Vitoria SC 0-1 FC Porto | Bomba de João Mário derruba muralha do Castelo

Hugo Delgado / Lusa

E vão oito. Pela oitava vez consecutiva o FC Porto derrotou o Vitória vimaranense em todas as competições.

Na noite deste sábado, um golo solitário de João Mário bastou para os campeões nacionais não perderem o comboio do título depois dos triunfos de Benfica e de SC Braga nesta 17ª jornada da Liga bwin.

Por sua vez, os comandados de Moreno não vencem um jogo desde Novembro do ano passado, somando já oito partidas sem qualquer triunfo.

Já em período de descontos da primeira parte, um momento de inspiração de João Mário derrubou a muralha do Castelo dos “conquistadores”.

O lateral-direito recebeu a bola de Otávio, dominou o esférico com uma recepção orientada perfeita, preparou um remate forte e colocado, bateu Bruno Varela e abriu a contagem na partida.

Foi o derradeiro lance da primeira metade, numa partida que estava a ser intensa, vibrante, equilibrada – não obstante o maior pendor ofensivo dos forasteiros -, mas nem sempre bem jogada.

Antes do golo, 3 lances tinham colocado o público em sobressalto. Aos 19 e 33 minutos, Wendel e Taremi, respectivamente, ficaram próximos de festejar e, aos 36, Mikel Villanueva falhou a mira quando já se encontrava no interior da área portista.

O revigorado João Mário era o melhor nesta fase com um GoalPoint Rating de 7.2. Além do golo, que nasceu no único remate que fez, destacou-se com 35 acções com a bola, duas das quais no interior da área adversária, e seis posses de bola recuperadas.

O recomeço foi algo incaracterístico, os vimaranenses tentavam anular o golo sofrido, mas a vontade não era acompanha pelo discernimento, criatividade e falta de argumentos – não enquadraram nenhum dos nove remates que realizaram – para contrariar os “dragões”.

Já os campeões nacionais apenas voltaram a aparecer no encontro quando Pepê substituiu Toni Martínez.

Com a entrada do brasileiro as acções da equipa de Conceição passaram a ter outra velocidade e os da Invicta construíram algumas ocasiões de perigo junto à baliza de Bruno Varela – 63’, 72’ e 89’.

Apenas Maga aos 71 e Safira 89 minutos conseguiram levar algum perigo nas investidas dos anfitriões. Em suma, o duelo foi intenso, mas muito faltoso e a transpiração acabou por substituir a inspiração.

Melhor em Campo

Não é um nome tão badalado como Otávio ou Taremi, mas o colombiano Uribe continua a ser fundamental na estratégia de Sérgio Conceição a cada jogo dos “azuis-e-brancos”.

Este sábado, Uribe voltou a justificar a confiança com uma “performance” plena de qualidade. Todo-o-terreno, destacou-se com 101 acções com a bola, um total de 14 recuperações de posse, a tudo isto juntou, ainda, quatro intercepções, três acções defensivas no meio-campo contrário, bloqueou dois passes/cruzamentos e ainda sofreu três faltas. Graças a tudo isto o médio – que está em final de contrato – foi o MVP com um óptimo GoalPoint Rating de 7.3.

Resumo

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.