A mais pequena galáxia do Universo tem um buraco negro supermassivo

NASA Goddard Space Flight Center / Flickr

A galáxia ultra-densa M60-UCD1 com o seu buraco ngro supermassivo, conceit artístico

A galáxia ultra-densa M60-UCD1 com o seu buraco ngro supermassivo, conceit artístico

Novas observações de uma galáxia anã, com o telescópio espacial Hubble, revelaram que se trata do mais pequeno conjunto de estrelas do Universo a ter, no seu “coração”, um buraco negro supermassivo, informou hoje a agência espacial europeia ESA.

A galáxia, a M60-UCD1, localiza-se a 50 milhões anos-luz da Terra e, apesar de o seu diâmetro ser muito pequenino, 1/500 do da Via Láctea, é muito compacta, tem muitas estrelas, cerca de 140 milhões, sendo que pelo menos um milhão delas poderiam ser vistas pelos humanos a olho nu caso vivessem na galáxia – por comparação, na Terra, apenas quatro mil estrelas estão visíveis.

A descoberta, que foi feita por uma equipa internacional de astrónomos e foi publicada na edição de quinta-feira da revista científica Nature, mostra que a M60-UCD1 esconde um buraco negro com uma massa equivalente à de 20 milhões de sóis, que perfaz 15 por cento da massa total da galáxia e que pesa cinco vezes mais do que o buraco negro que existe no centro da Via Láctea.

utah.edu

Anil Chandra Seth, astrónomo da Universidade do Utah

Anil Chandra Seth, astrónomo da Universidade do Utah

Isto é absolutamente espantoso, atendendo a que a Via Láctea é 500 vezes maior e mais de mil vezes pesada do que a M60-UCD1″, assinalou o autor principal da investigação, Anil C. Seth, da Universidade do Utah, nos Estados Unidos, acrescentando, em comunicado, que “mesmo o buraco negro no centro da Via Láctea, que tem uma massa de quatro milhões de sóis, continua a representar menos de 0,01 por cento da massa total da Via Láctea”.

A equipa de astrónomos descobriu o buraco negro supermassivo ao observar a galáxia M60-UCD1 com o telescópio espacial Hubble e o telescópio ótico e de infravermelhos Gemini Norte, de oito metros de diâmetro, no Havai, Estados Unidos.

As imagens obtidas pelo Hubble, instrumento gerido pela ESA e pela agência espacial norte-americana NASA, deram informação sobre o diâmetro da galáxia e a sua densidade estelar, enquanto o Gemini foi usado para medir o movimento das estrelas quando eram afectadas pelo “puxão” gravitacional do buraco negro.

Os dados obtidos foram utilizados para calcular a massa do buraco negro.

NASA / ESA / Space Telescope Science Institute

Uma imagem captada pelo Hubble mostra a enormegaláxia M60 e, no canto inferior direito, a galáxia anã superdensa M60-UCD1, a galáxia mais pequena que se conhece.

Uma imagem captada pelo Hubble mostra a enormegaláxia M60 e, no canto inferior direito, a galáxia anã superdensa M60-UCD1, a galáxia mais pequena que se conhece.

Os astrónomos crêem que pode haver uma população substancial de buracos negros, mais do dobro dos que existem no Universo Local.

“A descoberta sugere que as galáxias compactas podem ser, actualmente, um vestígio de galáxias que foram rasgadas durante colisões com outras, em vez de pequenas ilhas de estrelas nascidas isoladamente”, defendeu Anil Seth.

Segundo um outro astrónomo da equipa, Remco van den Bosch, do Instituto de Astronomia Max Palnck, em Heidelberg, na Alemanha, a galáxia M60-UCD1, que em tempos teve 10 mil milhões de estrelas, “pode ter passado demasiado próximo” do centro da sua galáxia vizinha, e maior, a Messier 60.

Nesse processo, “a parte exterior” da M60-UCD1 poderá ter-se desmembrado, para se tornar um elemento da Messier 60, “deixando para trás apenas a mais pequena e compacta galáxia”.

A equipa de cientistas acredita que a galáxia M60-UDC1 poderá, um dia, fundir-se com a Messier 60, formando uma só galáxia, com um buraco negro monstruoso.

A Messier 60 tem um buraco negro 4,5 mil milhões de vezes maior do que o Sol e mais de mil vezes maior do que o buraco negro da Via Láctea.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

A supergigante Betelgeuse é mais pequena e está mais perto da Terra do que se pensava

De acordo com um novo estudo feito por uma equipa internacional de investigadores, podem ser necessários mais 100.000 anos até que a estrela gigante vermelha Betelgeuse morra numa explosão de fogo. O estudo, liderado pela Dra. …

Mulheres menos propensas à covid-19 por respeitarem mais o distanciamento social

Uma das razões pelas quais as mulheres podem ser menos vulneráveis ​​a infeção pelo novo coronavírus deve-se ao facto de serem mais propensas a aderir às políticas de distanciamento social, sugeriu uma nova pesquisa. Uma pesquisa …

Braga 3 - 0 AEK | Minhotos de gala conquistam atenienses

O Sporting de Braga iniciou a sua participação no Grupo G da Liga Europa com uma vitória. Na recepção aos gregos do AEK de Atenas, os minhotos mostraram ser muito mais equipa e ganharam por …

Capitalismo vai arruinar o planeta até 2050, alertam cientistas

Um grupo de cientistas alerta que se continuarmos com este capitalismo desenfreado, o nosso planeta vai sofrer consequências a nível climático e ambiental. Até 2050, o planeta Terra pode sofrer seriamente às mãos do capitalismo desenfreado. …

Os novos faróis inteligentes da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro

Os novos faróis LED da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro, já que são capazes de projetar imagens na estrada ou em paredes. A novidade é lançada na nova linha de SUVs elétricos da …

FC Porto foi "histriónico" e não se portou bem, escreve-se em Manchester

Jornal inglês alega que os elementos do FC Porto foram exagerados, turbulentos e não tiveram um comportamento adequado. Não há uma única palavra sobre o árbitro. Na manhã seguinte à derrota (3-1) do FC Porto em …

De passagem secreta a cemitério de carros. Túnel sob Nápoles "esconde" veículos enferrujados da II Guerra

No centro de Nápoles, em Itália, há veículos e motocicletas abandonados e enferrujados dos anos 1940 alinhados num túnel a mais de 30 metros abaixo dos seus pés. A Piazza del Plebiscito foi nomeada após uma …

Primeira ministra islandesa interrompida por um terramoto quando dava uma entrevista em direto

Um terramoto de magnitude 5.6 interrompeu uma entrevista em direto da primeira ministra islandesa ao The Washington Post. Mas Katrin Jakobsdottir reagiu à situação de forma tranquila: "Isto é a Islândia". Katrin Jakobsdottir estava a dar …

O voo mais longo do mundo está de volta (e agora é ainda mais longo)

O voo da Singapore Airlines que partia de Singapura com destino até Nova Iorque, foi uma das vítimas do covid-19 e ficou suspendo a 23 de março. Agora, é possível viajar nesta rota novamente, e …

Obras de cinco museus de Berlim vandalizadas no início do mês

Sarcófagos egípcios, pinturas do século XIX e esculturas em pedra de três dos principais museus de Berlim foram atacados com uma substância líquida oleosa a 3 de outubro, dia em que se festejaram os 30 …