Podem aliens invisíveis estar a viver entre nós? Sim, mas não como pensamos

A vida alienígena pode já estar presente na Terra, mas não da forma que pensamos. Ela pode ser invisível aos nossos olhos, assumindo formas a que não estamos familiarizados.

É bem fácil reconhecer vida quando a vemos: mexe, cresce, come, reproduz-se. Simples. Mas Helen Sharman, a primeira astronauta britânica, disse recentemente que formas de vida alienígenas que são impossíveis de detetar podem estar a viver entre nós. Como é que é possível?

Embora a vida possa ser fácil de reconhecer, é bastante difícil de definir e tem cientistas e filósofos em debate há séculos — se não milénios. Por exemplo, uma impressora 3D pode reproduzir-se, mas não diríamos que é vida. Por outro lado, uma mula é famosa por ser estéril, mas nunca diríamos que ela não é vida.

Como ninguém consegue encontrar um consenso, existem mais de 100 definições do que é a vida. Uma abordagem alternativa (mas imperfeita) é descrever a vida como “um sistema químico autosustentável capaz da evolução darwiniana“.

A falta de definição é um enorme problema quando se trata de procurar vida no espaço. Não poder definir outra vida além de “nós a conheceremos quando a virmos” significa que estamos realmente a limitarmo-nos a ideias geocêntricas, possivelmente até antropocêntricas, de como é a vida.

Quando pensamos em alienígenas, muitas vezes imaginamos uma criatura humanoide, mas a vida inteligente que estamos à procura não precisa ser humanoide.

Vida, mas não como a conhecemos

Sharman diz que acredita que existem alienígenas. Além disso, ela pergunta-se: “Serão eles como você e eu, feitos de carbono e nitrogénio? Talvez não. É possível que eles estejam aqui agora e nós simplesmente não podemos vê-los“.

Essa vida existiria na “biosfera das sombras”. Isto significa que não podemos estudá-los nem notá-los porque eles estão fora da nossa compreensão. Supondo que exista, uma biosfera dessas sombras provavelmente seria microscópica.

Temos maneiras limitadas de estudar o mundo microscópico, pois apenas uma pequena percentagem de micróbios pode ser cultivada em laboratório. Isto pode significar que realmente existem muitas formas de vida que ainda não descobrimos.

Se encontrarmos esta biosfera, no entanto, não está claro se devemos chamá-la de alienígena. Isto depende se queremos dizer “de origem extraterrestre” ou simplesmente “não familiar”.

Vida à base de silício

Uma sugestão popular para uma bioquímica alternativa é uma baseada em silício e não em carbono. Faz sentido, mesmo do ponto de vista geocêntrico. Cerca de 90% da Terra é composta de silício, ferro, magnésio e oxigénio, o que significa que há muito por onde construir vida potencial.

O silício é semelhante ao carbono, mas é mais pesado. Embora o carbono possa criar fortes ligações para formar longas cadeias úteis para muitas funções, como a construção de paredes celulares, é muito mais difícil para o silício. Este tem dificuldades em criar laços fortes, de modo que as moléculas de cadeia longa são muito menos estáveis.

Além disso, compostos de silício comuns, como dióxido de silício, geralmente são sólidos às temperaturas terrestres e insolúveis em água. O carbono, por sua vez, é mais flexível e oferece muito mais possibilidades moleculares.

A vida na Terra é fundamentalmente diferente da composição geral da Terra. Outro argumento contra uma “biosfera das sombras” baseada em silício é que muito dele está preso nas rochas. De facto, a composição química da vida na Terra tem uma correlação aproximada com a composição química do Sol, com 98% dos átomos. Portanto, se houvesse formas de vida viáveis de silício aqui, elas podem ter evoluído noutros lugares.

Dito isto, há argumentos a favor da vida à base de silício na Terra. A natureza é adaptável. Há alguns anos atrás, os cientistas da Caltech conseguiram criar uma proteína bacteriana que cria laços com o silício. Portanto, mesmo que o silício seja inflexível em comparação com o carbono, talvez seja possível encontrar maneiras de se reunir em organismos vivos, incluindo potencialmente o carbono.

Para encontrar vida à base de silício, precisamos de pensar fora da caixa e descobrir maneiras de reconhecer formas de vida que são fundamentalmente diferentes da forma baseada em carbono.

Assim sendo, poderão aliens estar entre nós? Não é possível confirmar que tenhamos sido visitados por uma forma de vida com a tecnologia para viajar pelas vastas distâncias do espaço, mas temos evidências de que moléculas baseadas em carbono formadoras de vida chegaram à Terra em meteoritos; portanto, as provas certamente não descartam a mesma possibilidade para formas de vida mais desconhecidas.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Os aliens que estamos à procura são aqueles que podemos escravizar em nosso proveito. Que têm braços e pernas para os pormos a trabalhar. Os verdinhos de cabeça e olhos grandes. Venham esses para os extinguirmos logo de seguida… como de resto fazemos por cá com todas as populações ditas inferiores.

RESPONDER

Desmantelada fábrica ilegal de tabaco. Funcionava num bunker

Uma operação levada a cabo pela Guardia Civil esta terça-feira desmantelou uma fábrica ilegal de tabaco, em Espanha, e deteve a organização clandestina que a geria: vinte pessoas foram detidas, de nacionalidades britânica, lituana e …

China diz que surto está "sob controlo" após 14 províncias não reportarem novos casos

O surto do coronavírus Covid-19 está "sob controlo", depois de a atualização diária mostrar que 14 das 34 províncias e regiões autónomas do país não detetaram novos casos, anunciaram esta sexta-feira as autoridades chinesas. O vice-diretor …

Após 2 anos preso, Pedro Dias assume três homicídios e diz-se arrependido

Pedro Dias, conhecido pelos homicídios de Aguiar da Beira, manifesta-se arrependido pelos crimes por que foi condenado a 25 anos de prisão, após cumprir dois anos da pena. Um arrependimento que é também um assumir …

Orçamento da UE. Proposta agrava corte de Portugal na coesão em 2 mil milhões

A proposta do presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, prevê um corte de 2 mil milhões de euros no envelope da coesão para Portugal. Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia iniciaram esta …

Russos atormentam Estados Unidos outra vez. Presidenciais são o alvo

Os serviços secretos norte-americanos estão convencidos de que os russos estão, novamente, a tentar influenciar as presidenciais daquele país. Faltam nove meses para as eleições presidenciais norte-americanas, mas já há suspeitas de que os russos estão …

Processo obscuro e pouco transparente. Expansão do Metro do Porto cria mal-estar

O alargamento do Metro do Porto está a criar mal-estar entre algumas autarquias da área Metropolitana do Porto. Os autarcas falam num processo obscuro e pouco transparente. O protocolo para consolidação da expansão da rede de …

Barcelona contrata jogador com o mercado fechado (mas Leganés não pôde fazer o mesmo)

O Barcelona foi autorizado a contratar um jogador com o mercado fechado, mas o pedido do Leganés foi rejeitado. O clube perdeu Braithwaite para o clube catalão. O FC Barcelona anunciou, esta quinta-feira, a contratação do …

Portugueses gastam 160 euros por ano na "epidemia das raspadinhas". 11 vezes mais do que os espanhóis

De acordo com um estudo recente, há cada vez mais pessoas a chegarem aos consultórios médicos com a doença do jogo patológico desencadeada pela raspadinha. Num artigo científico publicado na The Lancet, Pedro Morgado e Daniela …

Direita chega ao jogo das comissões no MB Way. PSD e Chega juntam-se ao PS

O PSD quer alargar serviços dentro das contas de baixo custo e incluir transferências via a aplicação da SIBS. O Chega quer eliminar custos nessas transações. Depois da esquerda, é a vez da direita marcar terreno …

Fãs de Kobe Bryant em luto estão a deixar flores na sepultura errada

Numa tentativa de prestar homenagem ao ex-basquetebolista, vários fãs de Kobe Bryant em luto estão a deixar flores na sua sepultura. O problema é que o têm na campa de outra pessoa. Quase um mês depois …