Videovigilância dissuadiu crime no Bairro Alto, garantem associações

rongorongo / Flickr

Associações de moradores e comerciantes do Bairro Alto afirmam que as câmaras de videovigilância reduziram o número de crimes e ajudaram a polícia a detetar várias situações na zona.

Os cinco anos da videovigilância no Bairro Alto, em Lisboa, trouxeram vantagens para moradores e comerciantes, que consideram as câmaras um fator dissuasor da atividade criminosa. As pessoas estão atualmente mais seguras, salientam.

“Em termos de segurança, a videovigilância trouxe algumas vantagens, pelo menos o aspeto principal é ser dissuasivo. Ao saber que há câmaras, o número de situações [pequenos crimes] tem reduzido e o número de situações que a polícia aparentemente apanha aumentaram”, disse à Lusa o presidente da Associação de Moradores do Bairro Alto, Luís Paisana.

O presidente da Associação de Comerciantes do Bairro Alto, Hilário Castro, tem a mesma opinião e considera que o bairro, na freguesia da Misericórdia, “está mais tranquilo”. Trata-se, no seu entender, de um sistema que “dá mais segurança aos comerciantes, moradores e a todos os que o visitam”, sendo “um bem para todos”.

Para Luís Paisana, a videovigilância – instalada em maio de 2014 – “tem um duplo efeito de poder reduzir um bocadinho o crime ou as situações de confusão que existiam no bairro, e que ainda existem, mas em menor quantidade”. Por isso, apesar de referir a necessidade de mais policiamento no Bairro Alto, o representante reconhece que a videovigilância “faz sentido e teve impacto”.

“As pessoas não sabem bem onde estão as câmaras, quando atuam têm sempre o risco de serem apanhados e têm sido de vez em quando. Ou procuram outros locais [onde não há câmaras] ou então não fazem tantas situações de risco como no passado”, explicou.

Para o presidente da Associação de Comerciantes, o Bairro Alto “tem um poder natural de transformação” e é “evidente que o sistema veio melhorar as condições de todos, inclusive das próprias forças policiais, que têm um recurso suplementar de ajuda”.

Hilário Castro sublinhou tratar-se “de um meio principalmente dissuasor”, embora tenha reconhecido que não houve “melhorias a nível de frequência” da zona, que concentra muitos restaurantes e bares.

As imagens das câmaras de videovigilância já deram os seus frutos para identificar pequenos delitos, de acordo com os responsáveis das associações dos moradores e dos comerciantes, lembrando este último que a associação foi contactada para ajudar a mãe de um jovem que tinha sido agredido.

“Pediu-nos apoio para testemunhar, para tentar que se resolvesse legalmente. A mãe do jovem, que foi aqui agredido e que esteve em coma muito tempo, mandou-nos imagens das câmaras em que se via de facto a agressão. Portanto as câmaras funcionam, já é um passo em frente na segurança, mas não é o único, deve ser feito mais”, explicou Hilário Castro. À semelhança de Luís Paisana, Hilário Castro referiu que os comerciantes “há muito exigem mais polícia nas ruas”.

Vítor Silva, nascido e criado há 61 anos no Bairro Alto, referiu que na rua da Atalaia, onde mora, a diferença que encontra nos últimos cinco anos, com a presença das câmaras de videovigilância, é “o poder de dissuasão”. “A diferença é que poderá dissuadir as pessoas que olham para ali. Em relação ao crime é normal. No Bairro Alto é normal. Há o assalto que pode acontecer no metro, no elétrico, no barco. Mas não houve alteração significativa para quem vive no bairro”, disse.

Maria Fernanda, que vive no Bairro Alto há mais de 50 anos, disse à Lusa “não ter a certeza de que existem câmaras”, lembrando a conversa com o vizinho do restaurante na véspera, em que este lhe disse que “aquilo que lhe parecia um candeeiro na rua debaixo de onde se sentava era uma câmara”.

Nunca dei por elas. Sou franca. Acho que de há já muito tempo para cá não há tanta [insegurança]. A respeito do mau ambiente, antigamente quando eram mais bares e esplanadas e restaurantes era pior. Hoje fecham à meia-noite, não sinto violência, sou franca”, disse Maria Fernanda.

Embora não saia à noite devido a um período de saúde, Maria Fernanda explicou que tem um neto de 21 anos que chega com frequência à casa à meia-noite e “nunca teve nenhum problema”. “Estou tranquila”, acrescentou.

A Lusa pediu dados sobre os últimos cinco anos de videovigilância no Bairro Alto à PSP, mas não obteve resposta.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Mudanças climáticas ameaçam 60% das espécies de peixes do mundo

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Instituto Alfred Wegener, na Alemanha, sugere que as mudanças climáticas podem destruir mais espécies de peixes do que se pensavam anteriormente. Se as temperaturas globais subirem …

Engenheiros desenvolvem célula de combustível duas vezes mais eficiente do que a de hidrogénio

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo processo para uma célula de combustível que funciona com o dobro da tensão das células a combustível tradicionais de hidrogénio. O novo …

Preços das bebidas concertados durante anos. Seis supermercados sob suspeita de cartel

Seis grupos de distribuição alimentar e dois fornecedores de sumos, vinhos e outras bebidas, foram acusados pela Autoridade da Concorrência de concertarem preços durante vários anos em prejuízo do consumidor. "Após investigação, a Autoridade da Concorrência, …

Sindicato denuncia mobilização forçada de médicos para tratar surto de Reguengos de Monsaraz

O Sindicado dos Médicos da Zona Sul (SMZS) denunciou hoje o que diz ser uma “mobilização forçada de médicos” pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo para o combate ao surto de covid-19 de …

Novo comboio-bala entra ao serviço na linha Tóquio-Osaka

O mais novo modelo de comboio-bala do Japão - o N700S - entrou ao serviço no dia 1 de julho, numa jornada inaugural de Tóquio a Osaka. A série N700S (sendo que o "S" significa "Supreme") …

Kanye West anuncia candidatura à Presidência dos EUA

O músico norte-americano Kanye West anunciou este sábado, Dia da Independência dos Estados Unidos, a sua candidatura à Casa Branca, depois de ter apoiado anteriormente o atual Presidente e candidato à reeleição, Donald Trump. "Agora devemos …

Vídeo revela, pela primeira vez, como é que o cérebro se livra dos neurónios mortos

Uma equipa de cientistas conseguiu usar, pela primeira vez, uma técnica que "mata" uma célula cerebral isolada e permite observar o processo de limpeza do sistema nervoso em tempo real. A equipa de investigadores conseguiu registar …

Reutilizável, dobrável e esterilizável. Novo "escudo" protege profissionais de saúde

Uma equipa de cientistas desenvolveu, recentemente, um dispositivo dobrável em forma de tenda que atua como um escudo físico para os profissionais de saúde na linha da frente contra a covid-19. A tenda redutora de gotículas …

O Lamborghini mais potente acelera dentro de água. É um iate com 4.000 cavalos

O resultado da primeira colaboração entre a a Lamborghini e os especialistas da Tecnomar é um iate de luxo, com 4.000 cavalos que recria a sensação de condução de um superdesportivo dentro de água. O mais …

Aproxima-se o lançamento do rover Perseverance

O rover Perseverance da NASA está a menos de um mês da data de lançamento prevista para 20 de julho. A missão de astrobiologia do veículo vai procurar sinais de vida microscópica passada em Marte, explorar …