PSD celebrou acordo com “partido de extrema-direita xenófoba”. André Ventura quer pedido de desculpas de António Costa

Mário Cruz / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa (D), conversa com o deputado do Chega, André Ventura

André Ventura, líder do Chega, exigiu este sábado um pedido de desculpas a António Costa por este ter dito que o PSD de Rui Rio celebrou um acordo com “um partido de extrema-direita xenófoba” para viabilizar um Governo nos Açores. 

Em causa estão as declarações do secretário-geral do PS, António Costa, relativas ao suposto acordo PSD-Chega que levará o partido de André Ventura a viabilizar nos Açores um governo do PSD liderado por José Manuel Bolieiro.

Depois da reunião da Comissão Nacional do PS que debateu o papel do partido face às próximas eleições presidenciais, António Costa disse que, com este acordo, Rui Rio “ultrapassou uma linha vermelha” da direita democrática europeia, que não permite a essa direita democrática fazer entendimentos com partidos da “extrema direita xenófoba”. Além disso, o líder do PS considerou que Rui Rio deve explicações ao país.

“A normalização da extrema-direita xenófoba é abrir a porta aos inimigos da democracia, porque quem é xenófobo ofende o princípio da igualdade e da dignidade da pessoa humana”, disse o líder socialista.

Este sábado, num jantar-comício da sua candidatura às eleições presidenciais, André Ventura reagiu às declarações do primeiro ministro e disse à Lusa: “O Chega é um partido democrático, foi eleito para o parlamento e para o parlamento dos Açores, todas as sondagens o colocam como terceira ou quarta força política nacional, é um partido legalizado pelo Tribunal Constitucional. É lamentável que um primeiro ministro se refira a ele como xenófobo e de extrema-direita.”

O líder do Chega acrescentou esperar que António Costa, “peça desculpa por estas declarações, durante o fim de semana ainda, porque vai ter oportunidade de o fazer”.

“Caso contrário, nós próprios, no parlamento, vamos levantar esta questão perante o presidente da Assembleia da República, porque ultrapassaram-se aqui linhas de diálogo e de convívio democrático”, avançou.

Na sua opinião, “o PS, quando começa a perder o poder, revela o caráter que tem” e as declarações feitas hoje por António Costa no final da Comissão Nacional do PS foram “mais um exemplo”.

O presidente do Chega considerou ainda que o PS esperava “que a direita nunca se conseguisse entender”, mas já percebeu que não é assim com o que se passou nos Açores.

“Eu percebo a indignação de António Costa, percebo o medo que ele tem dos próximos meses, talvez dos próximos anos, mas este é um caminho que já não tem retorno: a direita vai chegar ao poder pela mão do Chega também em Portugal (continental) e o compadrio socialista vai acabar”, frisou.

Para André Ventura, as declarações do secretário-geral do PS traçam “uma linha vermelha entre aquilo que é o convívio entre partidos”, sendo o pedido de desculpa importante para garantir que não se resvala “para um nível de agressividade sem limite”, que “não seria bom para a democracia”, sobretudo a poucos meses das eleições presidenciais.

O líder do Chega lamentou também a forma como António Costa se referiu à sua candidatura, “pedindo ao PS uma vitória indubitável sobre a candidatura da extrema-direita xenófoba”.

“Tivemos uma sondagem há uma semana ou duas em que eu estava em segundo lugar com 11%. Dizer isto é dizer que 11% dos portugueses são xenófobos e de extrema direita”, considerou.

André Ventura disse ver com “muita curiosidade” que uma pessoa “que não aceitou perder as eleições em 2015, e se juntou a dois partidos que rejeitam a União Europeia e a maior parte dos valores civilizacionais que o PS de Mário Soares defendeu, agora se preocupe com um acordo nos Açores, precisamente para retirar o PS do poder que tem há mais de 20 anos”.

“O Chega e o PSD deram um passo importante para retirar o PS do Governo dos Açores”, afirmou, ironizando que é possível que o desemprego aumente, “sobretudo o desemprego socialista”, porque “os tachos vão acabar, os amigos a fazer negócios com o Governo regional vão acabar”.

“Eu percebo que o PS esteja incomodado com isto, mas tem que se habituar que vêm aí novos tempos”, sublinhou.

Para António Costa, “independentemente daquilo que diga o acordo que é mantido secreto, o simples facto de ter havido um acordo entre um partido de direita democrática e extrema-direita xenófoba é em si próprio da maior gravidade“.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Embora o Chega tenha posições polémicas e algo extremistas, tem uma legitimidade idêntica aos outros partidos. Submeteu-se a eleições e tem o peso que o eleitorado lhe conferiu. Tão simples como isso.
    Costa e Cordeiro estão a denotar mau perder.
    O que seria lógico era aceitarem uma possível alternativa democrática e serem especialmente vigilantes sobre as tais políticas extremistas e xenófobas que vierem a ser postas em prática. O que, provavelmente, não vai acontecer.

  2. Não é o Chega ou o PSD que são o problema,o PS do Costa custa a engolir que perderam o tacho nos Açores que durou mais de 20 anos isso sim é o problema deles.

RESPONDER

Aos 101 anos, Ginny é a "Senhora Lagosta" e não planeia reformar-se

Virginia Oliver continua a trabalhar na pesca da lagosta, apesar de já ter 101 anos de idade. 'Ginny' não planeia reformar-se e já se tornou um meme na internet. Virginia 'Ginny' Oliver tem 101 anos e …

Dinamarca. Reclusos condenados a prisão perpétua proibidos de iniciar novos romances

Os reclusos que cumprem prisão perpétua na Dinamarca serão proibidos de iniciar novos relacionamentos amorosos, decisão proposta pelo governo após uma jovem de 17 anos se apaixonar por Peter Madsen, que assassinou a jornalista Kim …

Casal queria que o seu filho se chamasse Vladimir Putin. A Suécia não deixou

Na Suécia, os pais são obrigados a comunicar os nomes dos seus filhos recém-nascidos ao Skatteverket nos primeiros três meses a partir do nascimento. Um casal sueco, que vive na cidade de Laholm, foi proibido pela …

44 jogos seguidos sem ganhar. Mas o presidente não está preocupado

O Atlético Mogi não vence qualquer jogo oficial há mais de quatro anos. Perdeu em 42 desses 44 duelos. 17 de Junho de 2017 foi o último dia em que o Atlético Mogi venceu um jogo …

Autárquicas: António Costa promete que os municípios terão mais mil milhões de euros

O secretário-geral do PS, António Costa, indicou hoje, em Celorico de Basto, no distrito de Braga, que os municípios “vão passar a ter, a partir de abril, mais mil milhões de euros que acompanham a …

Mais de trinta anos após ter sido lançada ao mar no Japão, mensagem em garrafa é encontrada no Hawaii

Durante uma viagem ao Hawaii, uma jovem de apenas 9 anos encontrou uma garrafa que foi lançada ao mar há mais de trinta anos. Esta continha uma mensagem que, posteriormente, acabou por revelar uma experiência …

Mais 939 infeções, sete mortes e nova redução nos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 939 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, sete mortes atribuídas à covid-19 e nova redução nos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos. De acordo com o boletim epidemiológico da …

Milionário norte-americano Robert Durst condenado por matar melhor amiga

O milionário norte-americano Robert Durst, tornado famoso por um documentário do canal HBO, foi condenado na sexta-feira num tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos, por matar a melhor amiga, um crime que remonta a …

Em Inglaterra, há crianças de 16 anos que vão passar a viver em alojamentos não regulamentados

A 9 de setembro, foi aprovada uma nova lei em Inglaterra, segundo a qual as crianças com 16 e 17 anos podem ser colocadas em alojamentos não regulamentados. O sistema de acolhimento de crianças inglês está …

Suspeitos numa mota sem matrícula dispararam na direcção de candidata do CDS

A candidata do CDS à Junta de Freguesia de Palmela, em Setúbal, foi surpreendida, na noite de sexta-feira, por disparos de caçadeira, protagonizados por "duas pessoas sem capacete", numa mota sem luzes, nem matrícula. O incidente …