Amadora-Sintra contratualiza mais 480 cirurgias com hospital privado para recuperar listas de espera

O Hospital Fernando da Fonseca (HFF), no distrito de Lisboa, contratualizou com uma unidade de saúde privada a realização de 480 cirurgias de doentes que necessitam de internamento e estão em lista de espera há mais de um ano.

Em setembro de 2020, o HFF (Amadora-Sintra) já tinha contratualizado 625 cirurgias de ambulatório com a “Trofa Saúde”, tendo sido realizadas 507 em três meses, disse Alexandra Ferreira, vogal do conselho de administração do HFF, em entrevista à agência Lusa.

“Atualmente, e depois do engrossar da lista de espera, por via de dar resposta à pandemia de covid, fizemos um novo procedimento desta vez para operar doentes que necessitam de internamento e que estão em lista de espera há mais de 12 meses”, adiantou.

Segundo a vogal, são 480 cirurgias das especialidades de Cirurgia Geral, Plástica e Maxilo-Facial que o hospital pretende realizar em quatro meses, a uma média de oito por dia, num investimento que ronda os 500 mil euros.

Foram consultadas outras duas entidades, mas à semelhança do que aconteceu no primeiro protocolo, só a Trofa Saúde respondeu, mas Alexandra Ferreira está convicta de “vai correr bem”, porque já tem a experiência anterior com esta entidade e “correu muito bem”.

“As equipas conseguiram trabalhar em conjunto e fizemos um bom trabalho com os nossos cirurgiões e os nossos anestesistas”, disse a responsável, adiantando que as cirurgias devem arrancar no final deste mês ou no início de maio.

Os médicos que vão operar são do HFF e os enfermeiros e anestesiologistas são do Hospital Trofa Saúde da Amadora, sendo o pré e o pós-operatório garantido pelo Amadora-Sintra.

Após a terceira vaga da pandemia, em que o hospital em janeiro e fevereiro chegou a ter taxas de esforço covid-19 de mais de 60% da sua capacidade, o hospital começou a “retomar com muito, muito empenho” a atividade e está a fazer cerca de 60 cirurgias por dia.

“Em 2020, remodelámos e reequipámos o bloco e neste momento conseguimos pôr sete salas a funcionar em dois tempos operatórios, de manhã e de tarde, e estamos a operar com muita atividade diária a tentar recuperar estas listas de espera”, disse.

Antes da pandemia, realizavam-se cerca de 100 cirurgias por dia porque havia mais salas. “Embora a pressão da covid tenha decrescido, ainda só há 15 dias é que conseguimos ver os cuidados intensivos a decrescer um bocadinho e, neste momento, ainda temos sete doentes em cuidados intensivos”.

Além disso, é preciso garantir as 10 camas do plano de contingência durante a epidemia e é necessário ter enfermeiros para garantir esta dotação.

Segundo Alexandra Ferreira o Amadora-Sintra foi “o hospital da região de Lisboa que atingiu o maior número de doentes internados”, totalizando 3.120 doentes, 301 em cuidados intensivos.

“O dia em que tivemos mais doentes internados foi em janeiro [de 2021], 385 doentes, que ocuparam 11 enfermarias”, recordou, sublinhando que ainda assim conseguiram organizar-se e “reinventar todo hospital para garantir a resposta a estes doentes”.

Durante este período, foram feitos mais de 82 mil testes à covid-19, com uma positividade de 8,6%, realizados 144 partos de grávidas covid e três recém-nascidos positivos.

Em paralelo assegurou-se a resposta aos doentes que “pela prioridade, gravidade e pela severidade da doença tinham que ser tratados como os oncológicos e outras patologias crónicas”.

No passado dia 26 de janeiro, no pico da terceira vaga, aconteceu uma situação que “não era expectável”, a rede de oxigénio do hospital entrou em sobrecarga, mas, afirmou, conseguiu-se “gerir a crise” com a ajuda de outras instituições e “não pôr nunca em causa a saúde do doente”.

“A verdade é que também foi o preço que pagámos por estar a tratar muitos doentes com ventilação não invasiva em enfermaria para garantir que não havia mais doentes a irem para os cuidados intensivos”, salientou.

Lusa // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Nova Iorque quer oferecer vacina aos turistas. Miami vai começar a vacinar no aeroporto

Em Nova Iorque os turistas irão receber a vacina da Johnson & Johnson e em Miami a vacina da Pfizer. Com o objetivo de reativar o turismo na cidade, as autoridades de Nova Iorque querem oferecer …

Carta misteriosa escrita por passageira do Titanic está a intrigar os peritos

Uma equipa de investigadores está a tentar desvendar um mistério que envolve uma carta que terá sido escrita por uma jovem a bordo do Titanic na véspera do naufrágio. Uma família encontrou a carta numa garrafa …

Violência na Colômbia preocupa comunidade internacional

Várias cidades colombianas continuam a ser palco de violentas manifestações contra o Governo do país, mas são reprimidas com força pela polícia e por militares. As manifestações começaram em forma de protesto contra uma reforma tributária …

Veterana de Bletchley Park tem um novo código da 2.ª Guerra para decifrar (mas precisa de ajuda)

Um casal que encontrou mensagens codificadas da II Guerra Mundial sob o assoalho está tentar decifrá-las com a ajuda do seu vizinho, um decifrador de códigos de Bletchley Park. John e Val Campbell encontraram um esconderijo …

"Caixas mistério" com animais de estimação geram indignação na China

Uma nova moda conhecida como "caixa mistério" ganhou popularidade na China. O método consiste em fazer uma encomenda através da internet e é enviada, pelo correio, uma caixa com um animal de estimação. Estas encomendas estão …

Arquivos da polícia do Estado Islâmico revelam como era a vida sob o califado

Arquivos da polícia do Estado Islâmico, conhecida como shurta, revelam como era a vida sob o califado. Os polícias eram tão bem pagos que não podiam ser subornados. Não é sempre que os regimes mirram …

Barco português detido por ancorar ilegalmente em águas da Malásia

Um navio mercante registado em Portugal está retido na Malásia por ter alegadamente ancorado em águas territoriais do país sem autorização, avançou esta sexta-feira a Guarda Costeira malaia. Num comunicado, Nurul Hizam Zakaria, diretor da agência …

”Eficácia e qualidade”. OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, esta sexta-feira, o uso de emergência da vacina chinesa contra a covid-19 da Sinopharm. Trata-se da primeira vacina desenvolvida pela China a ser aprovada pela organização, lembra a agência …

Sem estado de emergência não pode haver confinamento de pessoas saudáveis

O constitucionalista Jorge Reis Novais defendeu hoje que sem estado de emergência que suspenda a garantia do artigo 27.º da Constituição não pode haver confinamento de pessoas saudáveis, até uma eventual revisão constitucional. Por outro lado, …

"Neuro-direitos". O Chile quer proteger os seus cidadãos do controlo da mente

O Chile quer tornar-se o primeiro país a proteger as pessoas do controlo da mente, à medida que a capacidade de mexer com cérebros se aproxima cada vez mais da realidade. O senador Guido Girardi está …