Altos níveis de colesterol podem potenciar risco de cancro da mama

National Cancer Institute / Wikimedia

-

Os altos níveis de colesterol no sangue podem aumentar o risco de cancro de mama, indica um estudo conduzido em mais de um milhão de doentes no Reino Unido durante mais de uma década.

O estudo será apresentado no congresso “Frontiers in CardioVascular Biology (FCVB) 2014”, que começa esta sexta-feira em Barcelona, numa organização da Sociedade Europeia de Cardiologia em colaboração com 13 sociedades de ciências cardiovasculares europeias. Os investigadores fizeram uma análise retrospetiva de mais de um milhão de doentes no Reino Unido entre 2000 e 2013 a partir da base de dados clínica Algoritmo para as Comorbilidades, Associações, Dias de Hospitalização e Mortalidade (ACALM). Participaram no estudo 664.159 mulheres, das quais 22.938 sofriam de hiperlipidemia (excesso de gordura no sangue) e 9.312 cancro de mama.

Cerca de 530 mulheres com hiperlipidemia desenvolveram cancro de mama. Os investigadores usaram um modelo estatístico para estudar a associação entre a hiperlipidemia e o cancro de mama e concluíram que ter altos níveis de colesterol multiplica por 1,64 o risco de desenvolver cancro de mama. “O nosso estudo preliminar sugere que as mulheres com altos níveis de colesterol no sangue podem ter maior risco de sofrer de cancro da mama e abre a possibilidade de prevenir o cancro de mama com estaminas, que reduzem o colesterol”, disse Rahul Potluri, investigador da unidade de investigação ACALM e principal autor do estudo.

Estudo preliminar

O responsável ressalva, no entanto, que como se trata de um estudo preliminar e é “necessário um considerável período de tempo e investigação antes de se conseguir provar a ideia”. Os estudos de população realizados nos últimos anos sugerem uma associação entre a obesidade e o cancro de mama. Um estudo realizado em ratos no ano passado concluiu que reduzir o colesterol na circulação ou interferir no seu metabolismo pode servir para prevenir o cancro de mama. “Descobrimos que as mulheres com alto nível de colesterol tinham uma possibilidade significativamente maior de desenvolver cancro de mama. Foi um estudo de observação, pelo que não podemos concluir que o alto nível de colesterol seja a causa do cancro de mama, mas a solidez desta associação justifica que se continue a investigar”, acrescentou Rahul Potluri.

Para o investigador é agora preciso um estudo que controle o risco de cancro de mama em mulheres com e sem altos níveis de colesterol para confirmar estas conclusões. “Se se confirmar a ligação entre os altos níveis de colesterol e o cancro de mama, o passo seguinte seria comprovar se a redução do nível de colesterol com estatinas pode reduzir o risco de desenvolver cancro”, disse. “As estatinas são baratas e relativamente seguras e estão largamente disponíveis. Encaminhamo-nos possivelmente para um ensaio clínico de entre 10 a 15 anos para provar o efeito das estatinas na incidência de cancro da mama”, acrescentou.

Rahul Potluri considera que os resultados do estudo preliminar “são animadores”, mas aconselha prudência na análise dos dados agora divulgados. A Sociedade Europeia de Cardiologia representa mais de 80 mil profissionais de cardiologia da Europa e do Mediterrâneo.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

NASA gravou acidentalmente a explosão de um cometa a aproximar-se do Sol

Astrónomos usaram dados do telescópio espacial TESS para estudar a explosão de um cometa durante a sua aproximação ao Sol. A investigação resultou num artigo publicado em novembro na revista científica Astrophysical Journal Letters. Foi a …

Objeto de Hoag é uma galáxia dentro de uma galáxia (que está dentro de outra galáxia)

Se observar atentamente a Constelação da Serpente poderá ver uma galáxia dentro de uma galáxia que, por sua vez, está dentro de outra galáxia. Este grande mistério do Universo é conhecido como Objeto de Hoag. Descoberto …

Parker Solar Probe lança nova luz sobre o Sol

Em agosto de 2018, a Parker Solar Probe da NASA foi lançada para o espaço, tornando-se pouco tempo depois a sonda mais próxima do Sol. Com instrumentos científicos de ponta para medir o ambiente em …

Encontrado no mar das Malvinas navio alemão da I Guerra Mundial 105 anos depois de naufragar

O naufrágio de um cruzador alemão da I Guerra Mundial foi identificado nas Ilhas Malvinas, onde foi afundado pela Marinha britânica há 105 anos. O SMS Scharnhorst foi o principal ativo da esquadra alemã na Ásia …

Boavista 1-4 Benfica | Águia goleia no xadrez do Bessa

O Benfica deu o pontapé de saída da 13ª jornada com uma vitória competente na visita ao Boavista, por 4-1. Num jogo potencialmente perigoso para as aspirações “encarnadas”, frente a um adversário com somente uma derrota …

Cientistas desenvolvem técnica para determinar o humor através da caligrafia

Uma equipa de cientistas estudou a biomecânica dos movimentos das mãos a escrever e a desenhar, e desenvolveu um método para avaliar as propriedades individuais da velocidade de escrita e da pressão do lápis no …

Quase seis mil denúncias de agressões sexuais em viagens da Uber nos EUA

A plataforma de transporte de passageiros Uber divulgou na quinta-feira um relatório, revelando quase seis mil denúncias de agressões sexuais a utilizadores, motoristas e terceiros nos Estados Unidos (EUA), em 2017 e 2018. No relatório de …

Polícia de Los Angeles vai usar dispositivo "ao estilo Batman" para prender suspeitos

A polícia de Los Angeles, nos Estados Unidos, vai adotar, no início do próximo ano, um novo dispositivo, conhecido como BolaWrap 100, que dispara um cinto de fibra sintética a uma velocidade de 200 metros …

Corriere dello Sport defende-se das acusações e garante ser "inimigo do racismo"

O jornal desportivo italiano Corriere dello Sport afirmou esta sexta-feira ser “inimigo do racismo”, defendendo-se das críticas motivadas pela manchete de quinta-feira, com o título “Black Friday” e ilustrada com os futebolistas negros Romelu Lukaku …

Alisadores e tintas para cabelo podem aumentar o risco de cancro da mama

Alisadores e tintas para cabelo são dois produtos comummente utilizados por mulheres. Um novo estudo sugere que estes podem aumentar o risco de cancro da mama, especialmente em mulheres negras. Muitos produtos capilares contêm compostos que …