Alterações climáticas foram responsáveis pelas ondas de calor em 2013

As ondas de calor que ocorreram em 2013 na Ásia, Europa e Austrália foram causadas pelas alterações climáticas provocadas pelo Homem, mas nem todos os acontecimentos extremos podem ser associados ao aquecimento global, revelou um estudo divulgado esta segunda-feira.

Um total de 16 eventos extremos, incluindo chuva, inundações, secas e tempestades, foram analisados no relatório anual “Explaining Extreme Events of 2013 from a Climate Perspective” (Explicação dos Acontecimentos Extremos de 2013 de uma Perspetiva Climática”), publicado no Boletim da Sociedade Meteorológica Americana.

Os eventos escolhidos não representam a totalidade do ano, mas sim os que tiveram maior impacto e suscitaram o interesse dos cientistas, especifica-se no relatório, compilado por 92 cientistas de todo o mundo.

A ligação mais forte entre os acontecimentos climáticos extremos e a queima de combustíveis fósseis – que liberta dióxido de carbono e contribui para o aumento da concentração de gases com efeito de estufa – foi situada na Austrália.

Cinco estudos independentes apuraram que a influência humana agravou substancialmente tanto a probabilidade como a severidade das ondas de calor no país.

“Os resultados do estudo sobre a Austrália são notáveis”, afirmou Peter Stott, um dos editores do estudo, que trabalha no centro de meteorologia britânico, o Met Offic.

iisd.ca

Peter Stott, investigador especializado no estudo de alterações climáticas atribuíveis a causas antopogénicas e naturais

Peter Stott, investigador especializado no estudo de alterações climáticas atribuíveis a causas antopogénicas e naturais

Os estudos “revelaram que as hipóteses de observar tais temperaturas extremas na austrália num mundo sem alterações climáticas antropogénicas causadas pelo Homem são praticamente nulas”, adiantou Stott.

No documento avançou-se também que os verões extremamente quentes que se verificaram no Japão, na Coreia e na China ficaram a dever-se muito provavelmente pelas alterações climáticas de causa humana.

Os investigadores identificaram causas tanto naturais como humanas no verão quente e seco da Europa ocidental.

Causas humanas foram também apontadas para explicar as fortes chuvas que caíram na Índia em junho.

“Dado que sabemos hoje, é muito mais fácil para nós associarmos os picos de calor com a influência humana do que os outros acontecimentos extremos”, disse Thomas Karl, diretor da agência dos EUA para os Oceanos e a Atmosfera, NOAA.

A ciência que estuda as ligações entre as alterações climáticas e os eventos extremos continua a progredir e esperam-se medições ainda mais refinadas no futuro, afirmou outro dos editores, Marty Hoerling.

Acrescentou que um conjunto amplo de padrões meteorológicos é afetado pelas alterações climáticas, e não apenas as vagas de calor.

“É quase certo que as alterações climáticas influenciam todos os eventos meteorológicos”, afirmou Hoerling, em declarações à imprensa.

“A questão que estamos a estudar não é se influencia, é como influencia”, acentuou.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Coronavírus abala mercados mundiais. Petróleo derrapa mais de 3%

A preocupação com as consequências económicas da propagação do coronavírus na China está a ter um efeito devastador nos mercados. A derrapagem nos mercados acontece numa altura em que o número de mortos pelo surto de …

Prémio Tyler 2020: Defensores de políticas verdes ganham "Nobel do Meio Ambiente"

O Prémio Tyler 2020, também conhecido como o "Nobel do Meio Ambiente", foi atribuído à bióloga Gretchen Daily e ao economista ambiental Pavan Sukhdev, foi hoje anunciado. A bióloga especialista em conservação e o economista são …

Subsídios estão a ser pagos e aumento de 15% no ordenado "não é realista", diz a Ryanair

A Ryanair está a pagar os subsídios de férias e Natal, afirmou hoje um responsável da companhia, salientando que o sindicato dos tripulantes de cabine tenta “forçar” aumentos salariais de 15%, o que “não é …

Tia de Kim Jong-un faz a primeira aparição pública em mais de seis anos

Kim Kyong-hui, tia paterna do líder norte-coreano Kim Jong-un, reapareceu em público este sábado pela primeira vez em mais de seis anos, escreve a BBC. A emissora britânica, que avança a notícia citando a Agência Central …

Coronavírus. Madeira está a preparar-se para eventual surto

Região da Madeira “já está a delinear” quartos com pressão negativa e áreas isoladas, além de “fármacos, oxigénio, fatos protetores, máscaras e capacidade laboratorial”. O presidente do Instituto de Saúde (Iasaúde) da Madeira anunciou esta segunda-feira …

Luanda Leaks. Isabel dos Santos vai processar o consórcio de jornalistas

Depois de Rui Pinto ter assumido a autoria da divulgação dos documentos do caso Luanda Leaks, Isabel dos Santos avança que vai processar o consórcio de jornalistas. A empresária angolana Isabel dos Santos vai processar o …

Portugal vende cinco F-16 à Roménia por 130 milhões de euros

O ministério da Defesa Nacional oficializou hoje, na Base Aérea de Monte Real, no distrito de Leiria, a venda de cinco aviões militares F-16 à Roménia, num negócio de 130 milhões de euros. "Com este processo …

Pedro Proença e a violência no futebol: "É chegada a altura de o Governo assumir responsabilidades"

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol (LPFP), Pedro Proença, disse esta segunda-feira, depois de uma reunião no Ministério da Administração Interna (MAI), que o governo deve assumir responsabilidades sobre os recentes casos de violência …

Reconhecimento facial vai ser testado no acesso a serviços públicos online

O Governo quer criar um sistema de reconhecimento facial para usar a chave móvel digital, ferramenta que já permite aceder a vários serviços online do Estado. O Governo está a planear criar um sistema de reconhecimento …

Sem voz no clube, Raul José pondera abandonar o Sporting

Sem voz na pasta das contratações e construção do plantel, Raul José, líder do departamento de scouting do Sporting, pode estar de saída do clube. Raul José, líder do departamento de scouting do Sporting CP, estará …