus, usada para hackear iPhones. A empresa de segurança informática NSO Group, responsável pela Pegasus, alega …

Primeiro-ministro espanhol diz que coronavírus desafia o futuro da UE. E fá-lo em sete idiomas

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez publicou no domingo um artigo em sete idiomas europeus, argumentando que o coronavírus pode ser a ruína da União europeia (UE) caso não sejam tomadas medidas mais drásticas para lidar …

Viseiras de Leiria despertam cobiça. Bélgica e EUA queriam comprar toda a produção

Várias empresas de moldes e plásticos da região de Leiria estão a fabricar viseiras de protecção contra a Covid-19. Uma adaptação em tempos de pandemia que está a levantar atenção no estrangeiro, com EUA e …

Apple vai começar a produzir um milhão de máscaras por semana

O presidente da Apple, Tim Cook, anunciou que a empresa poderá produzir um milhão de máscaras por semana a partir do próximo fim de semana. Tim Cook explicou, na sua conta da rede social Twitter, que …