Alcoólicos em tratamento sem medicamento desde novembro

Nic Bothma / EPA

O Tetradin aumenta em 30% as possibilidades de sucesso no tratamento da dependência alcoólica. Os especialistas já lançaram uma petição na qual apelam à reposição imediata do medicamento.

Os alcoólicos em tratamento em Portugal estão há cinco meses sem acesso a Tetradin, um medicamento utilizado no tratamento do alcoolismo.

Ao Público, o psiquiatra Domingos Neto adiantou que esta situação, que se arrasta desde novembro, já “prejudicou centenas de doentes que recaíram ou não conseguiram iniciar o tratamento”.

Centenas profissionais da área e familiares de doentes subscreveram, no início do mês de março, uma petição pública pedindo “a reposição imediata deste medicamento no mercado português”. A empresa que distribuía o Tetradin em Portugal, Caldeira & Metelo, alega que o fabricante indiano deixou de fornecer o medicamento para a Europa.

No entanto, segundo a petição, o fármaco continua à venda em Espanha e França. A ausência do medicamento, que tem uma substância ativa, o dissulfiram, capaz de aumentar em 30% o sucesso no tratamento da dependência alcoólica, “compromete gravemente a saúde” de muitos alcoólicos portugueses em tratamento.

Sem o fármaco ou outro similar a que possam recorrer, os alcoólicos em tratamento tendem a recair no consumo. “Era uma arma interessante, e o facto de não podermos contar com ela prejudica claramente o tratamento de muitos doentes”, explica Ana Feijão, coordenadora da Unidade de Alcoologia de Lisboa.

O dissulfiram funcionava como “uma espécie de policiamento de si próprios”, já que “se o doente beber álcool por cima do medicamento, fica vermelho, com baixa de tensão, sente-se mal, pode vomitar, fica ansioso e tem um aumento da frequência cardíaca”, explicou Domingos Neto.

O psiquiatra continua a prescrever o fármaco aos seus doentes. “Entrei em acordo com uma farmácia que o importa de Espanha. A diferença é que antes uma caixa com 60 comprimidos que dava para oito meses de tratamento custava 4,60 euros. Agora, compramos 40 comprimidos por cerca de 18 euros”, conta ao matutino.

Na petição dirigida ao ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, os signatários denunciam o facto de “já ter havido uma tentativa por parte do laboratório para descontinuar o fármaco”.

Os autores dizem ainda ter recebido do Infarmed a indicação de que o medicamento vai regressar ao mercado em Abril. O Público contactou a entidade reguladora do medicamento mas não obteve uma resposta.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

No dia anterior à derrocada houve explosões na pedreira de Borba

Um dos sobreviventes da derrocada, que em novembro do ano passado matou cinco pessoas em Borba, garante que na véspera da tragédia "houve explosões e fogo" no fundo da pedreira. Um dos sobreviventes da derrocada de …

As vaquitas estão extinguir-se à nossa frente. Já só há 10 em todo o mundo

A vaquita marinha, o cetáceo mais pequeno do mundo, está à beira da extinção, havendo apenas cerca de dez criaturas vivas, segundo cientistas. O ser humano é o principal responsável pelo seu contínuo desaparecimento. As vaquitas …

A Ciência descobriu quando nasceu Deus

A ideia de um deus todo-poderoso que vigia os humanos a partir do Céu e pune os que se desviam da norma surgiu depois que estes trocaram a tribo pela sociedade. Essa é a principal conclusão …

Famílias numerosas queixam-se de disparidades no preço da água consumida

A Associação Portuguesa das Famílias Numerosas queixou-se da diferença no preço da água consumida consoante o município onde se vive e o número de pessoas do agregado familiar. Na quarta edição do estudo sobre a água …

Costa condiciona extensão do Brexit para além de 23 de maio à aprovação do acordo

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu esta quinta-feira que uma extensão do Brexit para além de 23 de maio implica a ratificação do Acordo de Saída pelo Parlamento britânico ou a realização de eleições europeias no …

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer influencia risco de desenvolver a doença

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer aumenta a probabilidade de desenvolver a doença, concluiu um estudo recente que avaliou a história familiar de mais de 280 mil pessoas. Na última década, vários estudos indicaram a …

Marcelo Rebelo de Sousa promulgou a nova lei da paridade (mas com alguns parêntesis)

O Presidente da República promulgou a nova Lei da Paridade. A lei estabelece que as listas para a Assembleia da República, para o Parlamento Europeu e para as autarquias locais têm de assegurar a representação …

Cientistas descobrem o que provocou três eras glaciais na Terra

Cientistas estadunidenses calcularam que um evento geológico repetido deu origem às três últimas eras glaciais no nosso planeta, a última das quais ainda mantém o seu gelo nas regiões polares. Segundo a revista Science, a responsável …

A Terra pode guardar um Oumuamua no seu interior

Uma parte da terra que pisamos poderia vir, literalmente, de outras regiões da galáxia - áreas muito distantes do local onde o planeta está localizado e que para chegar até aqui teriam que viajar anos-luz …

Há um planeta mais próximo da Terra do que Vénus

A partir do Sol, a ordem dos primeiros planetas começa com Mercúrio, depois Vénus e depois a Terra. Então, Vénus é o planeta mais próximo do nosso? A resposta é: depende. Uma equipa de cientistas acaba …