15 testes de covid-19 por mês: Rui Costa antevê a nova época

Ciclista português quer terminar o ano no topo da tabela UCI. Os Jogos Olímpicos estão na lista de prioridades mas a Volta a França também pode aparecer no calendário.

Rui Costa entra na nova temporada com a ideia de terminar 2021 como líder da tabela UCI. O campeão mundial em 2013 vai participar pela 13.ª vez no WorldTour, em ano de Jogos Olímpicos – e Tóquio está na lista de prioridades do ciclista.

“A corrida olímpica é um dos principais objetivos e prefiro chegar com tempo para me adaptar ao fuso horário, recuperar do jet lag, embora haja corredores que vão diretos do Tour para Tóquio pelo ritmo competitivo”, confessou, em entrevista ao portal Ciclo 21.

O atleta da Póvoa de Varzim ficou em 10.º e em 13.º lugares nas últimas duas edições dos Jogos Olímpicos, respetivamente no Rio de Janeiro e em Londres.

Na capital do Japão, desta vez, as dificuldades serão muitas: temperatura elevada, percurso de 234 quilómetros e uma montanha complicada na fase final: “Há que estruturar bem o ano porque o percurso é duro, sobretudo pelas rampas inclinadas na última parte. Para um atleta das minhas características isso implica perder peso, se calhar estar magro como nunca estive e fazer um esforço extra. Claro que isto foi pensado desde o ano passado, não é algo que surja de repente porque nesta idade não podemos improvisar”, disse o ciclista de 34 anos.

Nesta conversa com Gonçalo Moreira, o ciclista português recordou também a época 2020 e elogiou Tadej Pogačar, colega de equipa da UAE Team Emirates que venceu a Volta a França no ano passado: “É um corredor calmo, calculista, sabe correr e sabe que no próximo Tour vamos ser o alvo. O stress e a pressão mudam os ciclistas, qualquer percalço pode alterar as coisas, mas ele é tranquilo e sabe que vai levar uma equipa com um líder único e onde cada um sabe o seu papel para ajudar a defender a camisola amarela”.

À margem desta publicação, o jornalista Gonçalo Moreira relatou que, graças ao diálogo com Rui Costa, percebeu que um ciclista pode realizar 15 testes covid-19 por mês, porque pode fazer provas PCR seis e três dias antes de cada prova, além dos testes exigidos nas viagens para alguns países. “É muita zaragatoa no nariz”, escreveu Gonçalo Moreira, no Twitter.

Rui Costa já foi vacinado contra a covid-19, tal como toda a equipa UAE Team Emirates. Aliás, nos Emirados Árabes Unidos, quase todas as pessoas já foram vacinadas: “Praticamente todo o país está vacinado, graças ao poder que têm. Tivemos a oportunidade de levar a vacina. Claro que isso traz uma certa segurança, estabilidade, durante esta fase pandémica. Já levámos a primeira dose, correu tudo bem e toda a gente sente a normalidade de antes”, revelou o ciclista, numa conferência de imprensa, acrescentando que todos continuam a “ter os mesmos cuidados”.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.