Acesso ao Facebook vai ser limitado nas escolas

César Astudillo / Flickr

-

No final da semana passada, as escolas receberam um e-mail da Direção Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) anunciando que o acesso a determinadas redes sociais e aplicações, tais como o Youtube, passava a estar “limitado a uma utilização máxima”, ou o Facebook, Instagram e Tumblr, que ficariam indisponíveis durante toda a manhã até às 13h30 e depois do almoço teriam também um “limite de utilização máxima”.

 

A entidade que gere a rede nas escolas tomou esta decisão na sequência de vários ataques informáticos registados desde o início do ano, que provocaram uma deterioração da qualidade de acesso à Internet, de acordo com o e-mail da DGEEC a que a Lusa teve acesso.

A decisão da DGEEC não preocupou muito os diretores das escolas, que acreditam que as limitações não irão prejudicar a qualidade de ensino e que, sem querer, até poderão ser “vantajosas” para o normal funcionamento das aulas.

Redes sociais prejudicais

“O Facebook e outras redes sociais são prejudicais para cadeiras específicas, onde também se usam as novas tecnologias e os computadores, como é o caso da Matemática, Português, Inglês ou História. Os professores queixam-se muito que os seus alunos vão, às escondidas, para o Facebook, o que gera indisciplina durante a aula. É aquela malandrice própria dos jovens”, contou à Lusa o vice-presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), Filinto Lima.

O representante dos diretores escolares sublinha que “de uma forma geral, as redes sociais não são importantes para as disciplinas centrais”, mas que ainda é preciso perceber o real impacto da medida na cadeira de TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação).

“Quando recebemos a informação (da DGEEC) falei com o nosso professor de informática, que não se mostrou minimamente preocupado com a medida porque as matérias de informática não passam por aqui”, afirmou Filinto Lima, dizendo, no entanto, que os diretores escolares vão avaliar o impacto da medida.

Questionado pela Lusa sobre a decisão de limitar aquelas redes e aplicações, o Ministério da Educação e Ciência (MEC) explicou que a DGEEC “verificou que a pressão sobre a rede decorria do acesso a determinados sites/aplicações que não são essenciais ao funcionamento das escolas e das atividades letivas”.

O MEC acredita que com esta limitação estão garantidas “as condições para o normal funcionamento da internet das escolas, quer para atividades letivas, quer para os serviços administrativos e similares”.

Sobre eventuais poupanças que a redução de acesso à internet pudesse representar, o MEC garantiu à Lusa que “a limitação não representa qualquer poupança para o Ministério, nem qualquer ganho para a Portugal Telecom”, a entidade que neste momento fornece o serviço.

“Quando a PT começou a fornecer o serviço, em 2008, a largura de rede era de 1Gb. Atualmente é de 6GbA”, segundo informações do MEC. De acordo com a DGEEC, em breve haverá uma quase duplicação da largura da banda larga atualmente disponível.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bloco quer proibir banca de distribuir lucros (e pede ajuda ao PSD)

O Bloco de Esquerda quer proibir os bancos de distribuírem dividendos em 2020 e pede ajuda ao PSD para o conseguir. Em videoconferência, Mariana Mortágua lançou um desafio ao líder social-democrata. O Bloco de Esquerda anunciou …

Ordens duvidam dos números de infetados (e admitem fazer o seu próprio levantamento)

Segundo os números anunciados na quarta-feira, havia 1.124 profissionais de saúde e oito deles estavam internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Mas estes números não convencem as Ordens. De acordo com o Observador, o bastonário …

Europa tem que ser o seu "próprio Plano Marshall". Centeno defende solução sem o "estigma" da austeridade

Mário Centeno continua a incentivar uma solução conjunta assente na ideia da solidariedade europeia perante "uma crise inesperada e sem precedentes" devido à pandemia de Covid-19. Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças de …

Há mais de 10 mil infetados em Portugal e mais 20 mortes

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …

Costa "chocado" com caso da morte no aeroporto. Enfermeira, médico e polícias também investigados

Além dos três inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que são suspeitos de terem agredido um cidadão ucraniano, que acabou por morrer, também há outros elementos do SEF, um médicos e uma enfermeira, …

Reino Unido ultrapassa número de óbitos da China. Itália ainda não conseguiu inverter a curva

O Reino Unido regista agora um número de óbitos superior ao número registado na China. Em Itália, embora o pico já possa ter sido ultrapassado, o país ainda não conseguiu inverter a curva epidemiológica. Nas últimas …

Keir Starmer substitui Jeremy Corbyn e é o novo líder do Labour

Keir Starmer, de 57 anos, que tem feito parte da equipa de topo de Jeremy Corbyn nos últimos três anos, no papel de secretário sombra do Brexit, é o novo líder do Partido Trabalhista. De acordo …

Marcelo vai pedir "apoio rápido e robusto" aos cinco maiores bancos do país

Marcelo Rebelo de Sousa vai reunir-se na próxima segunda-feira com os presidentes dos cinco maiores bancos portugueses para discutir o apoio que a banca pode dar às empresas e famílias. De acordo com semanário Expresso, o …

Turquia retém avião com ventiladores para Espanha

A ministra das Relações Exteriores de Espanha, Arancha González Laya, disse esta sexta-feira que as autoridades da Turquia retêm em Ancara um avião oriundo da China com ventiladores, para combater a pandemia de covid-19. A ministra …