2021 foi o ano com menos nascimentos em Portugal

Nunca tinha havido menos de 80 mil nascimentos ao longo de um ano. Há meio século havia o dobro de nascimentos.

Os contextos de muitos casais, de muitas mães, e o adiamento de planos, já faziam prever esta descida. E os números apresentados em Novembro também não deixaram margem para muitas dúvidas. Agora surgiu a confirmação: nunca houve tão poucos nascimentos ao longo de um ano, em Portugal, como em 2021.

O Programa Nacional de Rastreio Neonatal contabilizou 79.217 nascimentos durante o ano passado. O número resulta do total de «testes do pezinho».

É a primeira vez que Portugal regista menos de 80 mil nascimentos ao longo de um ano – desde que há estatísticas oficiais. Até 2021, o ano com menos nascimentos havia sido 2014, com um total de 82.367 nascimentos.

Os dados foram comunicados nesta quarta-feira ao jornal Expresso, pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge.

Em 2020 tinham sido registados 85.456 nascimentos em Portugal, o que significa que houve menos 6.239 partos, em comparação com o ano anterior. Em 2019 foram contabilizados 87.364 bebés, aproximadamente mais oito mil do que os números mais recentes.

E, se recuarmos por décadas, a diferença é ainda mais evidente: quase 97 mil bebés em 2011 e cerca de 181 mil (mais do dobro do total actual) em 1971.

Daí, a conclusão da demógrafa Maria João Valente Rosa: “Hoje, em Portugal, estamos a bater um recorde histórico. Temos de compreender estes dados à luz da pandemia. Os nascimentos já estavam a baixar muito, mas nunca tivemos valores tão baixos”, declarou, à agência Lusa.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE