Comité Judiciário aprovou os dois artigos para destituição de Trump

Michael Reynolds / EPA

Os dois artigos de impeachment foram votados favoravelmente pela maioria Democrata na Câmara de Representantes, por uma margem de 23 votos contra os 17 votos da oposição dos deputados Republicanos.

O Comité Judiciário da Câmara de Representantes dos Estados Unidos aprovou, esta sexta-feira, dois artigos para a destituição do Presidente Donald Trump, acusando-o de abuso de poder e de obstrução ao Congresso.

A votação aconteceu após vários dias de debate intenso sobre a redação dos artigos, com os Democratas a fazerem impor a sua versão acusatória sobre o comportamento de Donald Trump no caso que envolve uma alegada pressão sobre o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy.

Os dois artigos para destituição vão agora ser votados no plenário da Câmara de Representantes, na próxima semana. Se forem aprovados por maioria simples, como tudo indica que acontecerá, pela maioria Democrata na Câmara, os artigos seguem para o Senado, que se constitui como uma espécie de tribunal para julgar as atividades de Donald Trump, logo no início de 2020.

Se 2/3 dos senadores validarem os artigos, o que é improvável por causa da maioria Republicana no Senado, Trump pode ser demitido do cargo de Presidente.

Na versão do artigo que lhe imputa abuso de poder, Trump é acusado de ter ameaçado reter uma ajuda financeira à Ucrânia até que Zelenskiy divulgasse publicamente que iria lançar uma investigação contra a atividade de Hunter Biden, filho de Joe Biden, rival Democrata de Trump na corrida presidencial de 2020, junto de uma empresa da Ucrânia.

Na versão do artigo que imputa obstrução ao Congresso, Trump é acusado de ter procurado dificultar a investigação no caso ucraniano, omitindo documentos e impedindo o depoimento de vários assessores da Casa Branca.

Os Republicanos procuraram, sem sucesso, introduzir emendas nos dois artigos, referindo que a retenção da ajuda financeira, no valor de cerca de 400 milhões de dólares (cerca de 350 milhões de euros) foi justificada por o Presidente exigir ao seu homólogo ucraniano provas reais de combate à corrupção no seu país, como contrapartida pelo contributo norte-americano.

O Presidente colocou em risco a nossa democracia, colocou em risco a nossa segurança nacional”, disse o líder do Comité Judiciário, Jerrold Nadler, quando anunciou os dois artigos de impeachment, no início desta semana, em frente a um retrato do primeiro Presidente dos EUA, George Washington.

“A nossa próxima eleição está em risco (…) por isso devemos agir agora”, disse Nadler, para justificar a decisão das acusações formais contra Donald Trump.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Lago "assassino" matou cerca de 1.800 pessoas em apenas alguns minutos (e a história pode repetir-se)

A noite de 21 de agosto de 1986 parecia ser igual a outra qualquer. Até que, por volta das 21h30, ouviu-se um barulho muito estranho no Lago Nyos, no noroeste dos Camarões. E em minutos, …

Nigéria. Youtube fecha canal de pastor que pretende "curar a homossexualidade"

O pastor nigeriano TB Joshua apelou aos seus seguidores a "rezarem pelo YouTube" e a não responderem através do ódio ao encerramento do seu canal naquela plataforma, onde colocou vídeos em que afirmava "curar a …

Esquemas de Wall Street alimentaram a crise de 2008. Está a voltar a acontecer o mesmo

Bancos têm erroneamente relatado dados de rendimento inflacionados que comprometem a integridade dos valores imobiliários resultantes. Foi há mais de 12 anos que foi anunciada a falência do Lehman Brothers, o quarto maior banco de investimento …

Chelsea e Manchester City preparam-se para sair da Superliga Europeia

Os dois clubes ingleses estão a preparar-se para se retirar formalmente da Superliga Europeia, avança, esta terça-feira, a imprensa britânica. O jornal The Guardian avançou, tal como a generalidade da imprensa britânica, que o Chelsea e …

Rússia planeia clonar e "ressuscitar" um exército cita com 3.000 anos

Há duas décadas, arqueólogos da Sibéria encontraram os restos mortais de guerreiros citas com três mil anos com os seus cavalos na República de Tuva. Agora, a Rússia quer cloná-los. O ministro da Defesa da Rússia …

Levantada imunidade parlamentar a António Gameiro, suspeito na Operação Triângulo

A comissão de Transparência aprovou, esta terça-feira, um relatório favorável ao levantamento da imunidade parlamentar ao deputado António Gameiro (PS), envolvido na "Operação Triângulo". A decisão foi tomada por unanimidade na reunião desta terça-feira da comissão …

Medina confirma que ex-vereador Manuel Salgado é um dos visados na investigação da PJ

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa confirmou, esta terça-feira, que um dos visados na investigação da Polícia Judiciária (PJ) a suspeitas de crimes de abuso de poder e corrupção é o ex-vereador do Urbanismo …

Jeff Bezos quer transformar a Amazon no "melhor empregador da Terra"

O CEO da Amazon admitiu que é preciso fazer mais pelos trabalhadores e revelou que um dos seus principais objetivos é fazer da empresa "o melhor empregador da Terra". As más condições de trabalho a que …

Montenegro "hipotecou-se" à China (e agora quer a ajuda da Europa para se libertar)

Montenegro aceitou um empréstimo gigante da China para construir uma rodovia. Agora, o minúsculo país montanhoso quer ajuda da União Europeia (UE) para pagar a dívida. A situação em Montenegro é o mais recente conflito numa …

Punir os 12 clubes da Superliga Europeia? O tiro pode sair pela culatra

A UEFA ameaça punir os clubes que participem na Superliga Europeia. No entanto, tomar medidas precipitadas pode fazer com que o tiro saia pela culatra. O mundo do futebol foi abalado pelo anúncio de uma Superliga …