/

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães.

Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual no ataque, mas que errou demais na defesa, as “águias” voltaram a não cair na cidade-berço (onde desde 2016 só sabem ganhar) e, de forma segura, mantêm-se firmes no topo da classificação, 100 por cento vitoriosas ao fim de sete jornadas, o que não acontecia há 39 anos.

Erros defensivos de um lado, frieza ucraniana a finalizar do outro

O encontro até começou numa toada de parada e resposta. Aos 22 minutos as “águias” já tinham rematado por quatro vezes e os vimaranenses por duas. A partir daí, porém, o domínio encarnado acentuou-se, com os pupilos de Jorge Jesus a aproveitarem os erros defensivos contrários para ganharem vantagem. À passagem da meia hora, assistência de Vertonghen (a primeira de “águia ao peito” do belga) e classe de Yaremchuk, isolado, a finalizar. O seu terceiro golo em cinco jogos na Liga portuguesa. O quarto chegou logo depois. Perda de bola de Borevkovic e o ucraniano, outra vez isolado, a bisar.

Endiabrado (e com a defesa da casa totalmente desorientada), o ex-Gent até podia ter chegado ao “hat-trick” logo a seguir. Darwin também ficou perto de marcar em cima do apito para o final de uns primeiros 45 minutos em que o Benfica logrou 17 acções na grande área contrária e 13 remates (três dos quais na direcção do alvo, todos por Yaremchuk), justificando inteiramente a vantagem.

A segunda parte começou com o Vitória a correr atrás do prejuízo, a crescer no que ao tempo de posse de bola diz respeito e a surgir mais vezes no último terço do terreno mas, com os anfitriões balanceados para ao ataque, foi o Benfica a voltar a marcar, numa das rápidas transições ofensivas que ia tentando. Rafa conduziu, João Mário rematou, a bola desviou num adversário e entrou. Tudo decidido no D. Afonso Henriques, pensou-se, mas os “conquistadores” ainda deram um ar da sua graça e, na transformação de uma grande penalidade a castigar falta de Lucas Veríssimo sobre Rochinha, Bruno Duarte não perdoou. Nada que impedisse o Benfica de somar a sétima vitória em sete jogos nesta edição da Liga portuguesa.

O MVP GoalPoint

Num jogo de feição às suas características, sobretudo à medida que os minutos foram passando, com o Vitória a deixar espaço para as rápidas transições ofensivas do Benfica, Rafa deu seguimento ao bom início de época que vem protagonizando e voltou a mostrar-se muito importante em mais um triunfo dos “encarnados”. O internacional português assistiu João Mário para o golo que sentenciou a partida numa dessas rápidas transições, isolou Yaremchuk no lance em que o ucraniano perdeu a oportunidade de fazer o “hat-trick”, só falhou um dos cinco dribles que tentou e totalizou sete passes aproximativos. Tudo junto, valeu-lhe um GoalPoint Rating de 7.3 e o “título” de MVP do encontro.

GoalPoint

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.