A vingança pode ter efeitos benéficos no humor

Os psicólogos David Chester e Nathan DeWall decidiram testar a ideia de que a rejeição social desencadeia uma necessidade de reparar o humor de qualquer maneira, inclusive através da satisfação de prejudicar quem nos fez sofrer.

Os especialistas da Universidade de Kentucky, nos EUA, pediram a 156 participantes que escrevessem um texto que depois trocaram com outros participantes para receber feedback sobre o que redigiram.

Uma parte dos participantes recebeu um feedback negativo – realizado, em segredo, pelos especialistas – e os restantes receberam um comentário positivo.

Chester e DeWall mediram o humor antes e depois de os participantes terem a oportunidade de expressar uma forma simbólica de agressão – como espetar alfinetes numa boneca de vodu.

Segundo o estudo, publicado no Journal of Personality and Social Psychology, essa atitude nada simpática reparou o humor dos participantes rejeitados, até ao ponto em que foi impossível distingui-los daqueles que receberam um feedback positivo.

Os psicólogos concluíram que a vingança pode, realmente, impulsionar o humor. Mas será que as pessoas se comportam de um modo agressivamente de propósito?

Para responder a esta questão, Chester e DeWall reuniram 154 participantes, que tomaram um comprimido que supostamente melhoraria as suas habilidades cognitivas. Alguns indivíduos foram informados que o comprimido tinha um efeito colateral peculiar – o seu humor ficaria inalterável. No entanto, todas as alegações eram falsas.

Depois, todos os participantes jogaram um jogo no qual tinham que passar uma bola para outros dois jogadores (que eram, na verdade, controlados pelos especialistas). Os indivíduos no grupo da rejeição receberam a bola menos vezes do que o outro grupo.

No final do jogo, os participantes avaliaram o quão rejeitados se sentiram, e tiveram a oportunidade de se vingar com um segundo jogo contra um dos parceiros anteriores.

Na maioria das vezes, os participantes que tinham sofrido uma rejeição optaram por uma maior vingança contra o seu opositor. Mas tal não aconteceu com os participantes que achavam que o comprimido tinha tornado o seu humor inalterável.

Os participantes do grupo do “humor fixo” foram afetados pelo desprezo porque as suas avaliações de rejeição eram tão altas como as dos outros participantes, mas como pensavam que não tinham nenhuma razão para melhorar o humor, não sentiram a necessidade de agir de modo agressivo.

Apesar de terem investigado apenas a agressão inspirada pela rejeição, Chester e DeWall revelam que esta descoberta pode explicar outras situações em que a violência parece ser vista como uma solução plausível para aliviar o mau humor.

Os psicólogos revelam que “as pessoas procuram a provocação para obter um efeito positivo associado à agressão retaliatória”, mas deviam optar por alternativas melhores como a reflexão, meditação e outras atividades semelhantes.

ZAP // Hypescience

PARTILHAR

RESPONDER

Lava do vulcão de La Palma está a escorrer em direção ao mar aumentando o risco de gases tóxicos

O vulcão Cumbre Vieja na ilha de La Palma, nas Canárias, que entrou em erupção no domingo, tem uma nova boca eruptiva, o que obrigou a evacuar mais habitações, informaram as autoridades. De acordo como Plano …

Adesão ao IVAucher quase duplicou no último mês - mas restauração quer mais medidas

No último mês, quase duplicou o número de contribuintes que se inscreveu no programa que permitirá rebater os descontos acumulados no âmbito da iniciativa IVAucher. De acordo com o Jornal de Notícias, a 23 de agosto, …

Tribunal Europeu dos Direitos Humanos culpa Rússia pelo assassinato de Alexander Litvinenko

Decisão remonta ao incidente de novembro de 2006, que ocorreu num hotel londrino, seis anos após o dissidente político se ter mudado para o Reino Unido, precisamente para fugir às ameaças do regime de Vladimir …

"Tratam-nos assim por causa da cor da nossa pele". Polícias nos EUA filmados a chicotear migrantes

Fotos e vídeos mostram polícias na fronteira a carregar contra migrantes e a usar objectos semelhantes a chicotes. A Casa Branca já condenou a situação e promete que vai investigar o sucedido. Pareciam imagens do tempo …

Benfica: a principal ameaça na Liga dos Campeões será Darwin

Pelo menos é a visão catalã. Benfica é o próximo adversário do Barcelona. Mais um jogo, mais uma vitória. O Benfica só sabe ganhar no campeonato português, para já, e na noite passada venceu em casa …

Estado vai financiar formação de funcionários públicos em universidades e politécnicos

Verbas destinadas ao projeto provêm do Orçamento do Estado e do Plano de Recuperação e Resiliência — cerca de 600 milhões. O Estado vai financiar, inteira ou parcialmente, as formações profissionais dos profissionais públicos, através do …

Sevilha rescinde com jogador por má forma física

O Sevilha anunciou a rescisão de contrato com o defesa-central Joris Gnagnon por falta de profissionalismo relativamente à sua forma física. De acordo com o jornal A Bola, o Sevilha rescindiu contrato com o defesa-central francês …

"O nosso Governo está pronto". Trudeau volta a ganhar as eleições - mas sem maioria absoluta

O líder do Partido Liberal do Canadá (LP) Justin Trudeau disse hoje, depois de ganhar as eleições gerais do país, que os eleitores canadianos escolheram "um plano progressivo" e que está pronto para formar um …

Travar margens nos combustíveis pode acabar por prejudicar os consumidores (e até fechar bombas)

A proposta de lei do Governo aprovada, na semana passada, para a limitação das margens das petrolíferas nos preços dos combustíveis pode acabar por travar a concorrência e até levar ao encerramento de bombas de …

"Nunca se pode tirar Messi" (mas há um gesto que pode explicar a sua substituição)

A substituição de Messi, e a forma como reagiu, no jogo entre o Paris Saint-Germain e o Lyon da Liga francesa, continua a dar que falar. E agora avança-se a possibilidade de o craque argentino …