ALMA descobriu ingrediente da vida em torno de estrelas bebé do tipo solar

Digitized Sky Survey 2/L. Calçada / ESO

A região de formação estelar onde foi descoberto o isocianato de metilo, encontrando-se destacada a estrutura molecular deste composto químico.

A região de formação estelar onde foi descoberto o isocianato de metilo, encontrando-se destacada a estrutura molecular deste composto químico.

O ALMA observou estrelas como o Sol numa fase muito inicial da sua formação e descobriu traços de isocianato de metilo — um bloco constituinte de vida.

Esta é a primeira vez que se deteta esta molécula prebiótica em protoestrelas do tipo solar, isto é, estrelas do tipo da protoestrela que deu origem ao Sol e, logo, ao Sistema Solar. A descoberta ajuda os astrónomos a perceber melhor a origem da vida na Terra.

Duas equipas de astrónomos utilizaram o ALMA, Atacama Large Millimeter / submillimeter Array, no Chile, para detetar a molécula orgânica complexa prebiótica de isocianato de metilo, substância muito tóxica que contém átomos de carbono, hidrogénio, azoto e oxigénio na configuração química CH3NCO, no sistema estelar múltiplo IRAS 16293-2422.

Uma das equipas foi liderada por Rafael Martín-Doménech, do Centro de Astrobiología de Madrid, Espanha, e por Víctor M. Rivilla, do INAF-Osservatorio Astrofisico di Arcetri, Florença, Itália, e a outra foi liderada por Niels Ligterink do Observatório de Leiden, Holanda e por Audrey Coutens do University College London, Reino Unido.

Este sistema estelar não pára de nos surpreender! Depois da descoberta dos açúcares, descobrimos agora isocianato de metilo. Esta família de moléculas orgânicas está ligada à síntese de péptidos e aminoácidos, os quais formam, sob a forma de proteínas, a base biológica da vida tal como a conhecemos,” explicam Niels Ligterink e Audrey Coutens.

As capacidades do ALMA permitiram às duas equipas observar esta molécula ao longo do espectro rádio, a vários comprimentos de onda diferentes e bem característicos.

L. Calçada / ESO

O ALMA observou estrelas como o Sol numa fase muito inicial da sua formação e descobriu traços de isocianato de metilo — um bloco constituinte de vida. Esta é a primeira vez que se deteta esta molécula prebiótica em protoestrelas do tipo solar, isto é, estrelas do tipo da protoestrela que deu origem ao Sol e, consequentemente, ao Sistema Solar. Esta descoberta ajuda os astrónomos a perceber melhor a origem da vida na Terra.

O ALMA observou estrelas como o Sol numa fase muito inicial da sua formação e descobriu traços de isocianato de metilo — um bloco constituinte de vida.

As equipas descobriram as impressões digitais químicas únicas desta molécula nas regiões internas e densas do casulo de gás e poeira que rodeia as estrelas jovens nas suas fases mais iniciais de evolução.

Cada equipa identificou e isolou as assinaturas da molécula orgânica complexa de isocianato de metilo. Seguidamente fizeram-se modelos químicos de computador e experiências em laboratório com o intuito de compreendermos ao máximo a maneira como esta molécula se forma.

O IRAS 16293-2422 é um sistema múltiplo de estrelas muito jovens situado a cerca de 400 anos-luz de distância na enorme região de formação estelar Rho Ophiuchi, na constelação do Ofiúco ou Serpentário. Estes novos resultados do ALMA mostram que o gás de isocianato de metilo rodeia cada uma destas estrelas jovens.

A Terra e os outros planetas do nosso Sistema Solar formaram-se a partir de material que restou da formação do Sol. O estudo de protoestrelas do tipo solar pode, por isso, abrir aos astrónomos uma janela para o passado, permitindo-lhes observar condições semelhantes àquelas que levaram à formação do nosso Sistema Solar há cerca de 4,5 mil milhões de anos atrás.

“Estamos entusiasmados com estes resultados porque estas protoestrelas são muito semelhantes ao Sol no início da sua vida, apresentando o tipo de condições propícias à formação de planetas do tamanho da Terra”, comentaram Rafael Martín-Doménech e Víctor M. Rivilla, autores principais de um dos artigos científicos que descrevem estes resultados.

“Ao encontrarmos moléculas prebióticas, temos agora outra peça do puzzle que é compreender como é que a vida começou no nosso planeta“, acrescentam.

Niels Ligterink, autor de outro dos artigos, está muito satisfeito com os resultados complementares de seguimento feitos em laboratório. “Para além de detetarmos moléculas, queremos também compreender como é que elas se formam”.

“As nossas experiências laboratoriais mostram que o isocianato de metilo pode, efetivamente, formar-se em partículas geladas sob condições de frio extremo, semelhantes às encontradas no espaço interestelar”, explica Ligterink.

“Isso implica que esta molécula, e por conseguinte, a base das ligações dos péptidos, tem efetivamente uma grande probabilidade de estar presente próximo da maioria das estrelas jovens do tipo solar”, conclui.

// CCVAlg

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. “O IRAS 16293-2422 é um sistema múltiplo de estrelas muito jovens situado a cerca de 400 anos-luz de distância”. Eu apenas pergunto, como é possível analisar algo que está a 400 anos-luz, ou seja, a imagem transmitida (à velocidade da luz) demora 400 anos (!) a chegar até nós e com esta precisão molecular? Algo apenas imaginável e ao mesmo tempo poderá querer dizer que é algo que actualmente, após 400 anos, já poderá nem existir!
    Acho que deveriam investir mais tempo e dinheiro em fazer do nosso planeta um planeta melhor onde todos possamos viver e sobreviver, do que tentar encontrar outros planetas para podermos destruir como fizemos e fazemos no planeta Terra…

    • Os cientistas não observam LITERALMENTE as moléculas uma uma… não à escala molecular. Para isso precisavam de um microscópio, que é usado para observar coisas pequenas, de muito perto.

      Não, os astrónomos usam telescópios e com eles conseguem observar CONJUNTOS GIGANTES DE MOLÉCULAS distante, sob a forma de nuvens de gás e poeira.

      Através do estudo da radiação (os vários tipos de luz) que estas nuvens emitem e absorvem – o espectro eletromagnético -, conseguem determinar quais os constituintes das nuvens: https://www.youtube.com/watch?v=jjy-eqWM38g

RESPONDER

Siza Vieira abriu imobiliária um dia antes de entrar no Governo

O ministro Adjunto do primeiro-ministro abriu uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse, acumulando a gerência não remunerada com o cargo governamental. Pedro Siza Vieira abriu uma empresa de compra e venda de bens …

Lisboa, Porto e Coimbra podem vir a ter megatribunais

O Governo prevê investir quase 275 milhões de euros na próxima década na construção e requalificação de tribunais. Lisboa, Porto e Coimbra deverão ganhar um novo grande tribunal. Em Lisboa, Porto e Coimbra, o Governo defende …

Desmantelamento de base nuclear na Coreia do Norte vai começar

A Coreia do Norte deve iniciar esta quarta-feira o desmantelamento de uma base nuclear em Punggye-ri. Depois de terem negado o acesso aos jornalistas, o Governo volta atrás e permite a cobertura jornalística Vai começar o desmantelamento …

Zuckerberg foi ao Parlamento Europeu pedir desculpa

Mark Zuckerberg desculpou-se no Parlamento Europeu pela incapacidade demonstrada pela sua empresa para evitar que os dados pessoais dos cidadãos europeus fossem erradamente usados A dois dias da entrada em vigor da legislação europeia para a …

Lasers podem deixar computadores um milhão de vezes mais rápidos

Uma nova técnica promete fazer com que a computação seja até um milhão de vezes mais rápida do que é atualmente, através do uso do laser na propagação de informações. Mil milhões de operações por segundo …

Morreu o escritor norte-americano Philip Roth

O escritor norte-americano morreu de insuficiência cardíaca, aos 85 anos, disse o agente literário à agência noticiosa Associated Press. Natural de Newark, Nova Jérsia, Philip Roth, habitualmente mencionado como candidato ao Nobel da Literatura, era considerado …

Contacto com germes pode prevenir leucemia em crianças

Análise baseada em 30 anos de estudos aponta que a leucemia linfoblástica aguda tem a sua origem em infâncias sem exposição de germes ao sistema imunitário. Uma das causas mais comuns de cancro nas crianças, a …

250 siberianos tornaram-se nos primeiros nativos americanos

Uma recente análise genética sugere que a população fundadora dos nativos americanos que migrou da Sibéria era composta por aproximadamente 250 indivíduos. Apesar dos inúmeros estudos genéticos, os cientistas ainda não tinham chegado a um consenso …

Afinal, o maior anfíbio do mundo são cinco

A salamandra-gigante-da-china não é uma espécie, mas cinco. Estas espécies estão em risco de extinção devido à má gestão da conservação. O maior anfíbio do mundo, a salamandra-gigante da-China (Andrias davidianus) são cinco espécies diferentes. A …

Cientistas chineses descobrem possível origem dos misteriosos sinais extraterrestres

Cientistas chineses encontraram uma nova explicação para as misteriosas e rápidas rajadas de rádio. Os especialistas acreditam que os "sinais extraterrestres" são originados por um tipo específico de estrela de neutrões: as "estrelas estranhas". Em 2001, …