Afinal somos todos migrantes extragaláticos

Z. Levay and R. van der Marel, STScI; T. Hallas; and A. Mellinger / NASA, ESA

Astrofísicos norte-americanos descobriram que, ao contrário do que pensávamos, cerca de metade da matéria da Via Láctea pode ter vindo de outras galáxias distantes – ou seja, cada um de nós pode ser composto, em grande parte, de matéria extragalática.

Usando simulações de supercomputadores, uma equipa de astrofísicos da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, descobriu que, ao contrário do que antes se pensava, as galáxias adquirem matéria através de transferência intergaláctica.

Segundo mostraram as simulações realizadas pelos autores do estudo, publicado esta quarta-feira na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, as explosões de supernovas expulsam quantidades abundantes de gás das galáxias, e esses átomos podem ser transportados de uma para outra através de poderosos ventos galácticos.

A transferência inter-galáctica é um fenómeno recentemente identificado, fundamental para entender como as galáxias evoluem. “Dado quanta matéria pode ter vindo de outras galáxias, poderíamos nos considerar viajantes espaciais ou imigrantes extragalácticos”, disse Daniel Anglés-Alcázar, um dos autores do estudo.

As galáxias encontram-se normalmente muito distantes umas das outras, pelo que embora os ventos galácticos se propaguem a velocidades de várias centenas de quilómetros por segundo, o processo de transferência ocorre ao longo de milhares de milhões de anos.

Os investigadores realizaram simulações numéricas sofisticadas, que produziram modelos 3D realistas de galáxias, para seguir as suas formações logo após o Big Bang – e até ao presente.

Estes algoritmos de última geração analisaram uma enorme quantidade de dados e definiram os contornos do mecanismo que as galáxias usaram para adquirir matéria a partir do universo.

Segundo os autores do estudo, que usou o equivalente a vários milhões de horas de computação contínua, “os dados que obtivemos mudam completamente a nossa compreensão da forma como as galáxias se formam”.

“O que esse novo mecanismo implica é que até metade dos átomos que nos rodeiam – inclusivamente no nosso sistema solar, na Terra e em cada um de nós – não vem da nossa própria galáxia, mas vem de outras galáxias, a distâncias de até um milhão de anos-luz”, diz Claude-André Faucher-Giguère, outro autor do estudo.

Ao rastrear em detalhes os complexos fluxos de matéria nas simulações, a equipa descobriu que o gás flui das galáxias menores para as maiores, como a Via Láctea, onde forma estrelas. Esta transferência através de ventos galácticos pode representar até 50% da matéria nas galáxias maiores.

“Nas nossas simulações, conseguimos traçar as origens das estrelas em galáxias do tipo da Via Láctea e determinar se elas são formadas de matéria endémica à própria galáxia ou de gás previamente contido em outra galáxia”, explicou Anglés- Alcázar.

“As nossas origens são muito menos locais do que pensávamos anteriormente. Este estudo dá-nos a sensação de que as coisas à nossa volta estão todas ligadas a objetos distantes no céu”, completou Faucher-Giguère.

As descobertas abrem uma nova linha de pesquisa na compreensão da formação de galáxias. A equipa planeia agora colaborar com astrónomos observacionais para testar as previsões da sua simulação.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Hummmm…. acho que não…. quando dizemos que os ET andam aí, na verdade são os n/familiares que decidiram nos vir visitar….

RESPONDER

Sousa Cintra nomeado presidente da SAD do Sporting

O antigo presidente do Sporting José Sousa Cintra foi nomeado para a presidência da SAD do clube, em substituição de Bruno de Carvalho, anunciou hoje a Comissão de Gestão do clube. O presidente da Comissão de …

Descoberta a primeira obra de Da Vinci (ou talvez não)

O primeiro trabalho pictórico do génio do Renascimento Leonardo da Vinci terá sido um azulejo datado de 1471, no qual está representado o Arcanjo Gabriel, anunciou esta quinta-feira o especialista de arte Ernesto Solari, que …

Deus é um estúpido filho da mãe, diz Duterte

Rodrigo Duterte, o presidente das Filipinas – país em que 86% da população é católica – referiu-se a Deus como um "estúpido filho da mãe" durante uma cimeira na cidade de Davao. Referindo-se ao conceito católico …

32 anos depois, a genealogia genética tramou o assassino de Michella

O mistério da agressão sexual seguida de homicídio de uma adolescente americana em 1986 foi resolvido, 32 anos depois graças a uma técnica inovadora da genealogia genética, anunciaram este domingo as autoridades do estado de …

Estrelas massivas podem obrigar-nos a rever toda a história do Universo

Para entender os padrões que deram forma às galáxias, é necessário estudar estrelas. Ao estudá-las, astrónomos e cientistas conseguem analisar as suas massas, nascimentos e mortes para melhor compreender a história do universo. O Observatório Europeu …

Bruno deixa de ser sócio (e adepto) do Sporting

O presidente do Sporting, destituído em assembleia-geral (AG) no sábado, Bruno de Carvalho, prometeu hoje deixar de ser sócio do clube na sequência daquilo que diz ter sido uma “golpada” que colocou de novo no …

Milhares em Londres pedem um segundo referendo ao brexit

O centro de Londres encheu-se este sábado de milhares de pessoas que se manifestaram  por um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. “Queremos ter a palavra sobre o ‘brexit’”, gritou-se. Dois …

Para muitos, ir ao Rock in Rio é para "viver a experiência"

Há quem gaste 200 euros, quem não dispense um brinde e quem espere à sombra até ao concerto desejado. Para muitos dos espetadores, a ideia é viver “a experiência” do Rock in Rio Lisboa, que …

Francesa esteve detida 2 semanas por atravessar por engano fronteira EUA-Canadá

A francesa Cedella Roman, de 19 anos, passou o "maior susto da sua vida": foi detida pelo serviço de imigração norte-americano e esteve presa durante duas semanas num centro de imigrantes por ter atravessado acidentalmente …

Os buracos negros podem ser dois wormholes que colidiram

Quando dois wormholes colidem, são criadas ondulações no espaço-tempo. Esses ecos gravitacionais poderiam ser detetados por instrumentos futuros, fornecendo evidências de que essa hipotética colisão através do espaço-tempo existe mesmo. O Observatório de Ondas Gravitacionais por …