Bastaram 90 minutos para suspender ajuda à Ucrânia após telefonema entre Trump e Presidente ucraniano

Pete Marovich / POOL / EPA

Cerca de uma hora e meia após o telefonema do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ao Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, em julho, um funcionário da Casa Branca pediu a suspensão da ajuda militar ao país do leste europeu.

Segundo uma troca de emails tornada pública este fim de semana, bastaram cerca de 90 minutos após o telefonema entre o Presidente norte-americano, Donald Trump, e o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, para a Casa Branca ordenar ao Pentágono o congelamento do financiamento militar a Kiev.

A organização de jornalismo de investigação Center for Public Integrity divulgou esta informação, que levou Chuck Schumer, líder da minoria democrata no Senado, e Amy Klobuchar, candidata à nomeação democrata para as eleições do próximo ano, a solicitarem o testemunho de Mike Duffey, responsável do órgão que administra o Orçamento e autor do email divulgado, durante o julgamento de impeachment a Trump no Senado.

No entanto, dada a maioria republicana no Senado, é muito pouco provável que venham a ser ouvidas novas testemunhas nesta fase do processo.

De acordo com o Expresso, autoridades ligadas ao Orçamento informaram outras agências sobre o congelamento da ajuda à Ucrânia a 18 de julho. No entanto, a primeira ação oficial para reter os fundos do Pentágono ocorreu a 25 de julho.

A cronologia dos eventos revela que a chamada entre Trump e Zelenskiy decorreu entre as 9h03 e as 9h33 do dia 25, e que o email de Mike Duffey foi enviado às 11h04. “Dada a natureza sensível do pedido, agradeço se mantiverem esta informação em segredo”, escreveu Duffey num email datado de 25 de julho.

As mensagens vieram à tona depois de a oposição ter aprovado, na última quarta-feira, as acusações de abuso de poder e obstrução ao Congresso contra Donald Trump, que se tornou o terceiro Presidente a enfrentar um processo de impeachment na história dos Estados Unidos.

A ajuda ao país europeu foi libertada em setembro, depois de um denunciante ter dado o alerta sobre o telefonema. A queixa levou os democratas a darem início a uma investigação de impeachment.

A investigação centra-se nas alegações de que Trump pressionou a Ucrânia a anunciar publicamente uma investigação ao ex-vice-Presidente Joe Biden. Zelensky deveria anunciar que estava em curso uma investigação à produtora de gás Burisma, que contratara Hunter, filho de Joe Biden, e só assim Kiev receberia a prometida ajuda militar.

Na semana passada, a Câmara dos Representantes aprovou duas acusações formais de abuso de poder e obstrução do Congresso. Os democratas consideram que o Presidente norte-americano abusou do cargo que ocupa ao pedir a Kiev para investigar Joe Biden.

A acusação de obstrução baseia-se em parte nas diretivas da Casa Branca para que os seus funcionários não cooperassem com o inquérito à destituição presidencial.

Donald Trump nega ter cometido quaisquer irregularidades e classifica o processo de impeachment como “uma farsa”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Bloco quer proibir banca de distribuir lucros (e pede ajuda ao PSD)

O Bloco de Esquerda quer proibir os bancos de distribuírem dividendos em 2020 e pede ajuda ao PSD para o conseguir. Em videoconferência, Mariana Mortágua lançou um desafio ao líder social-democrata. O Bloco de Esquerda anunciou …

Ordens duvidam dos números de infetados (e admitem fazer o seu próprio levantamento)

Segundo os números anunciados na quarta-feira, havia 1.124 profissionais de saúde e oito deles estavam internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Mas estes números não convencem as Ordens. De acordo com o Observador, o bastonário …

Europa tem que ser o seu "próprio Plano Marshall". Centeno defende solução sem o "estigma" da austeridade

Mário Centeno continua a incentivar uma solução conjunta assente na ideia da solidariedade europeia perante "uma crise inesperada e sem precedentes" devido à pandemia de Covid-19. Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças de …

Há mais de 10 mil infetados em Portugal e mais 20 mortes

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …

Costa "chocado" com caso da morte no aeroporto. Enfermeira, médico e polícias também investigados

Além dos três inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que são suspeitos de terem agredido um cidadão ucraniano, que acabou por morrer, também há outros elementos do SEF, um médicos e uma enfermeira, …

Reino Unido ultrapassa número de óbitos da China. Itália ainda não conseguiu inverter a curva

O Reino Unido regista agora um número de óbitos superior ao número registado na China. Em Itália, embora o pico já possa ter sido ultrapassado, o país ainda não conseguiu inverter a curva epidemiológica. Nas últimas …

Keir Starmer substitui Jeremy Corbyn e é o novo líder do Labour

Keir Starmer, de 57 anos, que tem feito parte da equipa de topo de Jeremy Corbyn nos últimos três anos, no papel de secretário sombra do Brexit, é o novo líder do Partido Trabalhista. De acordo …

Marcelo vai pedir "apoio rápido e robusto" aos cinco maiores bancos do país

Marcelo Rebelo de Sousa vai reunir-se na próxima segunda-feira com os presidentes dos cinco maiores bancos portugueses para discutir o apoio que a banca pode dar às empresas e famílias. De acordo com semanário Expresso, o …

Turquia retém avião com ventiladores para Espanha

A ministra das Relações Exteriores de Espanha, Arancha González Laya, disse esta sexta-feira que as autoridades da Turquia retêm em Ancara um avião oriundo da China com ventiladores, para combater a pandemia de covid-19. A ministra …