Altos níveis de colesterol podem potenciar risco de cancro da mama

National Cancer Institute / Wikimedia

-

Os altos níveis de colesterol no sangue podem aumentar o risco de cancro de mama, indica um estudo conduzido em mais de um milhão de doentes no Reino Unido durante mais de uma década.

O estudo será apresentado no congresso “Frontiers in CardioVascular Biology (FCVB) 2014”, que começa esta sexta-feira em Barcelona, numa organização da Sociedade Europeia de Cardiologia em colaboração com 13 sociedades de ciências cardiovasculares europeias. Os investigadores fizeram uma análise retrospetiva de mais de um milhão de doentes no Reino Unido entre 2000 e 2013 a partir da base de dados clínica Algoritmo para as Comorbilidades, Associações, Dias de Hospitalização e Mortalidade (ACALM). Participaram no estudo 664.159 mulheres, das quais 22.938 sofriam de hiperlipidemia (excesso de gordura no sangue) e 9.312 cancro de mama.

Cerca de 530 mulheres com hiperlipidemia desenvolveram cancro de mama. Os investigadores usaram um modelo estatístico para estudar a associação entre a hiperlipidemia e o cancro de mama e concluíram que ter altos níveis de colesterol multiplica por 1,64 o risco de desenvolver cancro de mama. “O nosso estudo preliminar sugere que as mulheres com altos níveis de colesterol no sangue podem ter maior risco de sofrer de cancro da mama e abre a possibilidade de prevenir o cancro de mama com estaminas, que reduzem o colesterol”, disse Rahul Potluri, investigador da unidade de investigação ACALM e principal autor do estudo.

Estudo preliminar

O responsável ressalva, no entanto, que como se trata de um estudo preliminar e é “necessário um considerável período de tempo e investigação antes de se conseguir provar a ideia”. Os estudos de população realizados nos últimos anos sugerem uma associação entre a obesidade e o cancro de mama. Um estudo realizado em ratos no ano passado concluiu que reduzir o colesterol na circulação ou interferir no seu metabolismo pode servir para prevenir o cancro de mama. “Descobrimos que as mulheres com alto nível de colesterol tinham uma possibilidade significativamente maior de desenvolver cancro de mama. Foi um estudo de observação, pelo que não podemos concluir que o alto nível de colesterol seja a causa do cancro de mama, mas a solidez desta associação justifica que se continue a investigar”, acrescentou Rahul Potluri.

Para o investigador é agora preciso um estudo que controle o risco de cancro de mama em mulheres com e sem altos níveis de colesterol para confirmar estas conclusões. “Se se confirmar a ligação entre os altos níveis de colesterol e o cancro de mama, o passo seguinte seria comprovar se a redução do nível de colesterol com estatinas pode reduzir o risco de desenvolver cancro”, disse. “As estatinas são baratas e relativamente seguras e estão largamente disponíveis. Encaminhamo-nos possivelmente para um ensaio clínico de entre 10 a 15 anos para provar o efeito das estatinas na incidência de cancro da mama”, acrescentou.

Rahul Potluri considera que os resultados do estudo preliminar “são animadores”, mas aconselha prudência na análise dos dados agora divulgados. A Sociedade Europeia de Cardiologia representa mais de 80 mil profissionais de cardiologia da Europa e do Mediterrâneo.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Governo altera excecionalmente limite de idade para tratamentos de fertilidade

O Governo está a rever a norma para alterar, de forma excecional, o limite de idade das mulheres que querem aceder aos tratamentos de fertilidade no setor público. Na segunda-feira, o Jornal de Notícias tinha avançado …

Gana é o primeiro país a receber vacinas financiadas pelo Covax

O programa Covax já começou a fornecer as primeiras remessas de vacinas contra a covid-19. O Gana foi o primeiro país a receber doses. Gana deve receber o primeiro lote de vacinas contra o SARS CoV-2, …

"Como produtos de exportação". Filipinas querem trocar os seus enfermeiros por vacinas da Europa

As Filipinas estão a pedir ao Reino Unido e à Alemanha que forneçam centenas de milhares de vacinas contra a covid-19 em troca do envio de enfermeiros filipinos para ajudar na linha de frente da …

Despacho da ACT limita capacidade de intervenção dos inspetores do trabalho

Um despacho assinado pela inspetora-geral da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) está a limitar a capacidade de intervenção dos inspetores. A notícia é avançada esta quarta-feira pelo Jornal de Negócios, que escreve que o …

Só muda o preâmbulo. Decreto do novo estado de emergência já seguiu para o Parlamento

O novo decreto do estado de emergência já seguiu para o Parlamento. Marcelo Rebelo de Sousa só mudou o preâmbulo do documento. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, publicou esta quarta-feira o decreto do …

Governo já está a desenhar um plano de desconfinamento. Rio quer desconfinar por regiões ou concelhos

Depois de uma primeira ronda de audiências, onde anunciou que o decreto do novo estado de emergência será igual ao da última quinzena, Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, esta quarta-feira, o Bloco de Esquerda, o …

Serviços de inteligência desvalorizaram ameaça de invasão ao Capitólio

Os serviços de inteligência dos Estados Unidos subestimaram o perigo de invasão ao Capitólio, admitiram vários responsáveis durante uma audiência no Senado, realizada esta terça-feira. Depois da absolvição do antigo Presidente dos Estados Unidos, que estava …

Polícias que prestam serviço no 112 não recebem subsídio desde setembro

Os agentes e militares que fazem a triagem das chamadas do 112 não auferem a gratificação mensal pelo serviço prestado ao Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) desde setembro do ano passado. Segundo o Jornal de Notícias, …

Contrariando ordem judicial, Malásia deportou mais de mil pessoas para Myanmar

A Malásia entregou 1086 cidadãos que tinham fugido de Myanmar aos militares que organizaram o golpe de Estado de 01 de fevereiro, estando entre esses requerentes de asilo já registados oficialmente junto da Organização das …

Assassino da jornalista Daphne Caruana Galizia condenado a 15 anos de prisão

Vincent Muscat, um dos três homens acusados do assassínio, em outubro de 2017, da jornalista anticorrupção de Malta Daphne Caruana Galizia, foi condenado a uma pena de 15 anos de prisão pelo tribunal da La …