Alemanha, Polónia e Suécia expulsam três diplomatas russos

Yuri Kochetkov / EPA

Protestos para a libertação de Navalny, na Rússia

A Alemanha, a Polónia e a Suécia expulsaram esta segunda-feira três diplomatas russos, em retaliação ao afastamento de três diplomatas da União Europeia (UE) pela Rússia, situação que ocorreu enquanto o chefe da diplomacia europeu, Josep Borrell, visitava Moscovo, na semana passada.

Segundo relatou a agência Reuters, estas expulsões revelam a volatilidade nas relações Leste-Oeste, com o Ocidente a acusar Moscovo de tentar desestabilizar a confiança mútua e com o Kremlin a rejeitar interferência estrangeira nas decisões do país. Borrell disse ter tido conhecimento das expulsões através da media social, enquanto conversava em Moscovo com o chanceler russo, Sergei Lavrov, na sexta-feira.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, indicou na segunda-feira que o afastamento dos diplomatas alemães, polacos e suecos, acusados ​​de participarem de protestos no mês passado, ocorreu um dia antes da viagem de Borrell.

O Ministério das Relações Externas alemão disse em comunicado que o diplomata expulso por Moscovo estava apenas “a cumprir a sua tarefa de informar sobre os acontecimentos”. A Suécia concordou com a posição alemã, classificando as expulsões como “inaceitáveis”.

Já o Ministério das Relações Externas da Polónia ordenou que um membro do consulado russo na cidade de Poznan deixasse o país, “de acordo com o princípio da reciprocidade e em coordenação com a Alemanha e a Suécia”.

A porta-voz do Ministério das Relações Externas da Rússia, Maria Zakharova, declarou que as ações dos três países da UE foram “injustificadas, hostis e uma continuação da mesma série de ações que o Ocidente está a tomar contra” o país, que qualificam “como interferência nos assuntos internos”.

Num artigo divulgado no domingo, Borrell indicou que os seus apelos à Rússia para interromper as expulsões foram ignorados. O ex-chefe da Defesa da Estónia, Riho Terras, agora legislador da UE, iniciou uma campanha na qual pedia a sua renúncia. A Comissão Europeia reagiu, apoiando o chefe da diplomacia europeu.

“A viagem era necessária. Ninguém desiste de uma viagem porque parece difícil”, disse o porta-voz da Comissão, Eric Mamer. “Uma viagem não é um sucesso ou um fracasso com base no que acontece durante um determinado momento”, acrescentou.

Na segunda-feira, a Polónia convocou uma videochamada de duas horas com países da UE, que contou com a presença de enviados da Grã-Bretanha, Estados Unidos, Canadá e Ucrânia, bem como dois aliados de Alexei Navalny – Vladimir Ashurkov e Leonid Volkov -, para discutir políticas sobre a Rússia, incluindo sanções.

Navalny foi preso a 02 de fevereiro depois que um tribunal russo decidiu que este violou os termos de uma pena suspensa. Borrell deslocou-se a Moscovo para apelar à sua libertação e tentar relançar as relações entre a UE e a Rússia. Contudo, no artigo de domingo, o responsável referiu que a viagem foi “muito complicada”.

“A Rússia está progressivamente a se desconectar da Europa e a encarar os valores democráticos como uma ameaça existencial”, escreveu Borrell. “Caberá aos Estados-membros decidir os próximos passos e, sim, isso pode incluir sanções”, frisou.

Taísa Pagno Taísa Pagno //

PARTILHAR

RESPONDER

Não são só os humanos. Até os cães-guia podem vir a ser substituídos por robôs

A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) não ameaça apenas automatizar o trabalho dos humanos. Os cães-guia, que ajudam pessoas com deficiência visual a navegar com segurança pelo mundo, podem ser os seus próximos alvos. Uma equipa …

Laboratório investigado em Madrid depois de vídeo mostrar maus tratos a animais

Um laboratório em Madrid, Espanha, está a ser investigado por alegados maus tratos a animais, depois de uma inspeção confirmar as suspeitas de abuso filmadas por um antigo funcionário. O vídeo divulgado pela Cruelty Free International …

Equipa realiza primeiro transplante de traqueia do mundo. Pode reverter danos causados pela covid-19

Uma equipa de cirurgiões realizou o primeiro transplante de traqueia humana do mundo. A cirurgia foi feita numa mulher com graves danos no órgão, revelou o Hospital Mount Sinai, em Nova Iorque. A recetora do transplante …

Em 2020, os mais velhos renderam-se aos "animais de estimação pandémicos"

Uma nova investigação revelou que as famílias com crianças não foram as únicas a aderir à tendência dos "animais de estimação pandémicos" em 2020. Os mais velhos também não resistiram. Segundo a National Poll on Healthy …

Tramado por uma turfeira. Homem confessa assassinato, mas corpo encontrado tinha 1600 anos

O que tinha tudo para ser um casamento feliz, acabou em tragédia. Num estranho caso em que uma simples planta ditou o desfecho de uma investigação criminal. Em 1959, a retratista e entusiasta de viagens Malika …

"Projeto Bernanke". Google terá usado programa secreto para dar vantagem ao seu sistema de anúncios

A Google terá usado durante anos um programa secreto que usava dados de lances anteriores na bolsa de publicidade digital da empresa para dar ao seu próprio sistema de compra de anúncios uma vantagem sobre …

Para "proteger a verdade histórica", Rússia divulga documentos que revelam atrocidades nazis em Stalingrado

O Ministério da Defesa da Rússia divulgou documentos desclassificados que detalham atrocidades cometidas por soldados e oficiais nazis durante a II Guerra Mundial. A divulgação destes documentos, que foram publicados no site do Ministério da Defesa …

Espanha. Funcionários públicos podem trabalhar três dias em casa sem perder direitos

O Governo espanhol e os sindicatos de funcionalismo público chegaram, esta segunda-feira, a um acordo que prevê que os trabalhadores da Administração Pública podem trabalhar três dias por semana em casa com os mesmos direitos …

Rara coleção de um dos primeiros fotógrafos da História vai a leilão nos EUA

Quase 200 imagens de um dos primeiros fotógrafos da história, William Henry Fox Talbot, vão a leilão, em Nova Iorque, já este mês. A coleção de William Henry Fox Talbot será parte do leilão "50 obras-primas …

Em greve de fome, Navalny é ameaçado ser alimentado à força. Ativistas falam em tortura

O opositor russo Alexei Navalny afirmou hoje na rede social Twitter que as autoridades penitenciárias estão a ameaçar alimentá-lo à força para quebrar a greve de fome que mantém na prisão desde 31 de março. “Ele …